Jul M

Oi

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

O Casamento -- Capitulo 16-- Implicância


Implicância
 Naquela manhã Edward não esperou Bella para tomar café e nem mesmo a esperou para ir para a empresa, ele fora sem ela deixando-a para trás. Ligou para Paul levar Anthony para a escola e deixou claro que Bella não iria com ele no carro, se ela questionasse era para dizer que a ordem fora dele. Antes de sair ele também deu ordem para Tia e Sue não atenderem nenhuma das ordens da esposa, poderia ser infantilidade dele, mas ele estava se vingando dela e tocaria onde mais doía nela.
 Bella chegou atrasada  na empresa e inventou uma desculpa para Jasper que sabia que era mentira, por que Isabella mentira mal, mas ele fingiu acreditar só para não constranger a jovem. O dia fora péssimo para Isabella, por muito pouco não perdeu a cabeça com a recepcionista Lauren que parecia fazer gosto em falar em alto e bom tom mal dela para quem quisesse ouvir, inclusive ela. Depois tinha a vadia que dizia ser secretária do marido dela, que proibiu a sua entrada na sala dele. E no final do dia Isabella estava estressada e com muita, muita raiva de Edward Cullen.
_ Bella você está bem? - Ângela perguntou olhando para a amiga, elas estavam paradas na entrada da empresa esperando o táxi, Ângela convidou Bella para ir á uma festa na casa do namorado Ben.
_ Estou! - Ela disse batendo o pé no chão.
_ Você está com cara de que vai matar alguém! - Ela disse rindo.
 Ah, mais Bella bem que queria matar alguém e esse alguém seria Edward Cullen, mas ela se contentava em só deixar ele com raiva. Do mesmo jeito que ela estava agora, mas parecia que o destino estava conspirando contra ela, Anthony não estaria em casa essa noite, era dia dele ficar com a avó Elizabeth que estava em mais um dos seus jantares entre as amigas da alta classe e ao mesmo tempo em que ela esperava o táxi com a amiga, que estava atrasado, fora o mesmo tempo que Edward saiu do elevador sendo seguido pela secretária e o amigo Emmett McCarte. Edward não teve nem a decência de disfarçar, abriu a porta para Irina entrar e seguiu para o banco do motorista.
_ Bells...
_ Eu sei Angel, eu estou vendo! - Ela disse ríspida com a amiga.
 Logo depois de Edward sair com o carro sendo seguido por Emmett o táxi delas chegou. Já na festa Bella fora apresentada a alguns amigos de Bem, mas ninguém era interessante o bastante para ela querer conhecer ou puxar papo e para descontar a raiva dela fora direto na tequila, as primeiras doses lhe desceram cortando a garganta, depois já nem sentia mais o efeito, e mais uma vez ela estava bêbada, não bêbada demais para não saber onde morava, mas bêbada demais para fazer qualquer besteira de novo. Ângela ajudou Bella a pegar um táxi e explicou onde a amiga morava, já passava da meia-noite quando Isabella saiu da festa indo para casa. Assim que entrou no prédio o porteiro logo a reconheceu, mas nunca imaginou ver a senhora Cullen em estado tão alto de embriagues, ela seguiu descalça para o elevador, nem ela lembrava onde tinha deixado os sapatos, seguiu dentro do elevador e esperou até chegar ao seu andar e saindo dele meio torta caminhando em direção á porta.
 Se da primeira vez ela tentou chegar de mansinho e em silêncio, sem ser notada, dessa vez ela fez questão de fazer barulho, mas para sua surpresa não havia ninguém em casa a não ser ela, que acabava de chegar. Bella caminhou em direção ao quarto ela sabia que precisava de um banho, ela não estava tão bêbada assim, mas queria ver a cara dele quando a visse nesse estado, assim ela poderia dizer algumas verdade sem sentir medo dele. Mais fora perca de tempo, ele não estava em casa. Ela sentou na cama e esperou o seu coração se acalmar, ela tinha todo discurso moralítico e ético para jogar na cara dele, mas não poderia dizer. A raiva tomou conta dela e para não fazer besteira ela começou a tirar a roupa e jogar pelo quarto, quando estava completamente nua ela seguiu para o banheiro, precisava de um banho e teria que ser um banho frio ou iria enlouquecer.
Bella não sabia dizer quanto tempo ficara debaixo do chuveiro, mas fora tempo suficiente para Edward chegar em casa e tomar banho no quarto do filho, o quarto deles continuava do jeito que Isabella deixou, roupas espalhadas por todo o lado, roupas que ela estava vestida e Edward sentado numa poltrona ao lado da porta.
_ Oras você chegou! - O sarcasmo estava na voz de Isabella – espero que sua noite tenha sido tão divertida quanto a minha, querido! - Ela disse e os olhos de Edward percorreram o corpo dela enrolado na toalha.
 Como se analisasse ela detalhadamente buscou algo em seu rosto e corpo que pudesse indicar que ela estava traindo ele com outro, mas nada fora achado, todas as marcas que tinham no corpo dela fora deixado por ele á três noites atrás.
_ Talvez! - Ele disse ficando de pé — e o seu dia como foi, querida!
Edward com toda certeza nunca ouviu o ditado não provoque a onça com vara curta por que se não será ferido. Assim que ele terminou de fazer a pergunta o tapa lhe acertou em cheio sua face do lado direito.
_ Estúpido, idiota, cretino...
Vários palavrões saíram da boca de Isabella, que esmurrava seu peito como podia e como conseguia, Edward sentiu o cheiro forte de álcool, ela havia bebido de novo, mas ao notar seu estado, ele podia afirmar que ela não estava tão bêbada, o banho a fizera bem, deixou seu corpo mais solto e livre de boa parte do efeito do álcool. Ele não podia negar que a jovem tinha a mão pesada e que seu rosto ainda estava ardendo devido ao tapa, tentou controlar ela, Edward segurou as suas mãos e a sacudiu, tentou controlar fera que tinha como esposa.
_ Ficou louca? - Ele gritou sacudindo ela.
_ Não, você ficou louco se acha que vou aceitar as suas traições! - Ela gritou mexendo o corpo tentando se soltar do seu aperto.
_ Está com ciúmes minha querida? - Ele provocou ainda mais a fera.
_ De você? - Ela gargalhou — foi uma ótima piada, mas de você eu só sinto pena.
_ Pensei que me odiasse! - Ele disse chegando o rosto mais perto dela — me pergunto como pode sentir pena de mim, sendo que eu tenho tudo o que quero.
_ Você é um verme! - Ela disse entredentes.
_ Sei, um verme que você soube gemer o nome enquanto te comia - ele disse sem o menor pudor.
_ Eu estava bêbada! - Bella tentou se defender, o fazendo sorrir.
_ A primeira vez tudo bem! - Ele disse roçando os lábios no rosto dela — mas e a segunda vez fora por que mesmo? - Ele mordeu sua bochecha e soltou suas mãos. — você me da pena Isabella! - Ele disse se afastando — não quero você nesse quarto, durma no do Anthony!
Isabella ficou bestificada e parada no mesmo lugar, levou algum tempo para as palavras fazerem sentindo, nesse curto tempo Edward já estava deitado e com os olhos fechados. O que fora mesmo que aconteceu naquele quarto? Isabella bufou quando a verdade veio com tudo em sua cara, ele tinha feito de novo, humilhado ela mais uma vez com seu jeito grosseiro e petulante. Isabella saiu do quarto sem ao menos colocar sua roupa de dormir, ela não queria ficar no mesmo ambiente que ele mais tempo e perder tempo colocando a roupa era ficar mais tempo naquele quarto.
.....
 A semana fora passando rápido demais, ela e Edward quase nunca se falavam e quando falavam era para falar sobre Anthony que estava fazendo terapia com Stefan King o novo psicólogo do menino e médico, ele era bem animado e sempre tratou Bella com certo carinho que não passou despercebido pelo pequeno grande homem, era sábado dia do jantar que Carlisle tinha dito, Edward sabia que seria uma nova briga com Bella, ainda mais se ela batesse o pé dizendo que não iria.
_ Deseja comer alguma coisa senhor? - Tia perguntou ao entrar na sala.
_ Não obrigado! - Ele disse sem tirar os olhos do jornal.
 Era quase meio-dia, Bella já devia ter chegado com Anthony da terapia. Edward já tinha pedido para Sue ficar essa noite, avisou que teria um jantar na casa do pai e que Anthony não poderia ir por que era á noite. Claro que Sue e Tia haviam notado o comportamento do casal nos últimos dias, Bella praticamente tinha se mudado para o quarto de Anthony, coisa que não passo despercebido aos olhos de Sue, tinha roupas dela misturada com as do menino, mas nada ela disse sobre isso á patroa. Quando a porta da frente fora aberta, Anthony entrou correndo em direção ao pai e pulando em seu colo sem se importar com o jornal que ele tinha nas mãos.
_ Anthony, onde estão seus modos? - Ele repreendeu o menino que ficou com os olhos arregalados.
_ Anthony amor! – Bella o chamou entrando com algumas sacolas nas mãos — ajuda a mamãe com seu presente meu amor! - ela disse e ele foi correndo — leva para o quarto! - Ela disse segurando uma rosa vermelha na mão.
_ Está bom! - Ele disse animado — é para eu levar a flor também? - Ele perguntou em dúvida.
_ Oh claro! - disse entregando a rosa para ele — cuidado, tem espinhos!
_ Tudo bem! - Ele disse animado.
Claro que ele saiu arrastando as sacolas escada acima, Bella sorria ao ver o modo desajeitado como ele levava as sacolas com as roupas e o brinquedo dele. Edward tinha os olhos nela, tinha algo estranho em Isabella, ele só não sabia dizer o que?
_ Como foi a consulta? - Ele perguntou.
_ Normal! - Ela disse colocando a bolsa sobre á mesa de canto perto da escada — Anthony está tendo um grande avanço e é isso o que importa.
_ Anthony que lhe deu aquela flor? - Ele perguntou, ele queria fazer essa pergunta desde a hora que ela entrou com a rosa na mão.
_ Não papai! - Anthony disse surgindo na sala — fora o tio Stefan que deu pra mamãe a flor.
_ Interessante! - Ele disse tendo os olhos sobre Isabella — agora anda ganhando presentes do médico do seu filho?
_ Pois é! - ela disse sem se importar — já que o meu marido não dá os da rua dão! - Ela pegou Anthony no colo e beijou o seu rosto — vamos comer? - O menino sorriu.
_ Vamos!
...
Edward  não gostou nada do comentário da esposa, mas ficou observando ela o almoço todo, pela tarde ela levou Anthony para o parque que fica ao lado do prédio só para ele se enturmar com as outras crianças, recomendação do médico. Quando eles voltaram quase no final da tarde, Anthony estava todo sujo de sorvete e feliz, Bella o levou direto para o banho, o jantar na casa do pai seria ás oito e ele ainda não sabia se a esposa iria ou não, e ainda era cedo para começar uma confusão por causa disso.
Bella desceu com Anthony vestido no pijama e o levando para a sala de jantar, onde o jantar estaria servido. Ás sete Edward começou a se arrumar e vendo Isabella sentada na sala com Anthony vendo desenho na tevê ele soube que ela não iria com ele. Com um suspiro de frustração ele desceu a escada e fora até Anthony dando um beijo em sua cabeça.
_ Vejo você mais tarde! - Ele disse para o filho, mas o comentário soou melhor para Isabella.
Já na festa Edward chegou sozinho, isso não passou despercebido aos olhos de todos ali presentes, a casa do pai estava cheia de empresários e pessoas importantes que faziam parte da empresa, alguns eram sócios, outros apenas clientes, mas estavam lá. Kate Denali estava lá no grande salão, assim como Jasper e sua noiva Alice Brandon e claro Rosalie Halle, prima dele, estavam todos no mesmo lado e conversando entre si. Do outro lado do salão estava Ângela e o namorado Benjamim Erick Young também funcionário da empresa, Lauren a recepcionista também estava lá desfilando em um lindo vestido dourado que com toda a certeza tinha comprometido todo o seu salário do mês. Perto do pai e a esposa Esme, estavam Aro Volturi, Peter e esposa Charlotte que estavam na cidade, Félix e Demitre filho e sobrinho de Aro, Demitre era filho do irmão Caius Volturi, claro havia mais pessoas nessa festa, mas não era de todos que Edward lembrava.

_ Edward! - Peter fora o primeiro a cumprimentar! — como vai caro amigo?
_ Vou muito bem! - Ele disse dando um sorriso e se virando para Charlotte – e você caro amigo como está?
_ Melhor impossível! - Ele disse — onde está a doce Isabella? Não acredito que a deixou em casa e veio para uma festa sozinho!

 Peter não fora nada discreto ao comentar isso e claro chamou a atenção dos outros, ficou feliz de ter visto que o pai e a esposa não estavam mais no meio dos amigos, tinha saído para receber outros convidados que acabaram de chegar.

_ Verdade! - Demitri comentou — ouvi dizer que a sua mulher é a última aberração da natureza meu caro amigo, que de todas as mulheres ela seria a última a agradar um homem em quesito beleza.

 Claro o comentário de Demitre fora de propósito, havia uma velha rivalidade entre os dois, afinal Edward acabou pegando a namorada de Demitre e isso ele nunca perdoou. E fora que Demitre era um dos garotos que vivia curtindo de Edward e sacaneando ele na escola, claro que Edward se vingou de cada um deles da maneira onde mais doía neles, e nesse caso fora roubando de cada um deles suas doces namoradas.

_ Isso é mentira! - Peter disse — Isabella é um encanto de pessoa.

Edward ficou aliviado pelo amigo ter intercedido em seu socorro.
_ Lamento ir contra você querido Peter! - Rose disse chegando perto — mas Isabella Swan está longe de ser a beleza em pessoa.

 Demitri sorriu e puxou a velha amiga para perto lhe beijando o rosto e encarando Edward com um sorriso debochado.

_ Eu duvido disso! - Aro disse — Edward sempre teve bom gosto para mulheres, não iria fracassar agora em pleno casamento.

 Edward estava no meio das víboras e todos ali queriam ver ele envergonhado novamente, nunca teve amigos e a prova viva era o modo como todos eles tentavam esconder o sorriso debochado preso nos lábios deles. Ele suspirou aliviado por Isabella não estar com ele, afinal seria mais humilhante para ela do que estava sendo para ele, sentiu alívio de não ter forçado ela a ir com ele nesse jantar, mesmo sabendo que seria importante para ele se ela estivesse ao seu lado.

_ Então Edward! - Kate Denali chegou mais perto de onde eles estavam — soube que sua esposa é uma assassina da moda e do bom senso!

_ Isabella apenas tem seu próprio modo de se vestir! - Ele disse — ao contrario de vocês minhas queridas, que são escravas da moda!

_ Apenas temos bom gosto querido! - Rose disse bebendo de sua bebida — coisa que sua esposa nunca soube o que é!

_ Senhoritas vamos deixar a senhora Cullen fora dessa conversa! - Peter disse — afinal por que falar de quem não está aqui.

_ Parece- me que não! - Rose disse — veja quem chegou!
                           

 Todos olharam para a porta de entrada onde Isabella estava, ela usava um sobretudo preto e seus cabelos estavam soltos, de longe Edward viu sua esposa e suspirou em fracasso, Isabella seria a piada noite sem dúvidas. De longe dava para ver que ela quase não usava maquiagem, mas ainda assim havia um brilho em seu rosto que a deixava encantadora. Edward fazia súplicas mentalmente para ela não retirar o sobretudo, mas assim que viu ela desfazendo o nó que o deixava fechado, abrindo e removendo o casaco, Edward fechou os olhos ele não queria ver e sabia que os comentários começariam, mas nada fora dito, então ele voltou a abrir os olhos para encontrar Isabella dentro de um vestido branco curto, mas nada vulgar e com alguns detalhes que parecia renda, era simples sem dúvida, mas encantador e nela ficara ainda mais, as alças eram grossas toda em branco e os sapatos eram pretos.
 Carlisle conversava com ela, assim como Esme parecia falar algo engraçado já que ela sorriu e logo depois ganhou um tom vermelho na face, Isabella ficara constrangida com elogio do sogro e de Esme que era como uma segunda mãe mesmo não tendo tanto contato com ela. Bella procurou em volta até avistar o marido em volta daquelas pessoas, ela conhecia algumas por nome, mas outras nunca tinha visto, assim como uma loira que olhava sem desviar o olhar da jovem. Junto com Esme ela caminhou em direção onde o marido estava e sorriu gentilmente para todos.

_ Minha bela dama! - Peter fora o primeiro a dizer — sua beleza sempre me encanta!
_ Obrigada Peter! - Ela disse dando um sorriso meio que sem graça.
 _ Mas me diga por que não veio com Edward? - ele quis saber, assim como todos.
 _ Meu marido pode ter tudo meu caro Peter, mas a única coisa que ele não tem é paciência de esperar eu me arrumar! - Todos riram do comentário dela, quer dizer quase todos.
 _ Mas vejo que a demora valeu muito a pena! - Peter disse beijando sua mão direita — você está linda minha querida!
 _ Maravilhosa seria a palavra certa meu caro Peter! - Edward disse passando os braços em volta de Isabella — Demitri acho que vendo a minha mulher tira as suas dúvidas sobre ela ser uma pessoa como fora mesmo que disse — Edward fingiu pensar — ah sim claro, a última aberração da natureza! — Isabella olhou para Edward sem entender — vejo que suas fontes estavam erradas, minha esposa não só é linda como é a criatura mais bela e doce que você jamais conhecera.

 De fato Isabella não estava entendo nada, mas sabia que não era nada bom já que o humor do marido não estava nada legal.

_ Agora senhores! - Ele disse sorrindo — se me permitam vou tirar a minha adorável esposa para dançar a nossa música que por acaso está tocando.

Todos ficaram constrangidos, mas Edward fez questão em dizer cada palavra enquanto conduzia Isabella para o salão, onde começou a guiá-la pelo salão fazendo a jovem sem jeito dançar ao seu lado.


 Continua... 

3 comentários:

  1. eu estou encantada com seu blog.. parabéns pela sua dedicação com seus leitores te admiro muito por isso, porque é cansativo escrever é desgastante e ainda procurar imagens vc está de parabéns.. e eu to amando sua fic.. hehe .. tomara que a Bella comece a ter mais atitude.. ia adorar ver ela humilhando o edward .. eu adoro ver o ed se dar mal nem sei porque .. hehe .. esperando o proximo post.. bjs..

    ResponderExcluir
  2. adorei,esse capitudo foi (10)PLEASE posta no domingo.
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Tenho que concardar com a Geovana tomara que a Bella fique gostosana e humilhe o Ed, ai ele aprende

    ResponderExcluir