Jul M

Oi

domingo, 16 de setembro de 2012

Capitulo 25-- Um Erro E Dois Acertos


Surpresas!
Por ordem médica Edward teve que ficar de cama por três semanas, e, durante as duas primeiras, sentiu dores pelo corpo todo. Como estava debilitado teve companhia o tempo todo, sendo uma delas sua mãe Esme que passava o dia na casa do filho, indo embora somente à noite para dormir com o marido. Isabella também ficara com ele quase 24 horas por dia, ela só ia para a escola porque Edward praticamente a obrigava ir e Emmett cuidava de sua segurança.
A mansão do Cullen nunca fora tão movimenta como nesses dias. Jacob e Emmett sempre iam, no final da noite, até a casa do chefe para lhe passar um relatório de tudo que acontecia, já que Edward deu ordens diretas para os dois amigos descobrirem o possível sobre os Volturi e uma vingança estava a caminho, com toda certeza.
Assim que Rose, sua irmã, soube do ocorrido rompeu a sociedade com Jane, mas não antes de aplicar uns bons tapas na cara da loira e mandá-la ficar longe de sua família para sempre.
Edward estava estressado mais do que seu normal, passara o dia todo sem pode fazer nada, sem ajudar em nada. E naquela manhã, em especial, seu humor estava terrível, tanto que até Marta e sua própria mãe ele tratou mal e as colocou para fora do quarto aos gritos.
--Olá a todos! Isabella cumprimentou, ao chegar da escola, Esme e Marta que estavam no sofá.
--Olá Isabella. Esme deu um sorriso singelo para a menina. --Seu namorado está com humor terrível! Acho que terá sorte se conseguir ficar no quarto com ele. Comentou rindo.
--O humor dele não anda nada bom desde ontem. Comentou se lembrando que na noite passada eles brigaram.-- Acho que esse tempo todo em casa está deixando-o pirado.
--Talvez! Esme disse ficando de pé e pegando sua bolsa que estava sobre o sofá. --Edward nunca foi de ficar parado, deve ser isso que está afetando o humor dele, mas já que vocêchegou vou sair com Marta. informou Vamos fazer algumas compras, deseja algo?
--Não obrigada! Vou subir e tomar um banho porque tenho algumas tarefas para fazer. Caminhou para a escada. Boas compras.
--Obrigada querida!
(...)
Isabella entrou no quarto de Edward, mas estava vazio. Ela jogou a mochila no chão e marchou para o banheiro a fim de tomar um banhorápido, quando saiu escolheu um vestido que ficava soltinho em seu corpo e que não precisava de sutiã.
Na noite anterior o casal havia brigado por uma besteira, Edward andava estressado demais por ficar trancado o tempo todo em casa e ficou chateado quando Isabella deixou de lhe dar atenção para ir falar no telefone com uma amiga.
Edward não andava pensando muito bem, tudo que queria era apenas ficar sozinho com Isabella sem ninguém para atrapalhar, já que nas últimas semanas a casa estava sempre cheia. Até seu pai, que quase nunca o visitava, agora passava em sua casa todos os dias pela manhã para saber como ele estava. O clima entre Carlisle e Isabella ainda não era dos melhores, a menina não esquecera as grosserias do homem e Carlisle era orgulho demais para pedir desculpas, então eles se falavam muito raramente.
Isabella saiu do quarto e foi direto para a biblioteca, nos últimos dias esse era o lugar onde Edward mais frequentava, como era proibido sair de casa, então tentava se ocupar na biblioteca com sua vasta coleção de livros. Ela entrou no local sem fazer barulho, e, de cara, viu Edward sentado em sua cadeira de couro, virado para janela e em suas mãos tinha um exemplar de Guerra e Paz.
Ele estava distraído, até que sentiu o perfume de sua menina adentrando toda a sala, o doce cheiro de lavanda impregnou o local, mas ele continuou do mesmo jeito, sem se virar e com a atenção voltada para o livro. Isabella caminhou em passos lentos até ficar atrás da sua cadeira, escorregou as mãos pelos ombros dele até chegar ao seu peito fazendo um carinho por cima da camisa. Edward relaxou imediatamente com o toque da garota, ele não estava com raiva dela, estava apenas se sentindo preso dentro daquela grande casa.
--Está mais calmo? Perguntou ao sentir o corpo dele relaxando.
--Eu não aguento mais ficar trancado em casa. Disse suspirando.-- Quero voltar a trabalhar, conviver com as pessoas e fazer o que eu sempre fazia Bella!

--Tudo irá voltar ao normal Edward! Beijou seu pescoço.-- Só tenha um pouco de calma porque você precisa desse repouso. Não se lembra o estado em que te encontrei?
Ela ainda sentia calafrios toda vez que se lembrava do estado em que Edward estava naquele galpão abandonado, e, o pior fora responder todo o interrogatório tanto de Edward, quanto de Jacob Black e ainda aturar alguns olhares acusadores de Carlisle, como se ela fosse à verdadeira culpada por tudo que aconteceu. Ela contou tudo, a única coisa que não soube realmente dizer fora de onde havia tirado coragem suficiente para fazer tudo o que fez naquele maldito dia, mas afirmou que faria tudo novamente para manter Edward vivo.
No fundo Edward ficara todo orgulhoso por sua coragem, mas não pode deixar de repreender a menina, afinal ela colocara a vida dela em risco.
--Mas isso não é motivo para me trancarem em casa. Resmungou como um velho rabugento.
--Você anda tão reclamão! Comentou passando para frente de Edward e sentando em seu colo. --Está parecendo àqueles velhos decrépitos, bem ranzinzas, que foram esquecidos dentro de uma casa de repouso para idosos.
Fora impossível para Edward não sorrir porque de todas as coisas do mundo com que poderia ser comparado, um velho decrépito fora o mais engraçado, mas ele não podia negar que andava meio rabugento e com forte oscilação de humor.
--Oh! Enfim um sorriso nesses lábios. Ela disse tocando o seu rosto. --Achei que teria que fazer bem mais para te ver sorrindo.
--Não é preciso. Fez um carinho nas costas da menina. --Você me faz muito bem e me fazer sorrir é coisa mais simples que poderia fazer.

Isabella sorriu e tomou a boca dele em um beijo urgente que fora ficando cada vez mais calmo. Eles passaram o resto da tarde na biblioteca, conversando, se beijando e trocando algumas caricias, ficaram presos em seu mundo particular até na hora do jantar e então Marta fora chamá-los para comer.
--Tenho uma surpresa para você! Isabella disse no ouvido de Edward, antes de sair correndo em direção à sala de jantar.
(...)
Edward fora discreto durante todo o jantar porque sua mãe estava na mesa, mas sua curiosidade estava bem aguçada para saber qual seria a surpresa de Isabella. No fim da refeição, Bella se juntou com Esme na sala e isso deixou Edward um pouco irritado, mas logo ele se juntara a elas e conversaram bastante até que Esme resolveu ir embora e ele pediu para Erick levá-la em casa. Erick havia conseguido sua sonhada promoção, agora trabalhava com o bando principal da segurança do Cullen.
Quando Edward voltou para a sala encontrou o lugar todo vazio, ainda meio irritado subiu para seu quarto, a única coisa que queria era saber qual seria essa surpresa. Edward entrou no quarto e estava tudo escuro, ele ligou luz e viu que sobre a cama tinha um bilhete.
"Fique bem à vontade, tire os sapatos e sente-se, preciso de você bem relaxado hoje".
Ele reconhecera a letra da menina e o papel tinha o perfume dela. Resolveu fazer o que ela pediu, caminhou para o outro lado da cama tirando os sapatos e abrindo alguns botões da camisa azul marinho que usava, se sentou no meio da cama e foi arrumar os travesseiros para ficar mais confortável quando achou outro bilhete.
"Desligue a luz, deixe apenas o abajur ligado."
Edward sorriu novamente e fez o que estava escrito, mas sua curiosidade estava bem maior do que minutos atrás. Em outros tempos já estaria xingando e praguejando, pois odiava surpresas ainda mais vindas das mulheres com quem dormia porque nunca fora homem de se apaixonar, era apenas sexo e mais nada, mas com Isabella fora tudo diferente. Ele voltou para a cama e se sentou da maneira mais confortável que podia, ligou a luz do abajur e por fim ficou a esperar.


Do lado de dentro do banheiro Isabella estava toda produzida, usava apenas uma fantasia que achava que Edward iria gostar muito. No meio de toda aquela confusão ela sabia que seu namorado não iria se lembrar que estavam completando um mês de namoro e a menina tinha belos planos para os dois nessa noite.
Isabella passeava com Nessie pelo shopping quando encontraram um sexy shop, primeiramente a garota ficou com vergonha de entrar, mas a amiga praticamente a obrigou a entrar porque elas já tinham rodado quase todo o shopping atrás de algo para dar a Edward e não encontraram nada que Isabella realmente gostasse.
No do sexy shop ela encontrou dois presentes perfeitos, uma fantasia de gatinho, a qual estava vestindo, e dois anéis que eram possíveis gravar o nome das pessoas neles e ela fora bem criativa quando gravou também uma frase. Isabella os guardou dentro da gaveta do criado-mudo, ao lado da cama e lhe daria depois, quanto à fantasia, estava buscando forças para ter a coragem de sair daquele banheiro e impressionar mais uma vez o seu todo poderoso Cullen.


Nenhum comentário:

Postar um comentário