Jul M

Oi

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

O Casamento-- Capitulo 22-- Um Coracão!


Um coração!

                (trilha sonora--With Me--Sum 41)
                                                  With Me
                                    I don't want this moment
                                               To ever end
                                   Where everything's nothing
                                               Without you
                                                  Comigo
                            Eu não quero que este momento
                                            Tenha um fim
                                      Onde o tudo é nada
                                               Sem você

Isabella dormia calmante enquanto os dedos de Edward desenhavam linhas imaginárias em sua costa, Edward passava os dedos com tanta delicadeza que era como se ele nem tivesse tocando-a. Ele estava perdido em pensamentos, seu corpo estava ali no quarto, mas sua mente estava tão longe, tão longe que ele nem sabia dizer se as lembranças eram boas.

I'll wait here forever just to
To see you smile
'Cause it's true
I am nothing without you
                                         Eu esperaria aqui para sempre só para
                                                           Para te ver sorrir
                                                           Porque é verdade
                                                      Eu sou nada sem você

(lembrança de Edward Cullen)

Maggie era tão linda e perfeita do seu jeito, Edward sabia que tudo era perfeito demais para ele estar na escola, ser o melhor aluno da turma e ter uma namorada como Maggie Scott filha de empresário francês que era dono de uma fortuna sem cálculo e sem fim. Sua família tinha dinheiro e grande prestígio, mas a família Scott também.

_ Você é o melhor namorado do mundo! - Maggie disse beijando mais uma vez Edward.

_ Você ainda não respondeu a minha pergunta! - Edward disse interrompendo o beijo — você daria a honra de ir ao baile comigo?

_ Claro que sim seu bobo! - Ela sorriu e cobriu a boca dele com um beijo - eu amo você Edward Cullen!

(fim das lembranças de Edward Cullen)

Nunca fora real, nada que saia daquela boca era verdadeiro, Maggie mentiu o tempo todo e nunca aquelas palavras foram verdadeiras, como ele pode se enganar tanto?  Se alguém tinha culpa dele ser assim tão frio e praticamente sem coração a culpa com toda a certeza seria de Maggie Scott.

Through it all
I made my mistakes
I stumble and fall
But I mean these words
                                                             Apesar de tudo
                                                        Eu cometi meus erros
                                                        Eu vou tropeçar e cair
                                             Mas eu quero dizer essas palavras

Mas tinha algo estranho, Edward sentia, por mais que ele gostasse de tirar Isabella do sério havia algo diferente, não era como acontecia com Maggie era diferente, principalmente o sexo, de algum modo era mais intenso, mais forte, mais profundo, havia uma ligação entre os dois, até mesmo quando ela estava com raiva ela se rendia sem reservas, sem resistência, Isabella era completamente diferente de Maggie, disso Edward já sabia, mas conhecendo ela um pouco mais acabou sabendo que  a diferença entre as duas era bem maior do que ele um dia ousou comparar.

_ Deveria dormir! - A voz sonolenta de Isabella ecoou no ouvido dele — você vai acordar cedo! - Ela sussurrou.

_ Tudo bem! - Ele disse aprofundando o carinho em seus cabelos, fazendo Isabella bocejar — volte a dormir, já, já eu estarei dormindo também!

Outro bocejo e Isabella adormeceu de novo, claro que o cafuné que Edward fazia em sua cabeça ajudou ela a dormir bem mais rápido, ele sorriu, Isabella era a única mulher que tinha todos os motivos para odiar Edward e ainda assim se preocupava com ele, Edward balançou a cabeça e suspirou, de todas as mulheres que ele podia escolher pra entra nesse acordo com ele Isabella fora a melhor escolha, um tiro no escuro que acertou em cheio o alvo, ela era gentil e doce, tinha uma inocência viva nos olhos, e por mais duro que tenha sido seu passado ela seguiu em frente e por algum motivo ainda tinha esperança na humanidade.

I want you to know
With everything, I won't let this go
These words are my heart and soul
I'll hold on to this moment, you know
'Cause I'd bleed my heart out to show
That I won't let go
                                                      Eu quero que você saiba
                                     Com tudo, eu não vou deixar isso acabar
                                      Essas palavras são meu coração e alma
                                   Eu vou me segurar nesse momento, você sabe
                                      Porque eu sangro meu coração para mostrar
                                                 Que eu não vou desistir

O sol entrava pela janela quando Anthony invadiu o quarto dos pais se jogando na cama por cima dos dois. Edward acordou assustado e Isabella já fora mais receptiva ao menino, abraçando-o e beijando seus cabelos.

_ Não deveria estar dormindo? - Isabella perguntou enchendo ele de beijos — você não tem aula hoje, devia dormir até tarde!

_ Acordei cedo! - Ele disse entre risos — não quis ficar na cama! — ele gargalhou quando Isabella começou a fazer cosquinhas nele — para mamãe, para mamãe! - Ele sussurrou entre risos.

Isabela ria, mas parou com as cosquinhas no menino, Edward olhava tudo meio abestalhado, o estado de espírito de Isabella era bem melhor do que o do dia anterior, ela tinha os olhos brilhantes e um sorriso grande nos lábios, Anthony e Isabella estavam olhando para Edward, por sorte Isabella se vestiu depois da rodada de sexo com o marido e Edward acabou por sua vez vestindo a boxer.

_ O que foi? - Edward perguntou vendo os olhos dos dois encarando ele — por que estão me olhando assim?

_ Cosquinhas no papai! - Isabella disse e tanto ela e quanto Anthony pularam em cima dele.

_ O quê? Não, para com isso! - Edward disse, mas ambos ignoraram o seu pedido.

 Anthony dava doces gargalhadas fazendo cosquinhas no pai com ajuda da mamãe dele, Isabella ria mais da cara e boca do menino do que do ato em si. Edward acabou rindo e entrando na graça junto com os dois.

_ Cosquinhas na mamãe ou não tem sorvete hoje! -  Edward disse e Anthony se juntou com ele indo pra cima de Isabella.

_ Não, não, para! - Isabella disse rindo e se contorcendo com as cosquinhas dos dois — isso não é justo, são dois contra um.
As risadas ficaram mais altas e os pequenos gritos de Anthony eram escutados até fora do quarto, Sue sorriu ao ouvir as risadas que vinham do quarto dos patrões, há muito tempo que ela não ouvia risos nessa casa.

Thoughts read are spoken
Forever in doubt
And pieces of memories
Fall to the ground
                                                   Pensamentos lidos e ditos
                                                     Para sempre em dúvida
                                                      E pedaços de memórias
                                                             Caem ao chão

 Isabella ajudou a dar banho em Anthony no próprio banheiro deles, depois tomou seu banho, ela iria trabalhar hoje e Edward provavelmente também. Ela deixou Edward terminar de se arrumar e fora para a sala junto com Anthony tomar café. A manhã havia começado ótima para ela, Anthony estava com um sorriso radiante e bastante animado.

_ Bom dia Sue! - Bella disse puxando a cadeira e colocando Anthony sentado — como você está?

_ Estou bem senhora! - Sue disse e Tia entrou na sala com uma jarra de suco colocando sobre a mesa — e a senhora se sente melhor?

_ Sue pode me chamar de Bella! - Ela disse sorrindo — me sinto uma velha quando me chama de senhora!

_ Tudo bem! - Ela disse retribuindo o sorriso.

_ Bom dia! - Edward disse entrando na sala — Sue, Anthony vai ficar em casa hoje, não tem aula pra ele.

_ Claro menino! - Ela disse e Edward beijou a testa dela. — vamos comer, estou com bastante fome hoje.

_ Que bom! - Ela disse sorrindo e ajudou a servir o café deles.

....

Bella ainda não se sentia confortável com a nova empregada, ela não sabia dizer, mas tinha algo nela que deixava Isabella com um pé atrás, apesar das boas recomendações a jovem Tia não despertava a confiança de Bella.

_ Algum problema? - Edward perguntou parando no sinal, eles estavam indo para a empresa.

_ Nada não! - Ela disse — acho que vou sair com a Ângela hoje, vamos ver umas coisas para minha casa, vou começar a reforma nela.

_ Devia coloca-la á venda! - Edward disse, por algum motivo esse assunto incomodou ele — você está presa á mim por quatro anos e com o dinheiro que vai levar dá para comprar uma casa nova em um bairro melhor.

_ Eu gosto da minha casa! - Ela disse dando de ombros — além do mais é perto do trabalho e não gasto muito tempo.

_ Melhor mudarmos de assunto! - Ele disse — eu pego você na saída, apenas me ligue e busco você.

_ Não precisa! - Bella disse — eu sei pegar um táxi e ir para casa.

_ Apenas ligue ok!

_ Tá! - Fora tudo o que ela disse.


I know what I did and how so
I won't let this go
'Cause it's true
I am nothing without you
                                                     Eu sei o que fiz e então
                                                   Não vou deixar isso acabar
                                                      Porque isso é verdade
                                                      Eu sou nada sem você



Edward entrou na empresa ao lado de Isabella, ela estava meio constrangida, apesar dos meses terem passado, ninguém ainda entendia o porquê desse casamento, Isabella estava vestindo um vestido solto no corpo com um casaquinho, sandálias de salto fino e a bolsa de lado, a roupa não era das piores, mas sim a cor dela que era horrível, verde cor de vômito, em um gesto que pegou tanto Isabella e até mesmo todos os que olhavam para ele, Edward pegou a mão de Isabella entrelaçando junto com a sua e caminhou ao seu lado para dentro do elevador.

_ O que está fazendo? - Isabella perguntou aos sussurros, ela não entendia o motivo desse ato.

_ Nada demais! - ele disse curvando o rosto e beijando os lábios dela de leve bem na hora em que a porta se abriu e todos que estavam do lado de fora ficaram abobados com a cena — apenas deixando claro algumas coisas!

E dizendo isso ele a puxou para fora do elevador ainda com as mãos entrelaçadas e acompanhou Isabella até a sua mesa.

All the streets
Where I walked alone
With nowhere to go
Have come to an end

                                                           Todas as ruas
                                                  Por onde eu andei sozinho
                                                           Sem lugar pra ir
                                                       Eu cheguei a um fim
Edward entrou em sua sala e pela primeira vez desde que ela começou a trabalhar na empresa Irina não entrou logo em seguida com a desculpa de lhe passar a agenda do dia. Mas para a sua surpresa não era Irina quem estava á esperar por ele e sim seu amigo Emmett.

_ Fiz o que você mandou! - Emmett disse — e você não vai acreditar no que descobri.

 No mesmo dia em que Isabella lhe contou o que havia acontecido, Edward ligou para o amigo e mandou-o investigar tudo sobre esse tal de Mike Newton, tudo que era informação sobre esse cara.

_ Esse tal Mike Newton é um dos sócios do seu pai! - Emmett disse pegando Edward de surpresa — bom, é sócio minoritário, mas ainda é sócio, ele cuida das filias pequenas do seu pai, ele e mais outros sócios minoritários.

_ Descobriu mais alguma coisa? - Edward disse já planejando o que seria feito contra esse idiota.

_ Quase nada! - Emmett disse — só o que sei é que esse cara é como um fantasma, nada de muitos detalhes e tudo o que descobri é que ele é sócio também de James Bloom, em outra companhia.

_ Esse James que você fala é o mesmo James Bloom que tivemos problemas? - Edward perguntou.

_ O próprio! - Emmett disse — Edward seja lá o que esse Mike fez o cara não é nada confiável.

_ Obrigado Emmett! - Edward já estava sentado em sua cadeira — mas esse assunto é pessoal.

_ Claro chefinho! - Ele disse em um tom mais brincalhão — mas me conta como anda a missão seduzir a Swan! - Ele riu.

_ Muito prazerosa meu caro amigo! - Ele disse dando um sorriso sínico para o amigo — nunca pensei que fosse me divertir tanto com algo tão simples.

 Emmett gargalhou e ficou de pé, Emmett olhou para o amigo e apoiando as mãos sobre a mesa curvando o corpo para frente ele disse.

_ Sexo não é amor! - Edward olhou para o amigo — ela tem que se apaixonar meu amigo, enquanto ela não se apaixonar por você, nada será válido.


I want you to know
With everything, I won't let this go
These words are my heart and soul
I'll hold on to this moment, you know
'Cause I'd bleed my heart out to show
That I won't let go
                                                   Eu quero que você saiba
                                          Com tudo, eu não vou deixar isso ir
                                       Essas palavras são meu coração e alma
                                   Eu vou me segurar nesse momento, você sabe
                                   Porque eu sangro meu coração para mostrar
                                                   Que eu não vou desistir

Mal sabia Emmett que essa sua aposta maluca poderia gerar bem mais do que paixão, mal sabia que ele estava dando início a algo bem mais forte do que ele conseguiria imaginar. Bella passou a manhã toda revendo o projeto e analisando dados para seu chefe, Jasper viajaria no começo da semana e precisaria disso pronto. Era quase hora do almoço, ela sabia por que sua barriga estava dando sinal de vida, mas ela sentiu algo estranho, um medo, talvez, como se algo dentro dela estivesse se quebrando, ela olhou em volta e não havia ninguém a não ser as mesmas pessoas de sempre, ela tentou voltar a se concentrar nos papéis que tinha nas mãos, mas uma nova onda de sensações tomou conta dela, um desejo, talvez uma vontade, na verdade uma necessidade de algo. Ela olhou em volta e por mais loucura que isso parecesse a única pessoa que vinha em sua mente era Edward Cullen. Fora como levar um choque ou como entrar em combustão, Isabella saiu de seu lugar deixando tudo que tinha sobre a mesa, ela caminhou pelos corredores da empresa indo em direção á algum lugar.

 A manhã para Edward tinha sido toda perdida já que ele não conseguiu fazer nada depois que Emmett deixou a sua sala, e o fato dos olhos de Isabella estarem o perturbando desde o momento que ele coloco os pés dentro daquela sala também não ajudou. A noite passada o modo com que o corpo dela se encaixava perfeitamente no dele o deixava mais distante do que ele deveria fazer. Por que justamente perto do horário do almoço ele sentiu uma grande necessidade de beijá-la, porque as imagens dos lábios dela não deixavam sua mente, como gelo sendo derretido pelo fogo.

_ Inferno! - Ele disse jogando os contratos sobre a mesa e ficando de pé.

_ Edward aonde você vai? - Irina perguntou, mas fora completamente ignorada.

Edward andou pelos corredores indo em direção á sala de Isabella, ele não entendia bem o porquê, mas desejava muito vê-la, ele precisava só olhar para ela, pra ver se essa vontade louca de beijá-la passava e que esse sentimento estanho que estava tomando conta dele também fosse embora. Fora rápido, o corpo dele se chocou com o dela no meio do corredor deserto, Edward olhou pra Isabella como se ela fosse sua água da juventude eterna, por algum motivo ele também viu o mesmo brilho nos olhos dela, como se tivesse acabado de achar os Oásis dele e levado por impulso Edward fez o que tanto desejava, tomou a boca dela em um beijo.

In front of your eyes
It falls from the skies
When you don't know what
You're looking to find
                                                    Na frente dos seus olhos
                                                           Isso cai do céu
                                           Quando você apenas nunca sabe
                                        Você está procurando para encontrar

Continua...

domingo, 28 de outubro de 2012

Um Erro E Dois Acertos-- Capitulo 29

Domingo.

O sol entrava pela janela e lá fora os pássaros cantavam alegremente enquanto Isabella estava completamente apagada na cama. Edward  já estava de pé, ele aproveitou que acordou um pouco cedo e fora andar de cavalo, pois havia algum tempo que não voltava a essa casa e queria ver como estava o lugar após anos longe dali.

Eram quase dez da manhã quando voltou de sua cavalgada e assim que entrou no quarto encontrou Isabella nua sobre a cama e ainda dormindo. Também pudera já que a jovem acordou no meio da noite, tudo por causa de um sonho erótico que havia tido e queria realiza-lo. Edward deixou a menina dormindo e fora tomar um banho, quando voltou para o quarto Isabella já estava acordada e remexia na cama espreguiçando e esticando o corpo.

– Bom dia! – Edward disse caminhando até ela e deixando a toalha que cobria seu corpo cair no caminho. – Dormiu bem?

–Bom dia! – Respondeu bocejando. – Dormi maravilhosamente bem. – Sorriu para ele.

 – Que bom. – Sentou-se na cama, puxando-a para os seus braços. – Você dormiu bastante, na verdade anda dormindo muito.

– Eu sei. – Se aconchegou em seu peito. – Mas ando sentindo tanto sono que impossível ficar acordada. – Murmurou bocejando.

– Eu sei, já notei isso. – Falou beijando o pescoço dela. – Acho que deveria ir ao médico.

– Só por que estou sentindo sono? Edward por acaso já se esqueceu como eu passo minhas noites? – Provocou.

– Dificilmente esqueceria querida. – Disse passando as mãos pelo corpo de Bella que suspirou com os toques. Ela já estava excitada logo pela manhã.

Mais beijos no pescoço e uma das mãos de Edward separaram as pernas da garota, mantendo-as abertas enquanto ele acariciava e provocava seu sexo. Os dedos de Edward eram rápidos e estimulantes, logo os gemidos de Isabella ficaram bem mais altos e desesperados, seu corpo dava leves tremores até que não conseguiu se controlar e gozou melando os dedos do seu amado.

– Boa menina! – Beijou levemente seus lábios. – Agora acho que você deve comer alguma coisa.

Ele ficou de pé, vestiu  a calça que havia deixado caída no chão e Isabella ainda tentava controlar sua respiração que estava bastante acelerada e nem percebeu que Edward já havia saído do quarto logo voltando com uma bandeja de café da manhã.

– Você realmente precisa comer algo, depois tome um banho que irei te levar para conhecer a casa.

– Tudo bem. – Concordou comendo uma torrada.

(...)

O resto do dia foi bem agitado para os dois, Edward levou sua garota para conhecer a casa, todo o campo ali perto e também a cachoeira. Bella se lamentou por não ter levado um biquíni para tomar um banho, mas Edward a convenceu que fizesse isso nua afinal só estavam os dois ali mesmo. No fundo ele estava com segundas intenções, ainda mais quando colocou Isabella sentada em uma das pedras que cercava aquele lugar e não perdeu tempo em cair de boca em seu sexo, chupando, mordiscando e torturando a menina até que ela gritasse seu nome e gozasse em sua boca, depois de um tempo voltaram para casa e Isabella o ajudou com o almoço.

Bella estava sentada no sofá junto com Edward quando começou a chover. O dia estava tão lindo e agora caía uma forte chuva lá fora e isso estragou os planos da garota que ainda queria andar de cavalo. Edward ficou algum tempo falando no celular com o Black, pois queria saber como andavam as coisas.

– Não passa nada que preste nessa porra de TV. – Bella murmurou irritada e mudando novamente de canal.

– Isabella! Olha essa boca suja menina. – Ele repreendeu fazendo-a sorrir. – Pode continuar Jacob.

Edward voltou a se concentrar na conversa com o amigo enquanto Isabella continuava mudando de canal até que parou em um filme pornô.

– Caramba! – Ela disse espantada quando viu a cena que se passava. – Eu não acredito ela vai... – Os olhos dela se arregalaram e a boca se abriu em formato de “O”.

Edward voltou os olhos para a TV observando curioso a cena que deixou sua menina tão surpresa. Era uma cena de sexo a três, duas mulheres e um homem, enquanto o cara penetrava uma das mulheres por trás, a outra chupava e lambia seu clitóris com força.

 Ele olhou para Isabella que continuava do mesmo jeito, de olhos arregalados e boca aberta, então começou a rir de seu espanto.

– Nos falamos depois Jacob. – Desligou o telefone. – Parece surpresa com a cena. – Comentou chamando sua atenção.

– É nojento!  Não o sexo... Digo... – Se enrolou com as palavras.

– Respire Bella. – Sugeriu quando sua garota começou a ficar vermelha. – Agora do começo, o que é nojento?

– A outra mulher! – Falou soltando uma lufada de ar. – Que coisa lésbica, acho que não aceitaria fazer isso.

Ela estava tão vermelha que parecia um tomate já Edward, pelo contrário, ficou todo curioso, pois Isabella não teve nenhuma experiência sexual, a não ser as que vivia com ele.

– Não aceitaria o que? – Puxou-a para o seu colo. – Sexo a três? – Mordeu sua orelha. – Acredite, tem suas vantagens!

– Eu não acho. – Murmurou ofegante e a cena continuava a rolar na TV. – Eu não quero uma mulher me tocando. Credo! É estranho e nojento só de imaginar.

– E outro homem? – Edward perguntou mesmo sem a intenção de dividi-la com outra pessoa, pois ela era sua garota e ninguém jamais a tocaria. – Você aceitaria fazer sexo comigo e mais outro cara? São duas bocas te beijando, quatro mãos tocando seu corpo e sem falar que serão dois paus lhe comendo.

Edward viu que o corpo de Bella estava tenso, mas achou que perguntar não a ofenderia, pois se ela tivesse alguma fantasia sexual queria saber de sua própria boca.

– Claro que não! – Respondeu rápido ficando ainda mais corada. – Edward! – O repreendeu.

Ele gargalhou e a abraçou apertando aquele pequeno corpo contra o seu, beijou novamente seu pescoço lhe causando arrepios.

– Acho bom mesmo! – Falou enfiando as mãos dentro da camisa dela. – Pois não tem a menor chance de eu deixar alguém tocar em você. – Mordeu seus lábios e apertou seus seios com as mãos, torcendo aqueles biquinhos rosados que eram sua perdição. – Você é minha e só eu posso tocar em você.

– Sou sua! – Gemeu jogando a cabeça para trás e apoiando em seu ombro. – Toda sua Cullen.

– Só minha! Minha bonequinha.

Não foi preciso muito esforço para logo suas roupas sumirem e irem parar no chão da sala que serviu como cama, pois fizeram amor ali mesmo.

Os corpos de ambos se moviam em perfeita sincronia e os gemidos de Bella tomavam conta de todo o ambiente. A boca de Edward não deixou o seu corpo em momento algum, ele a beijava, mordia, lambia, chupava e a torturava, principalmente em seus seios e pescoço.

Isabella subia e descia com talento no colo de Edward, cavalgava como louca em seu pau e ambos chegaram a clímax  gritando o nome um do outro. Ela estava ofegante e  corada enquanto ele estava deitado ao seu lado.

– Depois você diz que eu estou dormindo demais. – Falou sorrindo. – Isso tudo é culpa sua.

– Eu sei. – Ele também sorriu.

Edward puxou Isabella para o aconchego de seus braços e ficaram assim pelo resto da tarde, um aquecendo outro, trocando beijos e carícias até que a noite caiu de vez, sendo acompanhada pela forte chuva.

(...)

Já eram duas da manhã quando Edward acordou assustado com um barulho vindo do banheiro, ele olhou para o lado e viu que Isabella não estava na cama. Levantou-se em um pulo e preocupado, pois logo depois do jantar ela não havia se sentido bem e acabou vomitando um pouco, na verdade se sentiu bastante enjoada, então Edward lhe deu um remédio e por isso foram para cama mais cedo. Assim que entrou no banheiro encontrou-a muito pálida e curvada sobre o vaso, vomitando novamente.

– Bella, por que não me chamou? – Perguntou todo preocupado e prendendo o cabelo de sua garota para trás.

– Edward, saí daqui! – Murmurou fraca tentando empurra-lo, mas não obteve sucesso. – Você não precisa ficar vendo isso.

– Lógico que ficarei aqui Bella, eu estou preocupado com você. – Disse acariciando suas costas. – Você não está bem, vamos partir logo pela manhã e assim que chegarmos você irá ao médico querendo ou não.

– Edward eu estou bem! – Tentou argumentar passando a mão pela boca e se virando para ele. – Foi só o frango que não me fez bem, agora pare de paranoia.

– Você irá ao médico e ponto final! – Falou autoritário e ficando de pé a ajudando se levantar também. – Nem que para isso eu tenha que te levar a força.

Bella bufou  e se dirigiu para a pia a fim de lavar sua boca e escovar os dentes. Assim que terminou voltou para o quarto sendo seguida por Edward, ele a ajudou se deitar e a cobriu com um lençol, pois à noite estava fria e ainda chovia fortemente lá fora. Edward deitou ao seu lado e puxou o corpo da garota para junto do seu, abraçando-a pela cintura e depositando um beijo em seus cabelos e com algumas carícias conseguiu fazer com que ela dormisse novamente.

(...)

Quando o dia nasceu Edward já estava de pé e ajudando Isabella com as malas. Aproveitaram que a chuva tinha dado um tempo e era a hora de voltar para casa, ele já havia ligado para lá, sem que ela soubesse e havia pedido para a mãe marcar uma consulta para a menina e isso deixou Esme e Marta um pouco preocupadas, pois tinham certo carinho por Bella, porém só descobririam o que ela tinha assim que chegassem em casa, e, enquanto isso a garota dormia no banco do carro, ao lado de Edward que não tinha uma cara das melhores já que estava muito preocupado com Isabella.

Continua...

O Casamento-- Capitulo 21-- Algo Mudou?

Algo mudou?

Bella acabou adormecendo nos braços dele, assim que Edward teve certeza que ela havia dormido ele levou a jovem para o quarto. Assim estava subindo a escada quando encontrou Tia na sala, ela parecia esta organizando as coisas ali, claro que ela olhou com curiosidade a cena afinal já tinha dias que os patrões mal se falavam e de uma hora para outra estavam bastante envolvidos, isso não estava lhe agradando em nada, por algum motivo idiota o bastante ela tinha esperanças que o casamento deles continuasse ruindo. Edward colocou Bella na cama e lhe deu um beijo na testa antes de sair e voltar para o escritório, ele passou o resto da manhã no escritório e só saiu quando Sue avisou que o almoço estava pronto e porque Anthony estava para chegar.

_ Papai! - Anthony gritou e correu se jogando nos braços dele — olha o desenho que fiz? - Ele mostrou a folha que estava cheia de rabiscos sem formas ou imagens.

_ Está lindo! - Ele disse bagunçando o cabelo dele — vai lavar as mãos e vamos almoçar. – Edward o colocou no chão.

_ Cadê a mamãe? - Ele perguntou ao não ver a Bella na sala.

_ Mamãe está deitada e dormindo! - Ele disse sorrindo para o filho — vamos comer primeiro e depois pedimos para Sue arrumar uma bandeja bem grande e cheia de comida e levamos para ela no quarto.
_ Vamos! - A ideia pareceu agradar muito Anthony que correu para lavar as mãos e voltou rápido para almoçar.

 Edward deu a ordem á Sue e assim que terminaram o almoço a bandeja  já estava pronta e ambos subiram para levar a comida dela na cama. Anthony abriu a porta para que Edward entrasse com a bandeja, já dentro do quarto Anthony correu para a cama e pulando começou a mexer em Bella para que ela acordasse.

_ Mamãe, mamãe acorda! - Ele disse tocando o braço dela e a balançando. — papai ela não quer acordar. — ele fez uma cara tristinha.

Edward deixou a bandeja sobre a mesa de centro como tinha feito pela manhã e fora até a cama sentando do outro lado, meio que curvou o corpo para poder sussurrar no ouvido dela.

_Mon bébé se réveille¹!- Bella se mexe na cama -  ouvrez vos yeux chers²!

Dessa vez ela abriu os olhos e se deparou com quatro olhos cor de esmeralda lhe olhando, Anthony abriu um largo sorriso ao vê-la de olhos abertos.

_ Eu trouxe o seu almoço mamãe! - Ele disse todo orgulhoso — papai me ajudou olha só!

 Anthony pulou da cama e correu para mostrar a bandeja com comida para ela, Edward a ajudou a sentar na cama e arrumou o travesseiro atrás para ela se sentir melhor.

_ Você dormiu! - Ele disse quando ela olhou pra ele — achei que ia gostar de almoçar no quarto! - Ele sorriu agora — já que tomou o café aqui, nada mais justo que almoçar também.

_ Obrigado! - Ela disse dando um sorriso e olhando para Anthony.

_ Me deixa ajudar ele antes que ele derrube tudo no chão!

Edward ajudou a colocar bandeja na cama e Anthony ficou contando para ela como fora o seu dia, correu no quarto para mostrar o desenho que tinha feito e mostrou para ela também, manteve-se falando o tempo todo, já nem parecia o Anthony de outros dias calado e sempre com o olhar baixo, claro que Isabella tinha os olhos atentos no menino, não dava para simplesmente relaxar quando o assunto era a saúde do pequeno homenzinho.

_ Diga a Sue que estava ótimo! - Bella disse vendo Edward sair com a bandeja - e você meu amor vem aqui, vem!

Fora uma festa para Anthony, pois passou boa parte da tarde com Bella na cama brincando e contando histórias, quase no final da tarde Edward se juntou á eles e brincou junto, algo que deixou Isabella surpresa, mas para Anthony fora diferente ele estava feliz. Edward havia voltado para o escritório depois do almoço, pois tinha trabalho para terminar e quando acabou resolveu se juntar aos dois e fora assim que passaram o resto da tarde, com o pequeno Anthony na cama brincando com os brinquedos dele, fazendo Bella rir e algumas vezes até Edward sorriu, ele tinha esquecido como era bom, lembrou-se de algumas vezes que fez isso com Sue, com sua mãe era mais difícil ela nunca estava em casa e as poucas vezes que esteve estava bêbada demais. Com Carlisle ainda teve alguns momentos assim, mas nada tão grande, pois ele era um homem ocupado e ele era apenas o filho de aventura casual.

_ Já pro banho mocinho! - Bella deu a ordem e ele saiu correndo por seu quarto para tomar banho.

_ Obrigado!

_ Por quê? - Isabella perguntou se entender o porquê ele agradecia.

_ Por cuidar dele tão bem! - Ele sorriu — ele não é seu filho, você não tem obrigação, e além do mais não fazia parte do acordo, e ainda assim você o aceitou.

_ Tony é uma criança agradável Edward qualquer pessoa gosta dele! - Ela disse sorrindo.

_ Menos a mãe dele! - Edward disse frio — ela tentou tirar ele, quase matou o meu filho!

_ Sinto muito! - Isabella disse vendo que esse assunto não agradava muito ele e tão pouco ela, que mulher no mundo teria coragem de tentar matar uma criatura tão linda quanto Anthony - é melhor alguém ver o que ele está fazendo, ou ele vai destruir o banheiro.
....

 Após o jantar Edward ajudou Anthony com o dever de casa, era Bella quem fazia isso, mas ainda assim ele o fez, achou melhor deixar Isabella quietinha no quarto, seu estado de espírito não andava nada bem, ainda mais depois que ela se viu obrigada a falar sobre o seu passado, não por que ela achava que Edward deveria saber, mas sim porque ela sempre tinha as suas recaídas, nem mesmo o tempo que ela passou visitando o psicólogo e fazendo terapia fora o suficiente para superar traumas como esse. Anthony fora no quarto para dar um beijo de boa noite na “mãe” dele, e logo em seguida fora para seu quarto com o pai, que se viu obrigado a fazer tudo que Bella fazia quando colocava o menino para dormir, teve que contar história, história essa que Anthony interrompia e mudava o final toda hora, teve que esperar o menino realmente dormir para então deixar o quarto e voltar para o seu quarto encontrando a cama vazia, porém o barulho do chuveiro deixou claro que Isabella estava no banheiro.

_ Ele dormiu? - Ela perguntou saindo do banheiro secando os cabelos com a toalha.

_ Demorou mais dormiu sim! - Edward disse retirando os sapatos — ele é bem animado na hora de dormir!

_ Bastante, ele gosta de mudar o final da história que estamos contando!

_ Notei isso! - Ele disse dando um sorriso — vou tomar banho!

_ Edward! – ela o chamou antes dele sumir pela porta do banheiro — obrigado, você não precisava cuidar de mim e ainda assim hoje você... — ela respirou fundo e procurou as palavras certas para isso — você foi atencioso comigo, obrigado!

_ Não tem por que agradecer! - Ele disse — afinal você é minha esposa e já tem tempo que deixou de ser só no papel!

 Isabella corou devido ao comentário e ele sorriu para ela e entrou no banheiro, até ele mesmo se sentia estranho afinal ele não era assim de se importar com ninguém que não fosse Anthony ou a sua mãe e por algum motivo que até mesmo ele desconhecia estava realmente se importando com ela, talvez por esse motivo ainda não havia feito nenhum comentário maldoso sobre as suas roupas ou a falta de cuidado o que deixava bastante desastrada, ou nem mesmo fez algum comentário para constrange-la e deixa-la furiosa, ele se sentiu estranho e ficou ainda mais estranho quando ele sentiu uma certa necessidade de protegê-la de qualquer coisa. Quando Edward saiu do banho Isabella já dormia, pelo menos assim ele pensava já que ela estava de olhos fechados e quieta no seu lado da cama.

_ Bonsoir ma chère³! - Ele sussurrou ao se deitar ao seu lado na cama — faire de beaux rêves mon amour!4

Foram palavras carinhosas dita por ele, palavras que Isabella não fazia ideia do que queria dizer, mais pela ternura em sua voz, ela sabia que queria dizer algo bom, era mais fácil para ele ser carinhoso e dizer palavras de carinho em outra língua, língua essa que ficava ainda mais sexy dita por ele, por mais estranho que fosse o momento o corpo de Isabella se sentiu quente, ela sentiu uma grande necessidade de ser tocada lá embaixo, ela queria senti-lo de novo e só esse pensamento deixou seu corpo em chamas e a deixou assustada o bastante, estaria ela já se acostumando com as carícias ousadas dele ou apenas o fato dele estar sendo atencioso demais com ela hoje a deixou confusa em relação á ele? Nem mesmo a própria Isabella sabia dizer o que estava acontecendo com ela, mas algo estava estranho. Ela suspirou baixo, tão baixo que nem  Edward conseguiu notar e se notasse acharia que a jovem estava sonhando, por incrível que pareça seu corpo ainda estava quente e parecia ficar mais a cada segundo que se passava, seu sexo passou a ficar cada vez mais molhado e ela esfregou uma perna na outra em busca de atrito, que talvez pudesse resolver o seu problema.

_ Merda! - Ela sussurrou baixo quando viu que não estava resolvendo o problema.

_ Sem sono querida! - Edward disse pegando ela de surpresa, a fazendo mexer-se agitada na cama — desculpa não queria assustá-la.

_ Não me assustou! - Ela disse — só achei que já tivesse dormido!

_ Estou sem sono! - Ele disse fazendo Isabela se virar e olhar para ele — pelo visto você também, afinal dormiu o dia todo, seria estranho ainda ter sono á noite! - Não fora uma provocação, mas soou como uma — parece agitada, algum problema? - Ele quis saber.

_ Só está fazendo calor! - Ela disse afastando um pouco a coberta.

Edward deu uma leve gargalhada e virou-se na cama ficando de lado, uma mão apoiava sua cabeça e a outra pousou sobre a coberta provavelmente encima da barriga de Isabella que estava deitada de peito para cima.

_ Qual é a graça? - Ela perguntou irritada.

_ Você, quer dizer! - Ele achou melhor explicar depois que ela olhou feio pra ele — você dorme toda coberta, e diz que está com calor, claro que está olha pra essa camisola, parece camisola dos tempos medievais, se duvidar você ainda deve usar a calcinha da sua avó para dormir.

_ Não é nada! - Ela disse constrangida — são camisolas confortáveis! - Ela alegou — você que é depravado demais para entender algo.

_ É mesmo, tipo o quê? - Ele questionou ainda olhando para ela.

_ Duvido se eu estivesse com uma camisola minúscula você também diria que era a camisola o motivo do meu calor! - Ela alegou — no final você só quer um corpo nu para que você possa brincar. - Ela estava irritada e ele ainda sorriu do seu comentário sem sentido. — para de rir! - Ela disse nervosa.

 Sem o menor pudor Edward virou na cama ficando por cima dela, deixando ela ainda mais assustada e nervosa.
 
_ O que você está fazendo seu louco! - Ela questionou.

_ Resolvendo o seu problema meu bem! - Ele disse com toda malícia na voz.

 As mãos de Edward pegou a ponta da camisola e rasgou de cima á baixo sem o menor pudor, deixando Isabella apenas com a calcinha que com toda certeza mexeu com sua imaginação.

_ Ok, retiro o que disse sobre você usar a calcinha da sua avó! - Ele disse passando a língua pelos lábios — você tem gosto bem melhor!

 Uma peça de renda preta totalmente transparente no seu corpo havia algum formato nela, mas Edward não estava nenhum pouco interessado em saber qual seria esse formato, apenas puxou de vez arrebentando a peça deixando-a completamente nua e ofegante. Os dedos dele desceram por sua barriga indo direto para o meio das suas pernas onde ele tocou seu clitóris com a ponta dos dedos e desceu para sua entrada encharcada.

_ Gosto disso em você! - Ele disse penetrando a cabeça do seu dedo na boceta dela — você sempre está pronta para mim!

 Havia malícia e ousadia em cada palavra que fora dita, e sem dar tempo para ela

 Edward atacou direto nos seios chupando, sugando e apertando eles como se dependesse daquilo para viver. Ela gemia baixo no começo, mas com as investidas ousadas do rapaz os gemidos aumentaram e as mãos dela passaram a ganhar vida e fora para o cabelo dele e logo ganharam vida em sua costa onde arranhou e marcou ele como dela.

Os dedos dele a tocava com intensidade, mas nunca a penetrava e isso estava deixando ela louca, ela precisava de mais contato ela precisava senti-lo dentro dela, era disso que ela precisava.

_ Edward! - ela disse arqueando o corpo o fazendo engolir seus seios por completo — por favor!

 Era como uma bela melodia para o seu ouvido quando ela implorava para ele a comer, e claro que ele não se fazia de arrogante mesmo sendo muitas vezes, mas ele atendia o seu pedido, para Edward era fácil conseguir algo de Isabella que nunca mostrava a menor resistência ao seu toque e o que deixava ele ainda mais desejoso dela, afinal ela entrava de cabeça e mergulhava fundo.
_ Por favor! - Ela gemeu alto dessa fez — me fode logo!

 Essa o pegou de surpresa, ela nunca tinha usado palavras vulgares na cama, e tão pouco pedido com todas as letras para ser comida por ele. Mesmo sendo pego de surpresa ele fez,

a penetrou de uma vez o que deixou Isabella com uma dúvida, que hora ele tinha se livrado da roupa dele, na verdade Edward não tinha vestido nada nadinha para dormir, estava pelado ao lado dela e era esse o motivo de seu corpo ter dado sinal.

_ Oooh! - Ela gemeu jogando a cabeça para trás arqueando ainda mais o corpo — mais forte!
 
 Edward mordeu os seios dela arrancando um gemido alto dela e voltou a se movimentar, investidas fundas e diretas mandadas direto no seu centro pulsante, fazendo Isabela ver estrela e seu corpo formigar.

 A cada nova investida dele sua boceta apertava ainda mais, seu membro fazendo ambos gemerem e criando uma onda de prazer nos dois.

Em um movimento rápido Edward trocou a posição colocando Isabella para cavalgar nele, coisa que ela fez sem pudor algum, subia e descia com perfeição, sentando com força sua boceta no seu membro, apertando ainda mais ele.

 Os gemidos dela eram altos e por sorte Edward fechou a porta e teriam tempo caso os barulhos acordasse Anthony, mas ter Isabella encima dele rebolando e engolindo seu pau como ela fazia, deixava tudo ainda melhor, de olhos fechados e boca semiaberta, com a face corada e com leves camadas de suor no rosto a jovem não parava de jeito nenhum seus movimentos, as mãos espalhadas pelo peito do rapaz dava á ela ajuda necessária para se movimentar. Ofegante e com a cabeça jogada para trás Isabella gemia gostoso o nome de Edward para seu completo delírio, estava adorando essa faceta da morena, sem deixar seu pau sair de dentro dela, ele virou mais uma vez na cama deixando ela de quatro agora e voltou a meter nela.


_ Voun une chaude pute!5  — ele gemeu as palavras — devraient être consommes tous lês jours!6

Isabella não fazia ideia do que ele dizia até por que estava falando em francês, mas aquelas palavras foram como uma injeção de ânimo nela, a fazendo rebolar ainda mais seu quadril de encontro ao dele, fazendo sua boceta engolir por completo o seu pau e apertando ele dentro dela, claro que ela tinha uma ideia do que poderia ser as palavras, sujas no mínimo, quem em sã consciência na hora do sexo vai dizer coisas belas, ninguém claro!

_ Ooh! - Ela gemeu quando ele lhe deu um tapa na bunda — Edward!

_ Sim, sim eu mesmo! - Ele disse puxando de leve seus cabelos — e você fica gostosa assim, de quatro pra mim!

 Um grito rouco saiu da boca dela, e mais uma vez ele investiu com tudo dentro dela a fazendo gritar novamente seu nome até voltar a gemer como uma cadela no cio, as investidas duras e fortes dele fizeram Isabella chegar ao seu orgasmo com um grito estrondoso e desabar sobre a cama sem força para mexer nenhum músculo do corpo, mais algumas investida e retirou seu pau de dentro dela passando ele mesmo se tocar, ele sempre quis fazer isso com ela, coisa de homem? Talvez, mas era como um ritual marcando terreno ou espaço, quem sabe, assim que estava pronto deixou seu gozo sair caindo sobre a bunda e costa da jovem e roçando seu membro na bunda dela limpou a cabeça dele para só então deixar seu corpo cair sobre a cama, por algum motivo ele sentia que Isabella era dele, que ninguém além dele poderia tocar nela de novo, talvez por esse motivo se sentisse tão bem em ter gozado fora dela, como se assim com seu gozo que agora escorria pela bunda e costa da jovem estivesse marcando ela como sua.
 Continua...


Notas finas:
¹ MON BÉBE SE RÉVEILLE que dizer: MEU AMOR ACORDA!
² OUVREZ VOZ VEUX CHERS que dizer: ABRA OS OLHOS QUERIDA!
³ BONSOIR MA CHÈRE que  dizer:  BOA NOITE MINHA QUERIDA!
4 FAIRE DE BEAUX RÊVES MON AMOUR que dizer: TENHA BONS SONHOS MEU AMOR.
5 VOUN UNE CHUDE PUTE que dizer:  UMA PUTA GOSTOSA COMO VOCÊ
6 DEVRAIENT ETRE CONSOMMES TOUS LÊS JOURS  que dizer:  DEVERIA SER COMIDA TODOS OS DIAS
Continua.