Jul M

Oi

domingo, 21 de outubro de 2012

O Casamento-- Capitulo 19 -- Meias Verdades

Meias verdades.

O dia amanheceu chovendo e Isabella não estava bem, sua feição era triste, Edward nada disse achou que fosse pela noite de ontem, mas mal sabia ele que não tinha nada a ver com a noite passada, pior é que ele nem fazia ideia do que realmente estava acontecendo. Anthony fora o único que conseguiu arrancar um sorriso dela, mas ainda era aquele sorriso amarelo, a roupa hoje ela parecia ter pegado a pior, uma saia longa e um suéter grande que deixava ela sem formas e sem curvas, o cabelo mal fora penteado, sua aparência estava horrível, por um lado a roupa horrível cobria as marcas que foram deixadas pelo marido na noite passada, por outro lado ela estava feia, bem mais feia do que os outros dias.

_ Está se sentindo bem? - Edward perguntou e ela apenas acenou com cabeça um sim. - você está estranha! - Ele comentou.
 Ela nada  disse, deixou de lado o café que mal tinha tocado e ficou de pé, estava na hora de ir para o trabalho, Edward fez o mesmo e ambos desceram levando Anthony junto para poder ir para a escola o menino fora deixado lá e eles seguiram, ela estava calada bem mais do que o normal, e assim que entraram na empresa fora impossível ela não chamar a atenção, Edward não gostava de nada, ele tinha medo do que se passava naquela cabeça que tão pouco ele conseguia entender ou prevê seus pensamentos. Ele a deixou na sala dela, Isabella parecia uma morta viva, não que ela não se comportasse assim todos os dias, mas hoje parecia que tinha algo errado, durante o caminho todo ela não disse nada, era como se o pensamento estivesse longe e de fato estavam bem longe, muito longe.

_ Se você não está se sentindo bem vá para casa! - Edward disse olhando ela – Bella é sério, você não parece bem!

_ Eu estou bem! - Ela disse voltando seus olhos para o computador e o ligando.

Edward saiu indo para a sala dele, não era normal alguém ficar assim, se fosse pela noite de ontem ela teria falado, teria xingado e o acusado de abusar dela, mas nada fora dito, ela estava calada e quieta sua mente parecia vagar e seus olhos pareciam ver o além, não era normal.
....

Edward passou a manhã toda preocupado com Isabella e a situação piorou quando Irina entrou em sua sala toda saltitante e feliz, quando Edward perguntou o que tinha a deixado tão feliz, a jovem simplesmente disse que viu a baranga que ele tinha como esposa chorando no banheiro. Ele teria ficado bravo ou nem se importado, mas ele ficou preocupado afinal  ela estava estranha e isso o estava deixando inquieto. Na hora do almoço ele fora atrás dela, queria saber o porquê do choro e se ele tinha culpa, não era do seu feitio se preocupar com alguém, mas ele não sabia o que fazer afinal ela realmente poderia não ter gostado nada do que aconteceu na noite passada, mas se ela não tivesse gostado teria xingado ele logo pela manhã, Edward estava pirando, nunca imaginou que Isabella fosse tão complicada. Ele entrou no refeitório da empresa chamando a atenção de todos ali, procurou por Isabella e não a viu, mas achou a sua amiga almoçando com mais duas funcionárias.

_ Senhorita Weber! - Edward chamou sua atenção — sabe onde está a senhora Cullen?

 Ângela achou estanho ele ter chamado por ela, achou mais estranho ainda ele saber seu nome, levou um tempinho para ela conseguir organizar as palavras e poder falar o que ele queria.

__ Bella fora para o banheiro! - Ela disse - ela não estava se sentindo bem!
No tom de voz da jovem Edward soube que tinha algo a mais e que ela não ia dizer, mas ainda assim agradeceu a informação e saiu em direção á saída do refeitório, claro que após a sua saída os comentários foram em torno do senhor Cullen falando com a secretária pessoal do pai, e pior ainda, falando que  fora atrás da esposa feiosa, mas definitivamente Edward não se importou com nada disso, apenas seguiu para o banheiro batendo na porta, quando não veio resposta ele soube que estava vazio e entrou fechando a porta. Ele olhou em volta e só encontrou uma cabine fechada e deduziu que Isabella estava ali, e bateu na porta.

_ Bella abre! - Ele pediu - Cher¹ abre, por favor! - nenhum som veio do lado de dentro - Bella se você não abrir agora eu vou colocar essa porta abaixo! - Ele ameaçou.
Não houve resposta, ele suspirou e empurrou a porta com força, arrombando-a.

_ Merda! - Ele disse ao ver Isabella desmaiada no chão - eu sabia que você não estava bem!

 Edward mais do que depressa se abaixou e viu os pulsos da jovem que estava normal e para seu alívio estava tudo bem, sua pulsação estava normal, mas não havia motivo para o desmaio. Ele a carregou no colo e caminhou para fora do banheiro, fora impossível não chamar atenção, afinal ela estava desmaiada e sendo carregada pelo marido, todos olharam para ela e logo a notícia se espalhou pela empresa, Edward levou Isabella para sua sala a colocando deitada no sofá, ordenou a Irina para chamar o médico da empresa e não demorou muito para o velho homem entrar na sua sala sendo seguido por Carlisle e Jasper.

_ Afastem-se! - Amum disse, ele era médico da empresa a quase  50 anos. - ela comeu alguma coisa? - Ele perguntou dando início aos exames.

_ Quase nada! - Edward disse - se ela não tomou café direito eu duvido muito que tenha almoçado direito.

Ângela entrou na sala olhando assustada para o estado em que a amiga se encontrava.

_ Ela está bem? - Ângela perguntou.

_ Ainda não sabemos! - Edward disse olhando Amum fazer o seu relato.

_ Edward, marque esses exames para ela! - Amum entregou -   e compre essas vitaminas para ela, a menina está muito pálida, ela apenas desmaiou, ela não deve demorar a recobrar a consciência então deem espaço para ela, não a sufoquem! - O velho homem sorriu - outra coisa, pegue mais leve com ela, essas manchas vão demorar a sumir, recomendei uma pomada para isso!

Outra pessoa ficaria constrangida com o comentário do médico, mas Edward apenas sorriu e acenou com a cabeça. Carlisle e Jasper assim como Ângela ainda estavam na sala, Isabella parecia dormir e não alguém que tinha desmaiado por falta de comida no estômago.

_ Irina liga para o restaurante e peça uma comida reforçada e algo com caldo! - Edward avisou a secretária por telefone. — acho que vocês já podem ir! - Edward avisou querendo tirar eles da sala.

_ Edward quando ela acordar quero ser informado! - Carlisle disse - e por favor, mande-a para casa, não acho que ela tenha condição para continuar trabalhando.

_ Com toda certeza ela vai para casa! - Edward disse.

_ Diga que desejo melhoras! - Jasper disse saindo junto com Carlisle.

 Carlisle poderia retrucar com o filho, mas achou que seria o momento para eles dois e depois do comentário nada discreto de Amum era melhor deixar ele e a esposa, sozinhos. E assim saíram, Ângela continuou na sala, fora até a amiga e passou as mãos pelos cabelos dela, estava pálida de fato.

_ O que ela tem? - Fora Edward quem perguntou, chamando a atenção dela.

_ O médico disse que fora fraqueza! - Ângela disse.

_ Não é isso! - Edward disse e Ângela virou — há algo a mais, ela mal tomou café, estava longe o tempo todo, o corpo presente, mas a mente longe, Ângela você é amiga dela há um longo tempo, você sabe o porquê disso tudo e eu quero saber! - Ele disse aumentando o tom no final.

_ Você tem que perguntar para ela Edward! – ela o chamou pelo primeiro nome já que ele a chamou assim — eu não vou falar sobre a vida dela, converse com ela e se ela quiser te dizer ela te dirá. — Ângela caminhou para a porta — peça para ela me ligar quando acordar ou quando estiver melhor! — Ângela se preparava para sair, mas se virou para Edward — ela não está bem Edward, você devia ficar ao lado dela hoje, amanhã ela vai estar bem, mas hoje não é o seu melhor dia.
Edward tentou perguntar o porquê disso, mas Ângela já tinha partido ele olhou para a mulher apagada no seu sofá e até mesmo inconsciente ela parecia triste e distante. Ele suspirou frustrado e esperou o pedido com a comida dela chegar, por sorte não demorou muito a chegar, ele arrumou tudo sobre a mesa e colocou a sopa que havia chegado bem á frente, ela precisava de algo que lhe desse força. Ele caminhou até o sofá e tocou o rosto da jovem com as  pontas dos dedos fazendo carinhos em seu rosto.

_ Mon Cher, mon Cher², hora de acordar! - Ele sussurrou próximo ao seu ouvido.

 Parecia estranho ver ele assim tão atencioso com ela, justamente com ela aquém ele parecia não se importar nenhum pouco, mas ai estava todo carinho, nem mesmo Edward conseguia dizer o porquê de tanto zelo com a jovem, apenas sabia que ela precisava de atenção hoje, e não fora só por que a amiga dela disse, mas ele viu assim que ela saiu da cama.

_ Bella Cher! - Ele disse de novo só que dessa vez ela abriu os olhos — que bom que acordou Cher! - ele sorriu - me deu o maior susto.

_ Onde estou? - Ela perguntou tentando se levantar, mas Edward a manteve deitada — o que aconteceu?

_ Você desmaiou dentro do banheiro! - Edward disse ajudando ela a se sentar — Amum  examinou você, disse que o que causou o desmaio fora a falta de comida! - Edward olhou feio para ela — já pedi comida para você e você comerá tudo!

 Bella fez uma careta, mas aceitou a ajuda dele, quando ele a conduziu em direção á sua mesa e colocou-a de frente para ele e lhe entregou o prato de sopa.

_ Toma tudo! - Ele disse — você precisa melhorar essa aparência, está pálida demais Cher!

_ O que? - Ela perguntou.

_ Que você está pálida! - Ele disse.
_ Não! - O que disse no final - Che... che...
_ Cher!
_ Isso! O que quer dizer? - Ela perguntou.
_ Cher? Querida! - Ele disse — mon Cher seria o certo, que quer dizer minha querida em francês.
_ Você fala francês? - Ela perguntou.
_ Francês, italiano, espanhol e alemão! - Ele sorriu — sou bem fluente Isabella, eu conheço pessoas do mundo todo tenho que saber falar outros idiomas.
_ Entendo! - Ela disse se voltando para a sopa e dando fim aquela conversa.

Edward se manteve calado, apenas observando ela o tempo todo, Isabella parecia estar com fome, comeu boa parte da comida e bebeu metade da garrafa de água que ele havia pedido junto, quando ela terminou, ele  recolheu o resto das coisas e jogou no lixo. Isabella ficou de pé e se preparava para sair da sala dele quando as mãos dele a seguraram pelo ombro.

_ Onde pensa que vai? - Ele perguntou a fazendo virar o rosto para olha-lo — você foi liberada o resto do dia, meu pai mesmo liberou você.
_ Carlisle sabe que passei mal? - Ela perguntou surpresa.
_ Cher toda a empresa sabe! - Ele disse como se fosse algo previsível — sai carregando você do banheiro, logo todo mundo sabe.
_ Ai! - Ela gemeu ao imaginar — Ângela, ela sabe?
_ Sim! - Esteve aqui! — ele disse voltando para a sua mesa e pegando o seu casaco! — vamos vou levar você!
_ Mas e o seu trabalho?
_ Amanhã eu termino! - Ele disse já do lado dela — vamos Isabella.

Questionar pra que? Ela sabia que ele era mais forte e ela acabaria sendo levada por ele e poderia ser bem pior sair da empresa carregada pelo marido.
.....
Em casa, Isabella fora direto para o quarto, tomou banho e se deitou na cama, Anthony ficaria na casa da avó, coisa de última hora de Elizabeth que planejava outra reunião pra exibir o neto. Edward deu alguns telefonemas para marcar os exames da mulher, tudo fora agendando para a semana seguinte, na parte da tarde, seria perfeito já que seu primo estava viajando ela poderia ir sem deixa ele na mão. Edward falou para Sue fazer alguma comida com caldo, ele achava que Isabella ainda estava fraca demais e então ele subiu para o quarto encontrando Isabella encolhida na cama coberta pelo grosso cobertor.

_ Com frio? - Ele perguntou.
_ Um pouco!
_ Quer que eu aumente a temperatura do aquecedor?
_ Não, eu estou bem aquecida aqui! - Ela disse dando um sorriso ainda fraco.

Edward fora para o banheiro e tomou um banho rápido e se vestiu colocando uma calça solta de moletom e uma camisa regata branca, secou os cabelos e jogou a toalha no cesto de roupa suja, voltando para o quarto e indo em direção á cama. Isabella observou cada movimento dele, ainda era cedo, três da tarde, mas com o tempo fechado e chuvoso do jeito que estava parecia ser bem mais tarde. Edward sentiu vontade de perguntar, sim ele queria saber o porquê dela estar assim, mas achou melhor não perguntar ele ainda tinha o arquivo em seu notebook com várias informações sobre ela que ainda não foram lidas e ele iria fazer isso assim que ela dormisse.

_ Você não...
 Ele não a deixou terminar, apenas puxou o corpo de encontro ao seu fazendo ela se aconchegar em seu peito, sem esperar por uma resposta dela ao seu ato ele apenas ficou ninando ela e cantarolando algumas músicas até que ela dormisse. E foi isso que aconteceu, Isabella dormiu profundamente em seus braços, ela podia sentir medo outra hora, mas agora, naquele momento pelo estado de espírito que ela estava passando aquele era o melhor lugar para ela estar. Edward ficou mais um tempinho ali deitado com ela até que se levantou indo até a escrivaninha que ele tinha ali no quarto no canto esquerdo e ligou o seu notebook e esperou, assim que tudo estava ligado ele fora direto para a pasta onde continha as informações sobre Isabella, no começo do relatório era tudo normal, nada do que ele já não sabia, mas lá para o final do relatório fora que as coisas mudaram, uma informação que não tinha sido apresentada em seu primeiro relatório sobre a menina, algo que deixou ele assustado e ao mesmo tempo com pena da jovem Swan, seus olhos foram direto para a jovem que dormia calmamente na cama, ela parecia estar triste mesmo dormindo.

_ Mon Cher, mon Cher, como pode ter passado por tudo isso em tão pouco tempo! - Ele sussurrou ao terminar de ler o relatório. — oh, tão minuscule et  sans défense³.

 Edward manteve os olhos no tela do seu note, parecia que estava errado sobre Isabella, ela tinha sim um grande motivo para ser como era, para ser amedrontada e para ser assim tão frágil. Ele passou as mãos pelos cabelos em um gesto de angustia, por um lado ele havia encontrado as respostas para algumas de suas dúvidas, mas por outro lado estava sentindo raiva e ódio, Edward estava tão perdido em seus pensamentos e dor que só se deu por si com o grito de Isabella que havia acordado assustada.

_ Não, não faz isso! - Ela gritou sentando de vez na cama com os olhos abertos e assustados.

 Continua...

Notas finais:

“¹Cher que dizer querida em Frances”

“²mon Cher que dizer minha querida”

“³minuscule et sans  défense que dizer pequenina e indefesa”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário