Jul M

Oi

domingo, 16 de setembro de 2012

O Casamento -- 5 O casamento( 1 parte)


O casamento (parte 1)
O grande dia havia chegado e todos queriam saber o porquê de um casamento assim tão rápido, vários comentários sugiram e junto com eles boatos sobre uma suposta gravidez de Isabella, alguns foram bem mais maldosos e disseram que a jovem estava dando um belo golpe no filho do dono da empresa. O que ninguém imaginava era que por trás de tudo existia apenas um contrato que mantinha os dois presos, um ao outro, por determinado tempo, não havia nenhum tipo de relacionamento sério e muito menos sentimentos.
A pior parte para Isabella fora falar com os pais e apresentar seu “noivo” para a família os quais nem sabiam que a menina estava namorando. Os pais ficaram com cara de espanto, enquanto que a de Tânia foi impagável, eles não gostaram nadinha de saber que a filha mais nova iria casar com um cara rico e bonitão como Edward Cullen.
“Flashback ON”
Charlie e Renée estavam sentados no grande sofá da sala de Edward e Isabella estava ao seu lado, trajando mais um dos seus figurinos de senhora, um vestido cinza que não tinha nenhum atrativo, fechado e comprido até os joelhos, um modelo simples e sem vida, cabelos presos e uma maquiagem tão leve que mal dava para perceber. Do lado de Isabella estava Tânia trajando um vestido preto, com um vasto decote que deixava seus seios quase saindo por ele, uma maquiagem forte e lábios vermelhos como sangue.
– Você tem que concordar que isso tudo é uma grande surpresa. – Charlie disse se sentindo desconfortável com toda a situação. – Isabella é minha filha mais nova, e, ate então, nem sabíamos que ela estava namorando, quanto mais noiva e com data marcada para casar.
Edward apertou a mão de Isabella a qual segurava entre a sua, incentivando ela a dizer algo, pois ele não sabia como começar a falar sem deixar brechas para dúvidas.
– Pai, Edward é uma pessoa publica. – Isabella alegou. – Tente entender que não posso simplesmente ligar e dizer “estou namorando com Edward Cullen” e muito menos noiva dele, porque a imprensa e a mídia cairiam em cima e adeus paz para vocês.
Claro que Charlie não acreditou nas palavras que saíram da boca da filha, ele sabia que havia algo de errado ali, sem contar que ainda percebeu um brilho diferente nos olhos dela e que essa não era a mesma Isabella que um dia deixou NY para estudar e trabalha, tinha algo novo, algo que ele não sabia descrever, mais sabia que o Cullen estava no meio de tudo.
– Mas eu estava com você no restaurante quando vimos ele. – Tânia disse lembrando-se do episódio. – E você mesmo dissera que ele era só o seu amigo, mas ele não parava de olhar para nossa mesa e até achei que era para mim, o que de fato parecia muito.
O veneno estava vivo em cada palavra dita pela loira, o ciúme era evidente em seus olhos, Isabella se casaria com um homem rico enquanto Tânia continuava solteira e tendo apenas alguns casinhos para se distrair, a jovem não achava nada justo essa situação.
– Não vejo nenhum motivo para ficar falando de minha vida para você Tânia. – Bella falou com certo resentimento porque Tânia deu em cima de Edward o tempo todo que estavam no restaurante, fez comentários maldosos, se insinuou para ele, usou a velha e boa cruzada de pernas, tentou parecer mais sensual do que já estava sendo, e, no fim, Edward nada fez, era como se a loira deslumbrante não estivesse presente e isso só a deixou com mais raiva e com mais vontade de ter esse homem.
– Querida, não fale assim com sua irmã. – Renée entrou em defesa da sua preferida. – Mas para quando é o casamento?
– No final do mês. – Edward disse levando a mão de Isabella a boca, beijando-a. – Acho que já está mais do que na hora de começarmos nossa família.
Bella sentiu seu rosto ficar quente e sabia que estava muito vermelha.
– Isabella! – Charlie chamou atenção da filha. – Você não estaria grávida né?
Ela engasgou com sua própria saliva, era mesmo verdade que o pai estava pensando que ela estava grávida? Mas por que ele chegou a essa teoria absurda? Olhou para Edward em busca de ajuda, ela estava tão nervosa que poderia acabar deixando muito coisa escapar por sua boca, porém percebeu que ele tentava prender um sorriso que insistia em sair de seus lábios.
– Não Charlie. – Se recompôs e fingiu limpar a garganta. – Isabella não esta grávida, só desejamos nos casar, não é assim que acontece? Você encontra a mulher da sua vida e com ela deseja forma uma família? Mas para isso é preciso se casar antes.
Isabella olhou em choque para Edward, como pode alguém tão frio falar de amor de um jeito tão puro? Será que ele já amou alguém de verdade ou se um dia poderá chegar a amar? Balançou a cabeça em reprovação, pois nunca faria tais perguntas para ele, preferia ficar na dúvida.
– Você não quer nossa aprovação! – Charlie falou meio chateado com a filha. – Está apenas no comunicando sua decisão e não há nada que podemos fazer ou dizer que irá mudar sua escolha, certo?
– Não pai, minha decisão já foi tomada. – Falou se sentindo um pouco estranha.
– Tudo bem, então nos mande o convite e estaremos lá.
A família partira da casa de Edward e então Isabella deixou as lágrimas rolarem por seu rosto, ela chorou em silêncio por horas até que Edward avisou que iria levá-la para casa.
“Flashback OFF”
Tudo estava sendo arrumado no jardim da mansão dos Cullen. De início seria uma cerimônia simples e para poucas pessoas, porém Edward queria algo grande e único porque estaria se casando e queria deixar isso claro para todos, principalmente para provocar seu papai.
A cerimônia simples fora esquecida e tudo seria deslumbrante, assim como a noiva, o vestido de Isabella era lindo e na simples, assim como o cabelo e maquiagem que estavam impecáveis. Do lado de fora da casa, o jardim fora preparado para receber mais de 200 pessoas, a decoração estava tão perfeita como a noiva, tudo em branco e lilás, tulipas roxas decoravam o local onde seria a cerimônia e a festa. Esme ajudou Isabella em cada detalhe, assim como sua mãe e Tânia, mesmo indo só para provocar e implicar com a irmã.
– Está linda! – Esme disse sorrindo ao ver a menina pelo espelho. – Edward irá se encantar ainda mais por você.

Isabella sentiu as suas bochechas corarem, seria possível ele achá-la bonita? Edward deixou bem claro nesses últimos dias que a menina era sem graça, sem sal e se vestia muito mal, com o dinheiro que ela receberia depois poderia até comprar um marido, foram as palavras grossas após uma das várias discussões que tiveram. Edward só era gentil com Isabella na frente das pessoas, era até possível jurar que existia amor entre eles, mas quando não havia ninguém ele era frio como sempre fora com qualquer um, não era por acaso que Isabella o apelidara de coração de gelo.
– Vou sair e avisar seu pai que já está pronta. – Esme falou sorrindo.
Ela fechou os olhos e respirou fundo, nesses últimos dias o casal havia brigado muito devido a crise de consciência da garota, ela tentou por várias vezes convencer o “noivo” a desistir dessa loucura, por mais que fosse tarde ela acabou enxergando que era tudo uma grande loucura. A porta fora aberta e isso a tirou dos seus pensamentos, pelo espelho encarou Tânia.
– Sabe irmãzinha, ainda não sei o que é, mas sei que tem algo de muito errado nesse casamento. – Falou se encostando contra a parede, com cuidado para não amassar e danificar o vestido que usava.
Isabella sentiu o coração bater mais forte, se a irmã estava desconfiada era bem possível que várias outras pessoas também estivessem. E se alguém descobrisse a verdade? Seria seu fim, com toda certeza.
– É impossível um homem como Edward Cullen olhar para você! –Falou com inveja em sua voz. – O cara é bonito demais, gostoso demais, e, com toda certeza, poderia escolher algo bem melhor do que você.
Um sorriso apareceu nos lábios de Tânia.
– Poderia escolher uma mulher como eu, que sabe satisfazer um homem como se deve!
Isabella sentiu a raiva possuir cada célula do seu corpo após ouvir aquelas palavras.
– Tenho para mim que Edward só está se casando com você por pena. – Disse passando as mãos pelos longos cabelos dourados. – Admita Isabella, essa é a única saída que vejo para um homem como ele casar você!
– SAÍ DAQUI AGORA! – Isabella gritou. – Você não vale nada Tânia, está aí toda ressentida só porque eu consegui algo que você nunca irá conseguir, um marido rico, bonito e que gosta de mim.
Ela respirava ofegante e todo seu rosto estava vermelho.
– Já você, sua puta de quinta categoria, vai ter que continuar dormindo com aqueles velhos nojentos que só querem te exibir como mercadoria e no final até pagam por sua companhia.
Tânia tinha os olhos arregalados, as palavras da irmã foram como um tapa em sua cara, a loira começou a ficar vermelha de raiva. Antes Isabella escutaria toda humilhação e ficaria calada, nunca passou pela cabeça de Tânia que algum dia fosse dizer isso tudo para ela, mas agora fervendo em raiva a loira não acreditava no que ouvira da boca da irmã.
– Sua...Sua...Sua filha de...
– Cala a boca. – Bella interrompeu a irmã. – Saía agora desse quarto antes que eu faça alguma coisa pior com você Tânia.
Ela tentou ir para cima de Isabella, mas a porta fora aberta bem na hora que a loira deu o primeiro passo, Esme entrou junto com Charlie que usava um belo smoking, mesmo sendo contra esse casamento estava feliz em ver uma das filhas se casando. Ele, ao contrário de Renée, amava as duas filhas, mas na maioria das vezes acabava cedendo às vontades da esposa e fazia tudo por Tânia.
– Querida vamos. – Esme puxou o braço de Tânia retirando-a daquele local.
Charlie deu um sorriso gentil para a filha, Isabella estava linda sem sombra de dúvidas, o vestido era perfeito e lhe caíra muito bem, todo branco com alguns detalhes incríveis em seda e mangas cumpridas, o véu que cobria seu cabelo logo cobriria o seu rosto.
– Está realmente linda minha filha. – Charlie sussurrou ao seu lado enquanto segurava seu braço.
Charlie gostou de saber que a filha parecia feliz com Edward, apenas não gostou de descobrir o casamento faltando apenas algumas semanas para ele ser realizado.
– Posso não concordar muito com o fato de estar se casando às pressas, mas ainda assim estou feliz por você filha.
– Obrigado pai. – Os olhos da menina já estavam cheios de lágrimas e ela se controlou para não borrar a maquiagem.
Charlie beijou as mãos da filha e depois a segurou pelo braço novamente e viu mais uma vez um brilho em seus olhos.
– Está pronta?
– Estou! – Disse respirando fundo e andando para fora do quarto.
(...)
O jardim estava perfeitamente decorado, ao adentrar o local viu que não conhecia a maioria das pessoas, porém avistou rostos conhecidos como o de Ângela, que era sua madrinha, Rose uma grande amiga que era sua dama de honra, Tânia estava no altar assim como sua mãe e a família do noivo, Elizabeth a mãe de Edward estava ao seu lado no altar juntamente com Carlisle, Esme estava sentada com os convidados, mesmo sendo casada com Carlisle achou melhor não tentar rouba o lugar da mãe de Edward nesse grande dia já que o jovem não gostava muito dela.
Charlie entregou Isabella para Edward e ambos esboçaram um sorriso, parecia tudo tão real, as lágrimas no rosto de Isabella, os olhos de Edward brilhando ao dizer sim, e, é claro o beijo trocado entre os dois quando o juiz de paz os declarou marido e mulher e disse que poderiam se beijar. Edward tinha um sorriso vitorioso nos lábios, e os olhos brilhantes de Isabella, pelas lágrimas, estava dando um ar de realidade à cerimônia, como se nada ali fosse mentira, como se não houvesse um contrato por trás de tudo aquilo, e, o pior de tudo, era que na verdade não existia se quer, nenhuma gota de amor entre o casal.
              
                             
No fundo, Isabella tinha consciência que havia acabando de vez com toda sua vida e que durante quatro longos anos seria esposa de Edward Cullen, a esposa do coração de gelo, do homem frio que só pensa nele mesmo, que não consegue amar ninguém além de se próprio e tão pouco demonstrar um gesto de carinho de verdade, definitivamente ela acabara de vez com sua vida...

Nenhum comentário:

Postar um comentário