Jul M

Oi

domingo, 16 de setembro de 2012

O Casamento - 7 Lua de mel


Lua-de-mel.
A viagem de avião fora calma, Isabella dormiu o tempo todo, já Edward passara o vôo todo pensando em como tomar o poder que até então era do seu pai. Carlisle patrocinou a lua-de-mel para o filho porque ele achava que Isabella merecia também fora por causa da menina que ele cedeu a casa dele em Orlando, para que o filho pudesse aproveitar alguns dias na praia ao lado da mulher. Quando o avião pousou, Edward chamou a menina que ainda dormia, não fora educado, mas não fora um bruto como costumava ser, ela acordou meio perturbada não sabendo ao certo onde estava, mas ao poucos entendeu tudo. Foram calados até o carro de aluguel e de lá partiram para a casa de praia do Cullen pai.
Ainda era noite quando eles chegaram, mas logo o sol estaria nascendo, já passava das quatro da manhã. Isabella pouco olhou a casa, fora guiada pelo “marido” para o quarto onde eles dormiriam. Apesar de a casa ser grande, apenas um quarto era mantido em uso e Carlisle cuidou para que esse quarto estivesse pronto para quando o filho e a “esposa “ chegassem à casa. Edward, por sorte, já sabia e não fora pego de surpresa, apesar de ser filho de Carlisle não pode aproveitar tanto essa casa quando era mais novo. Esteve em Orlando apenas duasvezes com o pai e sua esposa e sempre fez questão de ser desprezível e depois da segunda vez Carlisle não levou mais o filho.
                         
_Vou tomar banho. _ Edward disse jogando as malas no canto do quarto _Meu pai organizou tudo, vamos ter que dividir o quarto. _Isabela nada disse _A casa é grande, mas apenas um quarto é mantido em uso. Coisas de dona Esme. _era visível o desprezo na voz dele _Fique à vontade.

Isabella suspirou quando ficou sozinha. Olhou em volta e sorriu com a imagem do belo quarto em que estava. Uma porta de vidro dava para a varanda, as janelas eram de vidro também e cortinas azul bebê, carpete em tons claros, a cama era grande demais, mas ainda assim tinha um estilo rústico, era uma cama antiga a julgar pela aparência. Como diria sua irmã quando criança: era uma cama de princesa com tudo o que tinha direito. Isabella só não conseguia entender o porquê de tanto ódio por parte de Edward, Esme sempre pareceu ser tão boa pessoa. Isabella saiu dos seus pensamentos quando Edward entrou no quarto, ele secava os cabelos com uma toalha e já vestia o short do pijama, alguns raios de sol entravam pela janela que estava com a cortina meio aberta.
_A água está ótima, se deseja tomar um banho, esse é o momento. _ele disse a jogando toalha num canto e indo em direção à cama _Vamos ter que dividir a cama, não tenho planos de dormir no chão e acho que nem você. _ele olhou com um sorriso zombeteiro para a menina, que ficou assustada ao ouvir suas palavras _Não se preocupe que eu não mordo e você nem é o tipo de mulher que costumo levar para a cama querida, você sairá desse casamento como uma virgem.
Isabella bufou, há quase um mês Edward sempre arrumava um jeito de humilhá-la, grosso e frio é o que ele era, suas palavras não eram diferentes, ela já devia estar acostumada com esse lado sem coração dele, mas sempre perdia a cabeça quando ele falava dela como se a conhecesse. Olhou para Edward enquanto ele se deitava depois de fechar as cortinas, ele estava cansado assim como ela, seu corpo estava protestando por sono. Mesmo Isabella tendo dormido a viagem toda, seu corpo doía pela posição que dormiu e ainda sentia cansaço, seria um ótimo modo de começar a lua-de-mel, ambos dormindo profundamente e foi com esse pensamento sarcástico que ela marchou para o banheiro indo tomar seu banho.
Edward tinha razão, a água morna estava ótima, quando Isabella saiu do banho se deu conta que havia deixado sua roupa do lado de fora, saiu do banheiro e olhou em direção da cama. Edward parecia dormir tranquilamente, mas apenas parecia, ele estava bem acordado, apenas observando cada ato, cada passo da menina. Isabella caminhava com passos rápidos e silenciosos em direção às malas, as abriu e retirou rapidamente seu pijama: um short de malha e camiseta regata da banda U2 e, claro, sua calcinha. Quando já estava com tudo nas mãos voltou correndo para o banheiro e se trocou. Edward conseguiu ver um pouco, mas ao mesmo tempo muito mais do que já tinha visto da jovem menina, ele sabia que ela tinha belas pernas, mas agora pode observar com mais atenção o tanto que suas pernas eram perfeitas. Ela tinha um belo par de coxas e ele sentiu uma vontade enorme de apertar, e esses pensamentos levaram Edward a ter outros.
“ como seria Isabella na cama?” _ele se perguntou _ “ como seria seu corpo?” e “sua boca, como seria? Seria tão macia quanto parecia?” quando Edward se deu conta dos seus novos pensamentos tratou logo de se auto-repreender, ele não tocaria na Swan e nem mesmo a beijaria, ela nunca fora o tipo de mulher que o atraía. Quando Isabella voltou para o quarto encontrou Edward no mesmo estado em que estava há minutos atrás, agora ele tinha uma ruga no meio de sua testa. Seria possível o Cullen filho estar tendo um sonho? Ela acabou rindo do seu próprio pensamento, seria loucura achar que esse homem sem coração conseguia ter sonhos. Caminhou em direção ao outro lado da cama e se deitou o mais distante que podia do Cullen, muito contato poderia acabar gerando atrito entre os dois e assim, quase na beirada da cama, Isabella adormeceu. Edward ainda ficou acordado por algumas horas ou foram minutos? Pensou no porquê de Isabella ter rido, foi dele? Até seu corpo ser vencido pelo cansaço e adormecer também.
...
Isabella acordou com o barulho de sua barriga reclamando por comida. Do andar de baixo vinha um aroma tão agradável, que ela saiu da cama sem se importar com o que vestia e desceu as escadas seguindo o cheiro que vinha da cozinha. Já passava das duas das tarde quando ela acordou e Edward estava na cozinha preparando o que seria o café da manhã para os dois.
_Você sabe cozinhar? Isabella estava surpresa de verdade, nunca achara que o Cullen metido saberia fazer isso.
_Aprendi a me virar. _ele disse normalmente _Acho que você vai querer um café antes do almoço. _ele comentou virando as panquecas _Apesar de já ser de tarde, não acho seja legal pular o café da manhã.
_Tudo bem. _ Isabella sentou-se no banco do outro lado do balcão da cozinha. _Quantos dias vamos passar aqui?
_Uma semana. _ele disse já colocando os pratos com a comida sobre o balcão. _Teremos que conhecer alguns lugares e tirarmos fotos, não se esqueça que isso aqui ainda é uma lua-de-mel.
Isabella bufou, seria possível esse homem esboçar um pouco de gentileza? Ou era impossível para ele mostrar um ato de bondade?
_Algum dia você já soube o que é gentileza? _Isabella perguntou azeda.
_Gentileza são para os fracos. _ele disse frio como sempre _Se você demonstra fraqueza todos pisam em você.

Isabella se sentiu ainda mais ofendida, de algum modo ele tinha razão, claro que de um modo errado, mas seria tarde para voltar atrás. Comeram em silêncio, Isabella observou a cozinha mais detalhadamente: era branca. Tudo ali era em tom branco: as paredes, a geladeira, o fogão, o armário, toda a mobília da cozinha era branca, assim como o chão.
_Tome um banho e troque de roupa. _Edward disse chamando sua atenção _Vamos passear pela praia. Quando descer a traga câmera com você, deixei em cima do criado mudo, ao lado da cama.
.....
Ele não era tão ruim assim, ele sorriu algumas vezes naquela tarde, Isabella pensou enquanto voltava para casa, depois de caminharem pela praia e conhecerem alguns lugares por ali mesmo. Eles tiraram fotos, algumas foram tiradas até sem Isabella saber, como uma dela distraída olhando o balançar das ondas, ou correndo atrás do chapéu de praia que tinha sido levado pelo vento, uma com ela tomando água sentada em cima de uma pedra e uma quando estava saindo do banho de mar. Mas não foram fotos só de Isabella, havia fotos deles juntos, nelas pareciam mais ser amigos do que de um casal apaixonado, mas também tinham fotos diferentes, que deixaram Isabella corada e constrangida. Em algumas ela fora pega de surpresa, como a foto onde Edward arrumava seus cabelos, deixando claro o clima romântico do momento, ou uma em que ele estava beijando o rosto dela de maneira ousada. Como também aquela em que estava com o rosto escondido na curva do seu pescoço dando uma leve mordida. E, claro, uma última foto com o pôr do sol atrás deles que Edward aproveitou o momento em que ela estava distraída para lhe roubar um beijo e assim tirar a foto que marcou o dia.

Isabella passou horas no banho, ela entrou depois que Edward saiu do banheiro. Durante esse tempo Edward preparou o jantar deles, até pensou em levá-la para conhecer a cidade à noite, mas devido ao sol seu corpo estava doído, e tudo que ele queria era se deitar e relaxar vendo um filme mesmo na televisão. Isabella poderia não notar, mesmo porque Edward não fazia questão de demonstrar atos de gentileza, mas de uma maneira estranha ele acabava sendo gentil, porque querendo ou não sempre se preocupava com ela, como estava fazendo agora. Achou que Isabella iria gostar mais de comer na cama, já que o dia fora cansativo, e assim o fez. Quando Isabella saiu do banheiro, seus cabelos lavados exalavam um aroma doce que era agradável ao olfato dele. Edward já estava com a bandeja posta sobre a cama. Isabella sorriu ao ver, depois do beijo roubado o clima ficou um pouco estranho entre os dois.
_Imaginei que seria melhor jantarmos aqui. _ele disse já se arrumando na cama e ligando a TV _Podemos ver um filme. _Isabella achou o ato dele tão fofo que seu sorriso ficou mais largo _E é claro que estou cansado demais, depois de passar a tarde bancando o maridinho feliz, para sair andando agora à noite.
E como sempre ele conseguia estragar qualquer ato de gentileza, com palavras grossas e agressivas. Ela escovou os cabelos, deixou a escova sobre a penteadeira e se juntou com ele na cama. O jantar fora tão silencioso quanto o café da manhã fora do horário, terminaram quando o filme começava, era um romance, algo que Edward não curtia muito, mesmo assim deixou quando viu os olhos de Isabella grudados na TV, ela parecia bem interessada.
_Não vejo graça nesse tipo de filme. _ ele comentou depois de um tempo _Essa coisa de romance só existe mesmo em filmes, ninguém é assim.
_Por que acha isso? _Isabella perguntou.
_Ninguém é capaz de amar como eles descrevem nesse filme. _ Edward disse olhando para a TV- É ridículo, o cara está morto e ainda assim ela continua lembrando-se dele, é patético.
_P.S: I Love You. _ Isabella sussurro o nome do filme._Não é bem assim, as pessoas amam de verdade, talvez isso não tenha acontecido com você, mas existem amores assim. _Isabella disse repetindo uma frase do filme _Você está preso demais nesse seu mundo frio e gelado Edward, se algum dia o amor bateu na sua porta você nunca viu e o deixou passar.
Edward bufou, odiava falar sobre isso, havia mais coisas do passado dele que ninguém sabia, coisas que ficaram presas entre as paredes da casa dele, e uma história que só a família poderia saber.
_Está enganada Isabella. _ele disse afastando as cobertas e saindo da cama _Já amei alguém, amei até demais. _ele disse pegando a bandeja e caminhando para a porta _Só que parei de sonhar e virei um homem, você é que ainda está presa no seu mundinho de conto-de-fadas quase perfeito, por isso as pessoas pisam em você, te fazem de gato e sapato. _ disse, grosso como sempre fora _Acorde desse mundo de sonhos antes que seja tarde demais para você.
Ele não esperou por uma resposta, apenas saiu do quarto levando a bandeja e deixando uma Isabella raivosa no quarto. Ele conseguia estragar tudo como sempre, mas foi outra coisa que deixou Isabella surpresa, foi ele ter dito que já amou. Quem diria que o homem de gelo algum dia já chegou se apaixonar de verdade por alguém. Era difícil acreditar que ele tenha um coração e, para Isabella, só parecia que tinha quando ele demonstrava um ato de gentileza, só parecia porque logo depois o ato de gentileza virava um ato de grosseira, era sempre assim. Agora a pergunta que não saía de sua cabeça era: quem fora a mulher que ele amou?

Nenhum comentário:

Postar um comentário