Jul M

Oi

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

O casamento-- !3-- Briga igual a sexo?


Briga igual a sexo?



O corpo de Isabella fora imprensado contra a parede, a mão de Edward fora para a sua boca sufocando o gemido que a jovem soltou quando foi penetrada com violência em uma única estocada pelo rapaz. O corpo dela subia e descia devida a rapidez dos movimentos do rapaz, fazendo Isabella ver estrelas. Os gemidos que deveriam sair altos da sua boca estavam sendo abafados pela mão de Edward que sabia que o filho estava no quarto ao lado.

(Minutos antes)


Edward entrou no quarto sendo seguido por Isabella, que assim que olhou para a cara dele sabia que tinha algo errado, ela não sabia o que esperar, mas sabia que boa coisa não seria pela cara dele nada bom viria dali.

-- Feche a porta! - Ele disse.

Isabella fez o que ele pediu, mas não saiu de perto da porta, por mais que ela não soubesse o que se passava não iria correr o risco dele cometer alguma loucura contra ela, ela não sabia dizer se Edward era violento ou não, mas não pagaria para saber.

-- Por que você não me avisou que ligaram da escola do Anthony? - Ele fora direto ao assunto.

-- Eu... Eu não achei que fosse importante! - Ela disse meio gaga – você estava no trabalho e..

-- É o meu filho claro que é importante para mim! - Ele olhou para ela com cara feia.

-- Não fora  nada demais! - ela disse sentindo um medo terrível no olhar que ele mandava para ela — esta tudo bem agora.

-- Não fora nada demais? - ele disse com ironia — Anthony briga na escola e morde o coleguinha e não fora nada demais? Desde quando você tem direito de escolher o que é importante ou não eu saber sobre meu filho.

-- Eu não achei...

Isabella estava nervosa e o olhar de Edward estava a assustando e a deixando ainda mais nervosa.

-- Você não tem que achar nada quando o assunto for meu filho! - Ele gritou em um tom moderado, mas ainda assim gritou.

-- Cala a boca! - Isabella disse, chamando a atenção dele — eu tenho tanto direito quanto você.

-- Estar casada comigo não faz de você mãe dele! - Ele disse seco como sempre — acho que lembra que só é minha esposa no papel e que eu estou pagando muito caro por isso!

As palavras dele foram como um tapa na cara dela, Isabella se xingou mentalmente por ainda acha que esse filho da mãe tinha coração, mas ela sempre estava errada afinal ele não tinha coração.

-- Você me deu permissão assim que pediu a minha permissão para ele morar aqui! - Isabella gritou fazendo seu corpo todo tremer — você é tão grosso que o menino tem medo de você.

-- Ótimo! Agora quer me ensinar como educar meu filho! - Ele disse chegando mais perto assustando Isabella ainda mais.

-- Fica longe! - Ela gritou — você não sabe de nada sobre o Anthony, você sabe pelo menos por que ele brigou na escola? Ou só ouviu o que aquela retardada da diretora da escola disse?

-- Anthony anda rebelde, ele só esta querendo chamar a atenção! - Edward disse fazendo Isabella bufar — minha mãe já tinha me falado disso, que ele anda fazendo de tudo para chamar a atenção.

-- Idiota! - Ela gritou partindo pra cima dele batendo no seu peito — como pode achar isso, Anthony não esta tentando chamar a sua atenção, Anthony tem medo das pessoas Edward e ele tem medo de você.

Os pulsos de Isabella foram presos pelas mãos fortes de Edward que a sacudiu com um pouco mais de força.

-- Do que você esta falando? - Ele perguntou em um tom sério e frio, sua respiração estava entrecortada. — como assim Anthony tem medo?

Isabella respirou fundo, buscando ar para os pulmões antes de começar a falar sobre o que Anthony tinha.

-- Eu não posso afirmar com clareza, mas acho que Anthony sofre da síndrome do pânico! - Ela disse, assim chamando a atenção de Edward – ele brigou na escola por que o garoto o assustou no banheiro com uma máscara de monstro, ele atacou o menino achando que ele iria matar ele.

Edward soltou os braços de Isabela e passou a mão pelos cabelos, ele não acreditava que o filho poderia sofrer disso, como ele nunca notou isso, justo com Anthony que era a única coisa que ligava ele com um Edward mais humano, logo seu filho que ele jurou proteger de todos e tudo.

-- Porque chegou a essa conclusão? - Ele perguntou olhando ela pela primeira vez sem ódio nos olhos.

-- Ele não se relaciona bem com as outras crianças, fica sempre no canto, e qualquer coisa o assusta, Edward! - ela explicou — eu não posso afirmar, essa síndrome tem vários modos de se desenvolver, eu posso estar errada, ele apenas pode ser tímido.

-- Não, isso não é verdade! - Ele disse empurrando Isabella, a fazendo bater com a costa contra a parede perto da porta — diz que você esta mentindo!

-- Você esta me machucando! - Ela disse ofegante e com medo — Edward eu estou dizendo que posso estar errada e de fato eu posso, mais eu acho melhor marcar uma visita para Anthony no psicólogo.

-- Ele não tem nada Isabella! - Ele disse respirando rápido sem fazer pausa. — ele não está doente! - Ele gritou assustando ainda mais Isabella.

Loucura ou não? Fora o que Isabella fez ao tentar consolar Edward, ela suspeitou disso desde o momento que viu Anthony e o modo como ele sempre se comportava na frente do pai, a briga na escola causou mais dúvidas, mas ao o ouvir dizer que tinha medo do escuro, ela ficou com mais dúvida, não poderia afirmar com certeza, mas descobriria de algum jeito. Edward tinha os olhos fechados e braços em cada lado de Isabella, mantendo ela presa contra a parede e de frente para ele, parecia tão cansado e exausto que Isabella arriscou passar as mãos pelos cabelos dele em um gesto nítido de carinho e de apoio, quando ele mexeu o corpo Isabella pensou que ele se afastaria, contrariando ele apoiou a cabeça em seu ombro relaxando e sentindo o cafuné que ela fazia em sua cabeça e inalando o doce aroma de jasmim que vinha dela.

-- Eu vou marcar uma consulta para Anthony! - Ela sussurrou ainda fazendo o carinho — só para tirar todas as dúvidas, e melhor do que arriscar.

-- Eu vou com vocês no dia! - fora tudo o que ele disse levantando a cabeça e olhando ela nos olhos — sinto muito que a tenha machucado.

-- Não machucou! - Ela disse — mas você me assustou.

-- Obrigado por cuidar do Anthony! - Ele disse sentindo um alívio ao dizer essas palavras.

-- Eu já sinto um grande carinho por ele! - Isabella disse olhando para ele depois arregalando os olhos — o que foi isso? - Ela perguntou tocando a mancha vermelha no pescoço dele.

-- Você não se lembra do que aconteceu ontem? - Ele perguntou.

-- Como assim? - Ela perguntou em dúvida — eu bebi um pouco depois não me lembro de nada com tanta clareza.
-- Você não se viu no espelho quando acordou pela manhã? - Ele perguntou com um sorriso presunçoso nos lábios.

-- Do que você está falando Edward? O que aconteceu ontem á noite? - Isabella estava assustada com o fato de não se lembrar da noite passada e bastante assustada com o sorriso nos lábios do suposto marido.

-- Vem aqui? - Ele caminhou com ela em direção ao espelho. — você não viu isso quando tomou banho?

Edward mostrou as marcas dos seus dedos no corpo da jovem, ele mostrou as marcas que estavam no braço dela subindo para o pescoço, mostrando algumas marcas vermelhas que ele tinha feito no pescoço dela que se arrastavam pelo colo indo para os seios e descendo pela barriga dela.

-- Ai meu Deus! - Ela gritou pulando para trás — não, você não fez isso! - Ela disse olhando para ele chocada.

--Eu e você! - Ele disse dando um sorriso irônico. — você parecia bem animada quando fez isso em mim! - Ele apontou para as dele — outra coisa, você tem um corpo bem bonito para ficar escondido por essas roupas feias.

Isabella sentiu um arrepio percorrer toda a sua espinha, ainda mais quando viu Edward caminhando em sua direção igual a um felino pronto para dar o bote em sua presa.

-- Não se atreva! - Ela disse batendo a costa contra a parede mais uma vez — você tirou proveito por eu estar bêbada!

-- Não preciso disso Isabella! - Ele disse — não preciso embebedar uma mulher para leva-la para a cama! - Ele chegou perto dela a prendendo contra a parede — mas tenho que admitir que você fica bem mais soltinha quando esta bêbada. 

-- Eu estou falando para ficar longe! - Ela disse já não tendo para onde fugir — você já abusou de mim ontem, deveria ter vergonha de se aproveitar de uma mulher bêbada.

Edward bufou e deu mais dois passos e prendeu Isabella de novo na parede e contra o seu corpo.

-- Acha mesmo que preciso embebedar você para te levar para a cama? - Ele perguntou em um tom sério e cheio de malícia — vou te mostrar que não preciso disso!
...
(Agora)



-- Aaaaah, mais forte! - Ela gemeu mordendo a mão de Edward que investia com força nela.

-- Ainda acha que preciso embebedar você Isabella? - ele perguntou penetrando ela com mais força e indo bem fundo.

-- Não para! - Ela gemeu — eu estou quase... Ooooh


 Os gemidos de Isabella eram altos, as investidas de Edward não eram nada gentis, o corpo de Isabella subia e descia escorregando pela parede, a fazendo sentir cada pedacinho dele dentro dela, sentindo o seu membro pulsar com uma vibração forte, fazendo ela delirar e gemer feito uma cadela no cio. A boca dele marcou ainda mais o pescoço exposto dela, assim como seu colo e seus seios, onde ele mordeu o bico e a torturava sugando cada mamilo fazendo Isabella gritar.

-- Controle-se! - ele disse tapando a boca dela sem parar de se movimentar — vai acordar o Anthony.
        
 Loucura ou não Isabella não pensou duas vezes quando chupou o dedo do meio de Edward fazendo o rapaz gemer com a cena, e investir com mais força dentro dela e fazendo sua boceta apertada mastigar ainda mais seu pau que começava a dar sinal de que ele logo gozaria. As investidas ficaram ainda mais frenéticas, Isabella tinha a mão de Edward tapando sua boca e seguindo o ritmo dele ela rebolava seu quadril de encontro com o dele dando assim mais prazer aos dois.

-- Edward, oooh! - Ela gemeu sentindo os primeiros tremores que dominaram seu corpo — eu vou, ooooooooh eu vou... aaaaaaaaaaah

 Ela jogou a cabeça pra trás gozando e sentindo todo seu corpo tremer e pulsar, Edward ainda investiu mais algumas vezes nela até gozar dentro dela, enchendo seu canal vaginal com seu gozo.

-- Ainda acha que preciso embebedar você? - Ele disse olhando para ela com um sorriso de vitória nos lábios — você fica linda corada desse jeito.


 Isabella sentiu o coração acelerar, a respiração ficar mais urgente, essa era a segunda vez que ele a chamava de linda, a fazendo sentir a alegria invadir seu peito, mas seria seguro para ela acreditar nessas palavras e deixar essa alegria invadi-la a ponto de dominá-la?


4 comentários:

  1. Ui que cenas hots... só a Bella pra esquecer essas cenas.. pq eu não esqueceria nem a pau... kkkk...

    ResponderExcluir
  2. oi, quando vc vai postar de novo??
    posta ainda hoje por favor....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Laura querida to postando hoje a noite sem falta linda

      Excluir