Jul M

Oi

domingo, 16 de setembro de 2012

O Casamento -- 9 Festa bebedeira e volta


Festa bebedeira e volta.
Isabella adormeceu chorando, palavras doces não eram o forte de Edward, muita coisa havia mudado, Edward já não era mais aquele menino que um dia fora assustado e com medo hoje ele é odiado por muitos e admirado por todos. O sol estava alto no céu, quando Isabella saiu do quarto seu rosto estava meio inchado devido ao choro e a casa estava deserta. Era bela a casa ela não podia negar, Esme tinha muito bom gosto já tinha deixado isso claro na sua festa de casamento, casamento consagrado ao fracasso, algo que ela já espera desde o momento que disse sim. Edward jamais seria o príncipe encantado que ela um dia sonho, mesmo ele tento todo porte de príncipe ele era frio por dentro, várias coisas rodavam a cabeça da menina, algo dizia que Edward escondia algo dela, mais o que seria isso?
Isabella caminhou para a cozinha e viu um bilhete do marido colado na geladeira, afinalnão eram só os pobres coitados que tinham o péssimo habito de colar bilhete na geladeira com imãs divertidos.
“Estou na praia, você parecia muito cansada então deixei você dormindo. O café esta mesa, tome e se desejar venha para a praia, não se esqueça de trazer a máquina fotográfica.“
“Atenciosamente E.C“
–- Babaca! - Ela sussurrou para ela mesma amassando o papel e jogando na lixeira perto da pia.
....
Isabella avistou Edward ao longe, era impossível ele passar despercebido no meio de uma multidão ainda mais ele sem camisa. Ela caminhou devagar em direção ao marido que estava bem confortável em uma espreguiçadeira, a praia estava um pouco cheia, Isabella não sabia de onde tinha saído tanta gente. Ao lado do marido tinha uma espreguiçadeira vazia, mais fora por pouco tempo logo uma mulher de belo porte e desconhecida para Isabella sentou e começou a falar com seu marido, que mantinha um diálogo animado com a jovem.
Isabella continuou andando devagar, a cena que via não era uma das piores, afinal sentir ciúme por que mesmo? Ele só era seu marido no papel, por que na cama não rola nada.
–- Oi! - Isabella disse ao se juntar ao casal. Sim casal por que pra quem visse Edward conversando com a bela mulher acharia que eles eram um casal. — atrapalho? - Irônica ela foi.
–- Claro que não minha querida! - Edward disse oferecendo a mão para a mulher ajudando ela a se sentar ao seu lado - Bella essa é Charlotte, esposa de Peter!
–-Oh, muito prazer! - Isabella disse oferecendo a mão e um singelo aperto.
Claro que Isabella se lembrava de Peter, era um homem de idade, mais nunca passou em sua cabeça que ele fosse casado com uma mulher tão jovem.
–- Charlotte veio nos convidar para a festa que Peter esta dando hoje à noite em seu hotel querida! - Edward explicou – eu já avisei a ela que iremos.
–- Será um prazer! - Isabella disse meio constrangida, a bela mulher com cabelos curtos e muito bem elegantes estava olhando ela como se olhasse um frango sendo assado na padaria da esquina.
–- Claro! - Por fim Charlotte disse — nos vemos a noite — ela disse ficando de pé — vou deixar o casal feliz aproveitar o belo dia de sol.
Nada naquela mulher agradou Isabella, o modo como ela olhou para ela, fora o que mais mexeu com a jovem. Isabella não entendia o porquê de ela olhar assim para ela afinal ela não estava tão mal vestida assim, ela usava uma saída de praia no estilho camisão, mais isso não dava direito a Charlotte olhar assim para a jovem.
...
                     
O dia de sol foi muito bem aproveitado pelos dois, Isabella estava com um bem fraco corado, Edward também, nenhum dos dois estava com o corpo doído pelo sol, ambos estavam dispostos. Edward tirou algumas fotos deles juntos, assim como fizera da primeira vez acabou roubando alguns selinhos da esposa de fachada, eles almoçaram na praia mesmo e um pouco antes do sol se por eles voltaram para casa.
Edward fora o primeiro a se banhar, pois sabia que Isabella iria demorar, assim que ele saiu do banheiro Isabella entrou, Edward reprovou a roupa que a menina havia escolhido para ir à festa, indo na mala dela trocou o vestido pelo o que ele havia comprado no dia anterior. Ele se arrumou em traje diferente ao mesmo tempo em que estava elegante também estava despojado, era um traje esporte fino, perfeito para momento. Isabella saiu do banheiro e encontrou o vestido novo, discutir com ele agora não mudaria o fato, ela ia acabar ficando com raiva e ainda assim acabaria usando o vestido, então evitando tudo isso ela pegou o vestido e o vestiu sem discutir.
...
O hotel era bem luxuoso, Edward estava perfeito, assim como Isabella usando um vestido verde bebê com sapatos de salto alto que ela não soube dizer quando Edward havia comprado, a maquiagem era simples, quase não se destacava nada de sua beleza, cabelos presos em um coque perfeito e uma correntinha de ouro barro em seu pescoço. Seria impossível a atenção não cair sobre eles assim que passaram pela porta, muitos rostos desconhecidos o único que Bella conhecia era Peter que veio junto com a bela esposa cumprimentar os recém-chegados.
–- Edward! - ele disse da forma mais gentil – vejo que sua bela esposa veio junto! - Peter pegou as mãos de Isabella beijando-as – você é muito bonita minha querida, não me surpreende Edward ter se apaixonado por você.
Isabella sentiu vontade de rir, mas a sua boa educação não a deixou gargalhar do comentário do homem bondoso ao sua frente.
–- Claro! - Edward disse puxando as mãos de Isabella que Peter ainda segurava — não a deixaria dando sopa para outro pegar! — quem ouvisse Edward falando assim acreditaria que aquele homem era apaixonado pela jovem — tenho tudo que quero Peter, acho que já sabe disso, e não tem nada que eu não consiga, Isabella não seria diferente — um sorriso surgiu nos lábios do Cullen — a única diferença é que com ela eu casei.
–- Claro, você não nega ser um Cullen! - Peter disse gentil para o jovem amigo — mas você tem muito da sua mãe, por falar em sua mãe como anda Elizabeth?
–- Da melhor forma possível! - Edward disse ríspido ele não esquecera que Peter já arrastou asa para sua mãe. — vou aproveitar a festa e conhecer outras pessoas, se me permite.
–- Oh claro fique a vontade! - Ele disse — e você também Isabella.
–- Claro aproveitarei o máximo! - Isabella disse.
....
A festa estava chata, Isabella estava entediada, Edward estava bem envolvido em conversas com vários homens de várias idades. Muitas pessoas em um mesmo salão, pessoas gananciosas buscando ter uma nova chance de ganhar mais dinheiro.
–- Senhores! - Isabella chamou a atenção — me dão licença, preciso ir ao toalete.
–- Oh, claro minha querida! - Edward disse de uma forma doce — fique linda ainda mais!
Era incrível como ele conseguia fazer aquele casamento falso ser mais real possível perto dos outros que estavam em sua volta, Edward era um ator inacreditavelmente perfeito. Isabella entrou no toalete e estava vazio, fora direto para a cabine do banheiro e se trancou dentro, ela queria gritar, sair correndo ela estava tão sufocada quanto um peixe fora do aquário em busca de oxigênio se debatendo por falta de ar.
–- Inacreditável! - Uma voz doce falou do lado de fora — quem diria que Edward Cullen fosse se casar!
Isabella pensou em sair do banheiro, mas ficou parada no mesmo lugar quando ouviu o nome do marido.
–- E que coisa tosca é essa mulher dele! - Outra voz disse — nunca vi pessoa mais sem sal e sem gosto quanto essa mulher.
–- Isso porque você não a viu na praia minha querida Sasha! - Sim Isabella reconheceu a voz da mulher de Peter a Charlotte — a garota não tem nenhum pingo de classe, deve ser outra vadia que achou nele a chance de subir na vida.
–- Edward poderia ter escolhido outra mulher! - A outra voz feminina disse — E pensar que eu já estive com ele, céus esse homem é incrível na cama.
Risos ecoaram no toalete, as duas damas de alta classe ria de Isabella.
–- Imagine você, eu tive que me controlar para não rir quando meu marido elogiou aquela coisa! - Charlotte disse — só lamento por Edward estar casado com aquela coisa sem graça.
–- Pois é! - a outra dama disse confirmando o que a bela mulher disse — é uma pena mesmo, afinal eu estou aqui cheia de amor pra dar, e ele gastando dinheiro com aquela coisa feia que mal sabe se vestir.
–-Aposto que o vestido fora o Edward que pagou! - Charlotte disse — Edward e sua mania de querer salvar a pátria lembra-se da garçonete em Milão, foram apenas dois meses, mas ele transformou a mulher em dama por assim dizer.
–- Edward tem pé na pobreza só pode! - Ela disse rindo de novo junto com Charlotte.
Respirando fundo Isabella saiu do banheiro batendo a porta com força para ser notada. Ambas as mulheres ficaram pálidas ao ver a moça de quem tanto desdenhavam.
–- Ola! - Isabella disse lavando as mãos ao lado das duas mulheres que ainda estavam pálidas — primeiro erro, quando forem falar de alguém certifique se ela não vai estar dentro de uma das cabines do banheiro, e segundo não sou como vocês duas senhoras, duas vadias e mal fudidas.
Ao dizer isso Isabella saiu do banheiro deixando Charlotte e sua amiga Sasha completamente petrificadas. Já do lado de fora Isabella tremia, nunca tinha enfrentado alguém do jeito que fez com as duas mulheres, seu corpo dava leves tremores. Isabella pegou uma taça de champanhe com o garçom que ofereceu em uma bandeja e virou toda de uma vez e repetiu esse mesmo gesto umas seis vezes.
Corpo fraco para bebida, na quarta taça Isabella já estava tonta e com raiva, sentiu vontade de enfiar a mão na cara das duas vadias que falaram mal dela, mais também estava surpresa com sua atitude. Edward mesmo distante da esposa a observava e reparou quando Isabella esvaziou a sexta taça de champanhe e estava tonta e com a visão embaçada.
–- Senhores! - Edward disse sorrindo e levantando a taça — vou me retirar, receio que minha esposa já esteja cansada.
–- Mas já! - Peter disse – Ainda é tão cedo Edward.
–- Desculpe Peter! - Edward disse — mas quando se tem uma esposa como a minha no máximo passamos cinco minutos em uma festa e o resto da noite trancados em um quarto.
Todos riram afinal o comentário era maldoso, mas era verdadeiro a reunião era chata, um corpo feminino era bem mais atraente do que ouvir um bando de homens falando sobre negócios.
–- Edward quando parte? - Peter perguntou.
–- Ainda não sei Peter, estou vendo se iremos para casa no sábado ou no domingo! - Edward explicou — afinal eu trabalho na segunda. — dando um sorriso gentil para todos ali Edward se retirou.
Isabella já ia pegando mais uma taça, quando a mão do marido a conteve, Isabella olhou para Edward e teve dificuldade em focar os olhos no rosto do marido, ainda mais quando tudo que ela via eram aqueles lábios vermelhos. Isabella sempre soube que álcool não era uma das melhores coisas para se enfiar no sangue e tendo como certeza isso ela cobriu a boca do marido dando um profundo beijo nele, que não passou despercebido por todos ali na festa.
–- Me leva para casa! - Ela disse ofegante quando os lábios dela saíram do dele.
– Claro! - Edward disse passando o braço em volta da cintura dela e a conduzindo com o maior cuidado para a saída.
O caminho para casa fora longo e Isabella estava em chamas, seu corpo estava sobre o efeito do álcool, suas mãos estavam agitadas e ela sentia calor. Ela poderia simplesmente encostar-se ao banco do carona e dormir, mas estava tão difícil para ela até respirar ao lado dele.
–- Você esta bem? - Edward perguntou ao ver a inquietação da menina.
–- Sim! - Ela disse.
–- Você esta bêbada! - Edward comentou o que era óbvio — pode me dizer por que bebeu tanto? Pelo visto não esta acostumada a isso!
–- Não, eu não estou! - Ela disse olhando pela janela e reconhecendo o caminho.
         
Edward pensou em repetir sua pergunta, mas Isabella estava diferente e agindo diferente. O que se passava com ela? Tudo era efeito do álcool? Assim que o carro estacionou Isabella saltou fora dele jogando os sapatos de salto na areia, ela caminhou em direção ao mar sem se importar com nada, só queria conter o calor que seu corpo sentia, ela entrou de roupa e tudo no mar escuro pela noite, no começo estava tudo bem mais logo as várias ondas começaram a atingir ela em cheio e cada vez mais fora ficando difícil para ela nadar e logo lá estava ela se afogando na parte rasa da praia.
Edward entrou na água as pressas puxando Isabella para que ela por si só pudesse respirar, pegando ela no colo a retirou da água levando para a areia e colocando-a sobre a areia fina. Ela cuspiu água do mar para fora dos seus pulmões, seus olhos estavam fechados e suas mãos pressionavam seu próprio peito.
–- Está tentando se matar! - Edward gritou com a menina -- qual é o seu problema? - Ele estava irritado não entendia qual fora o motivo dela fazer essa loucura.
–- Você! - Ela disse do nada sem abrir os olhos — você é o meu problema, esse casamento é um problema e ter que conviver com você tá sendo uma tortura.
–- E tentar se matar fora a única solução que achou? - Ele perguntou com ironia. — Duvido que isso irá amenizar a sua culpa.
–- Grosso! - Ela sussurrou — você é um grosso Edward Cullen.
A voz estava meio enrolada, o álcool ainda estava presente no seu organismo, Edward pegou Isabella no colo e a carregou para dentro da casa, a garota tentou protestar de todo jeito que fora possível, mas o homem era mais forte do que ela. Edward deixou Isabella no banheiro e saiu, para logo em seguida voltar correndo quando ouviu um grande barulho vindo de dentro do banheiro.
–- Está tentando se mata mesmo! - Edward disse ao ver Isabella sentada no chão, ela tinha caído dentro do banheiro — vamos deixar as coisas claras Isabella! - Ele disse sério ajudando ela a ficar de pé — você fica longe de qualquer bebida alcoólica!
Isabella apenas olhou para ele e nada disse Edward a ajudou a entrar no banheiro e fechou o box. Quando as mãos dele foram para o fecho na costa do vestido para abrir Isabella pulou para frente batendo a testa na parede fria do box.
–- Ai! - Isabella gemeu levando a mão até a testa.
–- Que merda! - Edward disse irritado — você quer ficar quieta!
–- O que você esta fazendo? Isabella perguntou quando Edward abriu o seu vestido.
–- Esta na cara que você não conseguirá fazer isso sozinha! - Ele disse ríspido — pare de reclamar e fique quieta.
Chutá-lo no meio das pernas era uma ótima opção pensou Isabella olhando ele ajudar a despir, ela não era nenhuma menina virgem, já tivera dois namorados e com um perdeu a virgindade, mas ainda assim estava constrangida em ficar pelada na frente dele, mas ele era seu marido certo? Um marido de fachada, mas ainda assim seu marido.
 
Quando Isabella estava apenas de calcinha e sutiã Edward ligou o chuveiro e deixou a jovem tomar seu banho em paz. Isabella demorou bem mais do que demoraria em um banho normal, Edward achou que ela poderia ter dormido debaixo do chuveiro, mas quando ouviu o barulho dele sendo desligado entendeu que a jovem ainda estava acordada.
–- Vista! - Edward entregou o pijama dela — e beba isso!
Era remédio para dor de cabeça, com toda certeza Isabella acordaria com uma baita dor de cabeça.
....
O sol entrava pela janela, Edward estava na sala discutindo com alguém pelo celular. Isabella saiu da cama sua cabeça doía e estava um pouco enjoada, a noite passada não passava de um grande borrão, em sua mente estava tudo escuro e nada lembrava. Ela escovou os dentes, mas se recusou a tomar banho, agora descendo para a sala encontrou Edward alterado no celular.
–- Eu não quero saber! - Ele disse praticamente gritando — ok, estou voltando hoje, e, por favor, não a deixe chegar perto dele de novo. Você é pago muito bem para manter ela longe dele.
Edward olhou para a escada onde Isabella estava parada, e com cara de quem não entendia nada e de fato ela não estava entendendo nada.
–- Faça as malas! - Ele disse ríspido — vamos voltar para casa!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário