Jul M

Oi

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

O Casamento -- 10 -- Um é pouco dois é bom e três?


Um é pouco, dois é bom e três?
Isabella queria saber o porquê dessa volta tão repentina para casa, a lua-de-mel de mentira fora cancelada e Edward estava tão mais tão revoltado com algo que nada explicou á menina, apenas ajudou ela a arrumar as malas e partiram. Já em solo americano o motorista da mãe dele já esperava por ele no aeroporto.
–- Paul, me leve para a casa da minha mãe e depois leve minha esposa para meu apartamento! - Edward deu as instruções para o motorista.
Paul levou Edward direto para casa da mãe, o jovem motorista parou o carro e Edward abriu a porta, mas não antes de dar um beijo leve nos lábios da esposa e sair. Claro, tinham que manter as aparências na frente de todos e isso incluía até o motorista da família.
....
Isabella chegou á sua nova casa, a cobertura de Edward Cullen em um luxuoso prédio, a sua casa aquela que ela fez grande esforço para comprar a qual não tinha nenhum móvel se quer, ficou para segundo plano, um plano que levaria quatro anos para ser colocado em prática. Ela ficou feliz de ver que na geladeira tinha comida e que fora abastecida, ela levou as malas para o quarto, jogou tudo que fora roupa suja para lavar e por fim fora tomar seu banho, assim que saiu do banheiro vestiu a roupa mais simples e sem vida que tinha e foi para a cozinha fazer o que seria o jantar deles por já passar das quatro da tarde quando eles chegaram e logo estaria anoitecendo.
Isabella jantou e Edward nada de chegar, nenhum telefonema fora dado para avisar que ainda estava vivo, ela mais uma vez voltou para o quarto e tomou mais um banho, só que agora para poder dormir, vestiu uma camisa velha, um short solto que mais parecia uma calcinha devido o tamanho, mas a camisa era grande e larga dava para cobrir o corpo que ela tanto fazia questão de esconder. O apartamento de Edward era grande, mas Isabella não viu mais nenhum quarto se não aquele que ela estava. Isabella se sentou na cama e ligou a TV de plasma que tinha embutida na parede, logo o tempo fora passando e assim às horas, Isabella acabou dormindo em vez de esperar Edward para saber onde seria o seu quarto naquela casa, estava fora de questão dividir a mesma cama com ele de novo.
...
Já passava das duas da manhã quando Edward entrou em seu apartamento meio bêbado, mas não o bastante para não saber o que estava fazendo, deixou os sapatos no caminho assim como sua camisa e o cinto que usava junto com a calça e foi para o quarto, no quarto retirou o restante das roupas ficando apenas com uma boxer preta que ele usava. O cheiro de álcool era forte, mas Edward não estava tão bêbado assim, ele sentia raiva, ele sentiu raiva durante algumas horas, mas assim que várias doses de uísque entraram em contato com o seu corpo quente tudo fora esquecido até mesmo o real motivo de sua raiva.
Isabella dormia tranquilamente na cama, seu cabelo estava completamente espalhado sobre o travesseiro que estava apoiando sua cabeça a coberta fora esquecida, sua pernas estavam descobertas e a camisa grande e larga que usava estava encolhida quatro dedos acima da sua cintura, deixando boa parte de sua barriga amostra. Algo que não passou despercebido pelo olhar meio embebedado de Edward, ele sorriu vendo a jovem tão à vontade em sua cama, dando passos largos em direção a cama Edward se aproximou ainda mais da cama.
–- Vejo que o patinho feio, não é feio afinal! - Edward sussurrou passando levemente os dedos pelas pernas da menina. — não fora um mau negócio afinal! - Ele sussurrou para ele mesmo.
....
O sol entrava forte pela janela, Isabella sabia que não precisava trabalhar hoje, tecnicamente ela ainda estava em lua-de-mel. Ela se mexeu na cama e virou esbarrando em outro corpo na cama.
–- Merda! - Ela sussurrou e abriu os olhos.
Ela havia dividido de novo a cama com o jovem, mais não fora sua culpa afinal ela nem viu a hora que o suposto marido chegou, o cheiro de álcool era forte, e vinha do Edward, ele tinha os olhos fechados e os cabelos bem mais bagunçados do que o normal. Ele era lindo até dormindo, disso ela não tinha dúvida. Edward era um homem forte e muito atraente alguém que qualquer mulher cairia aos seus pés. Isabella saiu da cama indo até a mala e pegando um vestido tão feio quanto os outros, cobria seu corpo perfeito e não a deixava nada sexy, tomou um banho rápido e trocou de roupa, saindo do banheiro ela fora para a cozinha fazer o café.
Isabella já tinha posto a mesa, estava só esperando o café ficar pronto, a mesa fora colocada para dois, ela não sabia que hora Edward ia sair daquela cama, mas não custava nada deixar a mesa posta para ele caso o cheiro do café o animasse a sair da cama. Isabella já ia se sentar quando a campainha do apartamento fora tocada, quem seria uma hora dessas? Afinal como alguém podia saber que eles já voltaram? Saiu em direção à porta a abrindo. Isabella levou alguns minutos encarando a pequena figura que estava parada em sua porta, uma criatura linda que tinha um par de olhos verdes que poderiam ser comparados a duas esmeraldas, ao seu lado tinha uma mala e ele tinha uma pequena maleta de brinquedo na mão.
–- Oi! - ele disse com a voz bem fraca.
–- Oi! - Ele disse dando um sorriso torto que Isabella jurava já ter visto em alguém — eu vim para ficar com meu pai.
–- Seu... seu... seu pai? - Isabella perguntou entre os gaguejos.
–- Sim, meu pai Edward! - o menino de cabelos acobreados disse dando mais uma vez o sorriso torto que herdou do pai.
.......
Já no apartamento devidamente sentado na mesa como um bom menino que era, o garotinho conversava com Isabella.
–- Então Edward é seu pai? - Isabella repetiu a pergunta que tinha feito antes.
–- É sim! - O garotinho disse.
–- Quantos anos você tem? - Isabella perguntou.
–- Tenho cinco! - Ele disse mostrando os cinco dedos da mão esquerda. – e você é o que para meu papai?
–- Acho que sou esposa dele! - Isabella disse meio incrédula com tudo isso.
–- Então você será a minha mamãe! - Ele disse dando um sorriso radiante.
–- Acho que sim! - Isabella disse meio mecânica.
Assim que o choque passou, Isabella conseguiu manter uma conversa mais normal com o garotinho, Anthony era filho de Edward isso ela não podia negar o menino era a cópia do pai, até o belo sorriso torto do pai ele tinha sem falar dos olhos que são iguais aos do pai. Anthony era um menino muito bem educado, conversava com Isabella como se fosse um adulto, mas ainda assim não perdia a majestade de criança, sorriu de algumas piadas bobas que Isabella contou, a única coisa que Isabella não perguntou para o menino era quem seria sua mãe, isso ela perguntaria para Edward mesmo, era ele que teria que explicar tudo isso.
Edward ouviu risos e vozes na cozinha, seria possível que Isabella já estaria recebendo visita na casa dele? Ele saiu da cama, e fora para o banheiro onde lavou o rosto, estava de ressaca, depois tomaria banho agora precisava de um bom café. Saindo do quarto ele fora em direção à cozinha quando se deparou com sua cópia mirim.
–- Papai! - Anthony disse correndo em direção a ele e abraçando as pernas dele, Anthony era uma criança e ainda era pequeno.
–- Oi campeão! - Ele disse carregando o filho no colo — como chegou aqui?
–- A Elizabeth mandou o Paul me trazer! - Ele disse fazendo um leve beicinho no final — papai quem é a moça bonita?
Isabella não pode deixar de sorrir do comentário do menino, Edward levou a mão fazendo uma barreira perto do ouvido do filho e sussurrou não tão baixo para que Isabella não pudesse ouvir.
–- É a esposa do papai! - Ele disse rindo e o menino sorriu também.
–- Ela vai ser a minha mamãe!
....

Edward deixou Anthony sentado na mesa e chamou Isabella para poderem conversar na sala, a garota foi sem reclamar, afinal ela estava tão curiosa para saber toda a história que rondava a vida de Edward Cullen.
–- Acho que você já sabe que Anthony é meu filho! - Ele disse algo que era bem visível — Anthony é fruto de um descuido meu, a mãe dele queria ter tirado ele, mas meu pai e eu não deixamos, Anthony nasceu e a mãe dele sumiu no mundo. — ele pausou a conversa olhando para a cozinha onde Anthony brincava com a comida — Anthony morava com minha mãe, eu sempre estive perto dele, claro do meu jeito — ele mais uma vez olhou para o filho — mas agora Anthony vai ter que morar aqui, pois minha mãe não tem mais condições de ficar com ele.
Elizabeth era uma pessoa adorável, mas depois que Carlisle a deixou para ficar com Esme Elizabeth caiu no vício de beber para esquecer e quase nunca era vista sóbria, sempre estava com um copo de uísque na mão ou outra bebida. Já não tinha mais condições de cuidar do pequeno Anthony.
–- Por que não disse nada? - Bella perguntou — e por que ninguém sabe nada do Anthony.
Edward suspirou e passou as mãos pelo cabelo, ele sabia que essa conversa uma hora ia ter que acontecer, mas ele precisava escolher as palavras certas para essa conversa.
–- Meu pai achou melhor assim! - Ele disse — Anthony era um bebê prematuro ninguém sabia se ele sobreviveria ou não, e se uma notícia dessa caísse na imprensa seria um inferno a vida do meu filho.
Ele tinha razão, Anthony era uma criança agradável demais, tão doce que qualquer um se encantava com ele, Edward era conhecido pelo seu trabalho, a imprensa sempre estava de marcação colada querendo pegar um descuido do jovem, afinal qualquer coisa que destruísse a imagem de homem impecável ou do senhor de gelo como era conhecido seria o marco para a imprensa.
–- Bella Anthony ficará aqui com a gente! - Ele disse esperando que ela desse logo seu primeiro ataque, ele já tinha algo em mente para convencer ela a aceitar — eu contratarei duas babás se isso for ajudar.
–- Com duas condições! - Ela disse chamando a atenção dele.
–- Quais?
–- Não me desautorize na frente dele, e eu quero participar da vida dele se isso não for incomodo para você.
Edward sorriu, ele esperava que a jovem pedisse mais dinheiro ou alguma coisa absurda para aceitar a presença do filho.
–- Tudo bem! - Ele disse oferecendo a mão para ela. — temos um novo acordo.
–- Temos um acordo! - Ela disse apertando a mão dele e sorrindo.
–- Eu vou poder ficar aqui? - Anthony perguntou entrando na sala — a moça bonita vai deixar papai.
–- Vai sim campeão! - Edward pegou o filho no colo — a moça bonita vai deixar você morar aqui.
Bella deu um sorriso para Edward e para Anthony que estava sorrindo para ela, a vida de Edward tinha muitos mistérios e Anthony era só o começo deles, ela sabia que tinha mais, mais do que ele deixava transparecer para olhos humanos em sua volta.
Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário