Jul M

Oi

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Prólogo


Prólogo
Isabella andava de um lado para o outro, era possível ouvir seus passos por todo corredor do grande, e ao mesmo tempo, pequeno apartamento. Enquanto ela andava pela sala um convidado ilustre permanecia sentando em seu sofá.
– Se continuar a andar assim vai furar o chão!
– Fica calado! – Isabella disse com um mau humor a flor da pele. – Você não existe, é apenas uma produção da minha imaginação doentia!
Uma gargalhada doce ecoou na sala e Isabella voltou andar de um lado para o outro tapando seus ouvidos, em uma atitude muito infantil.
– Duvido que sua imaginação seja tão criativa assim!
– Eu não estou ouvindo, eu não estou ouvindo, lalalala! – Ela cantarolava tentado bloquear a voz que a perturbava.
(...)
– Oh, mais forte Jake! – Isabella gemeu enquanto rebolava sentando sua boceta com força no pau do jovem.
Jake prontamente atendeu ao pedido da namorada e intensificou as investidas dando o prazer que a mulher desejava. Isabella cavalgava forte e com intensidade sobre ele. Estava tão perdida em seu próprio prazer que não notou a presença de outra pessoa acompanhando a cena o tempo todo.As mãos de Edward passaram pelas costas de Isabella causando-lhe um arrepio, então ela virou-se de lado para ver de onde vinha esse novo toque e foi quando viu Edward nú atrás dela, sobre a mesma cama em que se encontrava com o namorado em uma transa alucinante.

– Não! – Sussurrou tão baixo que nem mesmo Jacob conseguiu ouvir.
– Shiiii! – Edward disse colocando o dedo sobre seus lábios. – Apenas relaxe e deixe rolar.
Ao dizer isso ele tomou a boca de Isabella em beijo urgente, suas mãos foram para os seios da jovem, apertando e fazendo-a gemer contra sua boca. Aos poucos ela foi deixando seu corpo relaxar, com Jacob penetrando compulsivamente em sua boceta.
Estava tão perdida que já não sentia os toques de Jacob e sim as mãos de Edward vagando por todo seu corpo, e sua mente gritava desesperada “sua louca vai fazer um ménage?” e ainda assim não conseguia se controlar e sair desse jogo, onde a luxúria estava dominando todo o seu alto controle.
Isabella gemeu quando sentiu a cabeça do pau de Edward focando seu buraquinho intocado.
Com muito cuidado e jeito, para não machucar a garota, Edward foi penetrando seu membro no buraco apertado, e ao mesmo tempo excitante, do seu ânus.
Completa... Era assim que Isabella se sentia, sendo preenchida por completa. Era como se os dois soubessem que estavam dividindo a mesma mulher, pois as investidas eram intercaladas, ora Edward se afundava por completo dentro dela e ora Jacob entrava totalmente dentro de sua boceta. E assim, nessa dança louca de desejo, Isabella atingiu o orgasmo mais intenso e mais prazeroso de toda sua vida.
– Edwarddd! – A jovem gritou quando seu gozo escorreu pelo pau de Jacob, melando-o todo.
No mesmo instante em que Jacob ouviu ser chamado por outro nome retirou Isabella de cima dele, olhando dentro de seus olhos, começou a recolher suas roupas.
– Jacob eu posso explicar! – Ela disse puxando o lençol para cobrir seu corpo suado
. – Explicar o quê? – Disse vestindo a roupa. – Que está transado comigo e grita o nome de outro quando está gozando? Não preciso entender mais nada porque já entendi tudo!
Isabella olhou para beirada da cama onde Edward estava sentado se punhetando porque ele não havia gozado, e nem Jacob, apenas ela.
Jacob tinha razão! Não havia o que explicar afinal o que ela ia dizer? Que estava fazendo ménage junto com um fantasma? Ninguém acreditaria nisso, pois até ela mesma custava a acreditar se não fosse pela cena a sua frente, e o pior é que estava ficando excitada com o que via.
(...)

Nenhum comentário:

Postar um comentário