Jul M

Oi

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Noites de tormenta -- Livre para voar!


Livre para voar!

Edward levou as malas para o seu apartamento, finalmente seu espírito estava livre. Durante anos fez tudo que o pai queria e acabou virando um boneco comandado por ele, mas agora seria diferente, estaria livre de tudo que odiava e de tudo que lhe prendia a uma vida medíocre e sem alegria.

Ele tomou um banho rápido e desligou o celular, pois sabia que Carlisle tentaria achá-lo de algum jeito para tentar coagi-lo a voltar atrás em sua decisão e sucumbir as suas vontades, mas não estava em clima para briga, ele queria comemorar e sabia exatamente com quem faria isso. Fora apenas questão de segundos para Edward ir até o apartamento de Isabella e como o porteiro não o conhecia não queria deixa-lo subir, mas ele conversou gentilmente com o homem e quando pagou quinhentos dólares pôde subir ao apartamento da jovem.

Duas batidas na porta chamaram a atenção de Isabella e ela achou isso muito estranho já que o porteiro não interfonou para avisar a presença de alguém. Ela estava com uma camisola preta simples, mas com alguns detalhes em renda, então pegou um hobby da mesma cor, se vestiu e saiu do quarto onde estava lendo um livro novo de romance. Ela olhou pelo olho mágico da porta, mas não conseguiu ver ninguém ali, ainda assim abriu a porta e nesse instante deu de cara com um belo buquê de flores de rosas vermelhas.

– Ah meu Deus! – Isabella disse perante a surpresa das flores e ao ver o rosto que se escondia atrás delas. – Você é louco. – Falou respirando ofegante ao ver o sorriso torto que abalava toda sua estrutura.

– Só se eu for louco por você. – Disse entregando-lhe as flores e beijando seus lábios rapidamente. – Tenho novidades! – Edward falou todo animado e sorrindo como uma criança que acabava de ganhar um brinquedo novo. – Eu estou livre! – Disse por fim.

– Eu sei. – Ela disse rindo, pois já sabia que ele havia terminado com a vadia da Volturi. – Você e Heide terminaram e isso eu já sei por que você me contou, por acaso se esqueceu?

– Sua bobinha, não estou falando disso não. – Disse rindo e puxando-a de encontro ao seu peito. – Estou falando de tudo minha querida. – Afirmou deixando Isabella um pouco confusa. – Acabei minha sociedade com Aro, vou abrir minha própria empresa de arquitetura e sair de vez do controle do meu pai. – Mordeu os lábios de Bella. – Quero que você venha morar comigo!

Isabella ficou pálida e sentiu o ar faltar nos seus pulmões enquanto ele ainda a mantinha presa em seus braços. Tudo que ela conseguia se lembrar nesse momento era do relacionamento que teve com Edward e no tempo em que eles dividiram o mesmo apartamento, mas ele ainda era um fantasma ou algo desse tipo.

– Edward... – A garota foi se afastando para poder olhar dentro de seus olhos. – Vamos conversar primeiro, não acha que está indo rápido demais? – Ela olhou para ele dando um sorriso gentil ao ver sua cara de decepção. – Você acabou de terminar com sua noiva, de desfazer a sociedade e saiu da casa dos seus pais certo? – Ele assentiu. – E mesmo assim já quer que moremos juntos? Nem estamos namorando direito Edward.

Na verdade eles estavam juntos, mas não era um namoro oficial, o pedido fora feito de um jeito estranho logo após o sexo entre eles, mas no fundo Edward sabia que devia fazer um pedido formal a jovem.

– Você tem razão. – Disse pegando sua mão direita. – Acho que preciso fazer isso direito. – Isabella olhou confusa para ele, mas logo seus olhos se arregalaram ao ver o que Edward começava a fazer. – Acho que não fiz o pedido formalmente! – Sorriu. – Isabella Swan, você aceita namorar comigo? E depois de amanhã ir morar comigo em minha casa?

O pedido poderia até ser formal, mas Edward deixou bem claro sua real intenção e o desejo de que a jovem fosse morar consigo em sua casa. Ele tinha pressa com isso, Isabella poderia não entender o motivo, porém Edward sabia muito bem, ele já havia perdido cinco anos de sua vida em coma e não queria perder mais nenhum segundo, principalmente agora que tinha sua liberdade.

– Edward... – Bella começou a falar, mas Edward a calou com um beijo urgente e faminto.


Como uma descarga elétrica o corpo de Isabella se arrepiou todinho e fora apenas questão de segundos para ambos estarem sem roupas, com Isabella rebolando e cavalgando no colo de Edward, no sofá da sala.

– Você não precisa me dar uma resposta agora. – Ele disse enquanto apertava a cintura da jovem, beijava e mordiscava a pele do pescoço dela.

– Oh, E..Edward! – Gemeu sentindo o membro do rapaz preenchendo-a com força. – Não acho que seja o melhor momento para ter essa conversa. – Praticamente gritou e gemeu as palavras.

– Não vejo hora melhor do que essa. – Falou apertando fortemente os seios da menina, fazendo-a gemer e jogar a cabeça para trás. – Você também quer o mesmo que eu, eu sei disso tanto quanto você.


Os lábios de Edward sugaram com força os mamilos de Isabella, se dividindo entre chupar e mordisca-los, proporcionando uma tortura deliciosa a ela.

– Vem morar comigo! – Ele disse no ouvido dela dando um tapa estalado em sua bunda. – Diz que sim Bella.

Edward passou a penetra-la com mais força enquanto Isabella  gritava a cada nova estocada. Ele sabia muito bem o que estava fazendo com a garota e o efeito que causava nela, sabia também que para convencer Isabella de algo teria que ser na cama e no meio de um sexo gostoso e era isso que estava fazendo, deixando-a completamente louca de prazer e com a mente nevoada.

– Você vai morar comigo? – Edward disse penetrando-a e dedilhando seu clitóris enquanto Bella se contorcia e gemia de prazer.

– Eu vou Edward. – Ela gritou. – Eu vou para onde você quiser, agora me come direito.

Edward deu um risinho de vitória e ele cobraria essa promessa bem antes do que ela poderia imaginar, mas por hora iria atender ao pedido da jovem sedenta por prazer. Ele a segurou pela cintura puxando-a com força para baixo penetrando-a ainda mais fundo e mais forte mordeu e beliscou os seios dela arrancando cada vez mais gemidos de sua boca. Isabella estava descabelada, suada e cheirando a sexo, sentia sua boceta cada vez mais apertar o membro de Edward e percebeu que logo estaria gozando naquele monumento que a preenchia totalmente e com tamanha potência.

Ele passava as mãos  por todo o corpo de Bella, causando-lhe ainda mais e mais arrepios de prazer enquanto a jovem cavalgava como meretriz no membro dele em busca do clímax. As mãos escorregadias de Edward desceram pela barriga da jovem até chegar em seu clitóris, beliscando seu botãozinho inchado e fazendo Isabella gritar e derramar seu gozo sobre o membro dele, com apenas mais algumas investidas o rapaz encheu a  boceta da menina com seu próprio gozo, sentindo-o se misturar com os próprios sulcos dela.

Os dois estavam ofegantes e os braços de Edward prendiam o corpo de Isabella contra o seu de maneira possessiva, ele não a soltaria tão cedo, ele não a deixaria escapar de suas mãos sem uma luta justa, nem que essa luta fosse contra seu próprio irmão.

Edward ficou tenso só de imaginar que Anthony poderia fazer algo com Isabella, felizmente essa tensão passou despercebida por ela, que ainda estava em êxtase e sentia o prazer do pós-orgasmo. A mente dele estava perdida em vários pensamentos que assustaria qualquer um que soubesse o que se passava em sua cabeça nesse momento, ele jamais deixaria Anthony chegar perto de Isabella novamente, essa era a única certeza que tinha...

Continua...

Um comentário: