Jul M

Oi

sábado, 10 de novembro de 2012

Um Erro E Dois Acertos-- Capitulo -- 31


Tudo está pior.

Bella estava sentada na janela olhando as folhas das arvores caírem, o outono estava começando e logo o inverno chegaria. Já havia se passado dois meses desde a descoberta da gravidez, aquilo que era algo que deveria mantê-los unidos só havia os separados. Isabella não aceitava a ideia de que sua gravidez era psicológica, já Edward estava convicto de que era mesmo uma doença, que não havia bebê nenhum ali.

Pelas contas de Isabella, ela logo estaria entrando no quarto mês de gestação e infelizmente a garota passou pelos primeiros sintomas praticamente sozinha. Edward estava do seu lado sim, mas não para lhe dar apoio, apenas para garantir que não se machucasse muito ou ficasse se torturando. Bella voltou para o seu antigo quarto, pois não queria dividir a cama com Edward, porém toda noite, antes de dormir, o namorado passava em seu quarto a fim de saber como estava, somente ela e nunca o seu bebê.

Nesses dois meses ele nunca havia perguntado nada sobre a criança e quando Bella começava a falar sobre o feto que crescia dentro de si, ele mudava o assunto de um jeito grosseiro, sem cuidado algum e essa atitude andava deprimindo-a. A garota já não saia mais do quarto e quando saía era apenas para ir ao médico. Edward não deixou que ela trocasse de médico e continuava com Stefan que sempre mantinha o mesmo diagnóstico, ele já não mais entrava na sala junto com Isabella, porém após os exames sempre era informado sobre a situação da mulher. Para Stefan, Isabella era como se fosse à senhora Cullen, mesmo não sendo casada, mas era assim que aparecia em sua ficha.

– Você precisa comer querida! – Marta disse entrando com a bandeja no quarto.

– Eu vou vomitar tudo.

– Mesmo assim, precisa se alimentar é para sua saúde. – Marta falou contendo a vontade de dizer as palavras “e para a saúde do bebê” – Vamos lá Isabela, você precisa comer e se não fizer isso vou ter que chamar Edward aqui.

Sempre que a garota se recusava a comer, Marta recorria ao chefe e ele vinha pessoalmente força-la a se alimentar e era somente nesses momentos que via Bella acordada. A barriga ainda era pequena, só tinha um singelo volume, mas logo começaria a crescer, ela sabia, ela sentia isso.
– Eu quero ir ao parque! – Falou olhando pela janela, vendo lá longe, por cima da grande prisão de muro que cercava a casa, as árvores do parque ali perto. – Onde está o Erick?

– Ele não trabalha mais como seu segurança Isabella! Você não lembra? Já tem tempo isso.

– É que ele passou tanto tempo sendo a minha sombra que eu já tinha até me esquecido. – Deu um sorriso morto. – Deixa a bandeja aí que já vou comer.

Isabella se sentia uma prisioneira, até tentou pedir ajuda de Nessie, mas Edward descobriu e proibiu a entrada da jovem em sua casa, também tomou o seu celular e a proibiu de usar a internet, só podia sair de casa com o novo segurança, o Garrett. Se fosse para um lugar mais longe que o parque, Esme a acompanhava, juntamente com Marta. Ninguém falava sobre sua gravidez, do mesmo jeito que ninguém perguntava pelo bebê, somente a perguntavam como estava.

– Diga ao Garrett que quero ir ao parque, mande aquela porcaria arrumar o carro para sairmos.

– Claro! – Marta disse sem contrariar a menina.

Bella até tentou induzir o jovem Garrett a fazer sua vontade e ajuda-la, mas o cara era como um cão fiel ao dono. Ele seguia detalhadamente todas as ordens que lhe eram dadas. O parque estava quase deserto, não havia muito movimentação ali, apenas algumas pessoas e crianças. Garrett estava vigiando Isabella de longe, ela estava sentada em um banco e observava as crianças brincarem, acompanhadas de suas mães e até mesmo babás. Fora impossível não imaginar que talvez um dia estivesse no lugar de alguma daquelas mulheres, seria ela que estaria olhando o filho brincar na caixa de areia, escorregar no escorrega ou até mesmo balançando no pequeno balanço.

Isabella suspirou e sentiu o vento tocar em seu rosto, levou uma das mãos para o ventre e acariciou o local, enquanto um sorriso tímido brotava em seus lábios ao saber que ali tinha um pequeno pedaço  seu e dele, mesmo tudo indicando que não, Bella sentia que ali dentro existia vida. Ficou mais um pouco observado o movimento do parque e então se levantou e caminhou em direção ao carro.

– Vamos!

(...)

– Ela não aceita. – Edward murmurou completamente frustrado, deixando a cabeça tombar para trás. – Eu já tentei de todos os jeitos Emmett, mas ela não aceita.

Edward estava jantando com a irmã e o cunhado, Isabella se recusou a ir e disse que não queria receber mais olhares de pena e compaixão. Ele até poderia insistir que fosse, mas isso só geraria mais outra discussão, e, nos últimos dias, o que sempre faziam era brigar.

– Talvez ela esteja realmente grávida. – Falou Rose. – Olha irmãozinho, eu não sou a maior fã dessa garota. – Achou melhor deixar isso bem claro. – Mas nós, mulheres, entendemos muito mais disso do que vocês homens, se ela  diz que sente que está realmente grávida, pode ser verdade sim, talvez tenha mesmo uma chance de isso ser real.

– Rose, eu entendo que esteja tentando conter essa situação. – Edward enterrou as mãos nos cabelos, puxando-os levemente. – Mas ela vai todos os meses no médico e Stefan diz sempre a mesma coisa. É impossível que esteja enganado, se fosse um engano ele já teria notado, pois ela supostamente vai fazer quatro meses. Quatro meses que estamos nessa maldita tortura e que ainda está longe de ter fim.

– Desculpe, só queria ajudar.

– Eu sei. Você e a mamãe estão sempre tentando me ajudar, mas esse problema não tem solução, ela não está grávida e não há bebê algum.

O silêncio tomou conta da sala. O único barulho que se ouvia era os saltos finos de Rose no piso, quando saiu da sala e foi para a cozinha.

– E se fosse verdade? – Emmett perguntou quebrando o silêncio. – E se ela realmente estivesse grávida de um filho seu? Você estaria pronto para ser pai?

A pergunta de Emmett pegou Edward de surpresa. Quando ele descobriu sobre a gravidez, tudo o que pensou fora que Isabella sofreria no final da gestação e não queria isso para ela, pois sabia que ela se apegaria ao feto que não existe e quando a grande hora chegasse, sofreria bem mais do que ele. Nunca havia realmente pensado se estava pronto ou não para ser pai, não queria cometer os mesmos erros que Carlisle cometera com ele, mas  também não queria deixar o filho fraco e impotente para o mundo ali fora. A verdade era que nunca tinha se visto como pai, tudo estava girando apenas em torno de Isabella e seu bem estar, ela era sua prioridade naquele momento.

– Eu não sei. – Respondeu suspirando. – Sempre pensei em Isabella desde o primeiro momento, ela vai sofrer muito quando todo esse inferno acabar e preciso ser forte por nos dois ou será ainda mais difícil para ela.

– Em relação a isso você tem razão, ela irá sofrer muito, só não esqueça que precisará de você.

– Penso nisso todos os dias. Bellla não sorri mais e isso está me matando por dentro.

– Tente entender que ela acha que está grávida.

– Eu só queria que ela acreditasse! – Suspirou frustrado. – Seria tão mais fácil se ela acreditasse.

(...)

 Isabella estava na sala e sobre suas pernas estava uma caixa com lã, ela mesma começou a tricotar os sapatinhos do filho. Marta havia lhe explicado como se usava as agulhas de tricô, mas não imaginara que era para aquilo, pois ela sabia que Edward ficaria bem furioso, porém ao ver a menina sorrindo lindamente ao fazer o pequenino sapatinho de tricô na cor azul, fez com que se comovesse e não dissesse nada para o chefe.

Marta voltou para a cozinha e estava preparando o jantar, pois Jéssica não havia ido trabalhar, alegando que estava doente. Bella se encontrava tão distraída que não viu Edward entrando em casa, não ouviu os passos dos seus pés no chão de madeira e não ouviu a porta sendo aberta. Quando se deu conta, à caixa que estava em suas pernas fora lançada bruscamente contra o chão da sala.

– Me diz por que você faz isso? – Edward gritou bastante descontrolado. – Você não vê que só vai se machucar ainda mais? Não existe bebê! – Gritou assustando Isabella. – Dentro do seu ventre não tem bebê algum! Vê se entende isso de uma vez por todas.

Já havia alguns dias que Isabella não falava mais sobre a gravidez. Antes ela até tentava convencer Edward e os outros de que estava realmente grávida, mas como parecia ser inútil, preferiu então o silêncio. Bella olhou para sua caixinha de lã caída no chão, então direcionou o seu olhar a Edward que tinha uma feição estranha, ela não conseguiu identificar se era raiva, pena, ou até mesmo as duas coisas juntas. Sem dizer nada, Isabella saiu da sala chorando e se dando conta que as coisas não estavam nada bem entre eles e só piorava, cada vez mais, com o passar dos dias.

Continua...

Um comentário:

  1. O que acha que precisa ser melhorado?

    Nadaaaaaaaaaaaaaa >

    O que mais gostou no capítulo?

    OMG**

    run run ¬¬' Edward querido você e um completo IDIOTA !
    como pode falar assim com ela seu insensivel ?! você devia estar ao lado dela e compriende-la e levar ela a outro medico pra avaliar isso porque isso me cheira a MENTIRA PURA desse doutor Stefan ¬¬' ... IDIOTA " Isso que você é ! e namoral eu tenho a total certeza de que a bella esta SIM grávida seu MOGOOOL ¬¬' Homem tudo besta ! AFF'-' quero só ver na hora do parto HAHA' quando vinher um menino .
    PS : Linçença não e tirando o seu lindo trabalho não viu eu amo o que você escreve mais quando li esse capitulo ja ate imagino a cena do parto da bella ai ai esta chuvendo e só bella e a marta em casa ai ela entra em trabalho de parto e tal.z e da a luz a um bebê e quando o bebê nasce o Edward junto com todo mundo entra no quarto e fica chocado com a cena HAHAHAHA' eu imaginando ia ficar muito legal então pensa dando opinião aqui KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK' .... ♥ .. em falar nisso POSTAAAAAAAAAAAAAA MAAIS Hoje por favor vai geral comentando vai posta por favor por favor e alias posta nas suas outras fic tambem cara ta demaiiiiis amando muito tudo isso :) kkk' posta mais principalmente nas mais HOOOOT(66 ¬¬' kkkkkkkkkkk ' AMANDOOOO ^^ Bjjjinhooooooooos***

    ResponderExcluir