Jul M

Oi

domingo, 16 de setembro de 2012

Capitulo 12-- Noites De Tormenta-- Perturbações


Perturbações
Duas semanas se passaram e Isabella havia pedido demissão da empresa, pois não queria mais nenhum tipo de contato com o Cullen, na verdade com nenhum dos Cullen. Devolveu o apartamento que nunca fora dela e alugou um no mesmo andar no de Irina, sua ex-colega de trabalho, e, para poder pagar pelo apartamento novo arrumou outro emprego, graças a sua amiga Ângela, Isabella virou gerente da livraria mais badalada de Nova York “boa leitura”, a garota ganhava bem menos do que quando trabalhava na empresa Volturi, mas era o suficiente para continuar com sua vida sem precisar voltar para a casa dos pais.
Para Edward parecia que sua vida havia parado novamente, era como vegetar o tempo todo, agia mais no automático do que por vontade própria e já não via mais nada a sua volta. Seu relacionamento com Heide, o qual já estava muito ruim, acabou piorando, ele fazia de tudo para evitar a noiva que por sorte divina parecia o ter esquecido durante essas semanas.
Isabella partira sem deixar nenhum rastro para trás e nem sinal de vida, foi tão de repente que para Edward foi uma surpresa enorme, era como se ele não tivesse feito diferença alguma na vida da garota por ter partido de uma hora para outra. Para piorar, como se tudo que estava acontecendo não fosse ruim o suficiente, havia sonhos que estavam tirando-o do sério, sonhos com Isabella dentro de seu apartamento, eles se agarrando no banheiro e algumas coisas que ele nunca chegara a fazer com ela naquele local.
– O que você tem meu filho? – Esme perguntou entrando no quarto de Edward vendo-o sentado de frente para a janela, olhando o tempo passar lá fora. – Não gosto de ver você assim!
– Eu estou bem mãe. –Foi tudo que disse sem olhá-la.
Esme já havia notado o estado do filho e nunca comentou nada porque esperou procurá-la para conversar, mas como isso não aconteceu tomou uma providencia.
– Não, não está mesmo, o que está acontecendo Edward? Você e Anthony não se falam mais e também tem sempre um clima estranho entre os dois, eu quero a verdade filho!
– Não tem nada, são só uns problemas, na verdade eu sou um problema. – Suspirou alto.
– Meu filho isso não é verdade. – Esme sentou na cama de Edward e viu alguns papeis espalhados. – Que lindo!
Edward era um dos melhores arquitetos da região e era um nome muito conhecido no meio da arquitetura, além disso, ele sabia desenhar muito bem, conseguia retratar uma pessoa facilmente.
– Quem é a jovem? – Esme perguntou mostrando a imagem de Isabella no papel. – Nossa está perfeito.
– Está faltando algo. – Falou deprimido. – Está péssimo, aí não está retratado nem metade de sua beleza.
Esme não conhecia Isabella porque falava com ela apenas por telefone, mas nunca a conheceu pessoalmente, a renovação de contrato era feita através do advogado da família e também sobrinho, Emmett McCarty, filho da irmã de Carlisle, Carmem McCarty.
– Quem é a jovem? – Voltou a perguntar.
– Alguém mãe!
– Edward o que está acontecendo?
Olhou para a mãe pela primeira vez desde que ela entrou em seu quarto e suspirou, ele estava frustrado.
– O que aconteceu? – Mordeu os lábios. – Eu perdi cinco anos da minha vida dormindo naquele hospital, não lembro nada de antes e nem depois do acidente, estou preso a uma pessoa que já não amo mais, e, depois de tanto tempo me sentindo morto eu perdi a única coisa que me fazia sentir vivo. – Falou angustiado.
– E seria essa jovem aqui? – Perguntou mostrando o desenho.
– Sim, essa é Isabella, a única que me deixou vivo, que me dava alegria e agora nem isso tenho mais!
– Edward, eu não sei o que está acontecendo com você meu filho e também sei que você não irá me contar tudo, só posso dizer que não precisa fazer aquilo que não quer! – Esme disse ficando de pé e abraçando o filho pelos ombros.
– Mas o papai...
– Oh querido, seu pai já viveu o que tinha que viver. – Interrompeu o filho. – A vida é sua Edward, ninguém precisa dizer como tem que viver, apenas viva e faça aquilo que seja de sua vontade.
Edward nada disse, apenas sentiu o carinho que a mãe fazia em seus cabelos. Sua mente estava confusa, ele se lembrava do seu passado, mas não lembrava nada do dia do acidente, era como se apenas aquele dia tivesse sido apagado de sua memória e isso o deixava frustrado.
– Tenho que descer filho, vou ajudar Sue na cozinha porque seu pai está planejando um almoço.
Edward sentiu um beijo de Esme em seus cabelos e um cafuné rápido, depois ela caminhou em direção à porta.
(...)
O final de semana passou rápido para quase todos, menos para Edward que passou dois dias trancado em seu quarto pensando no que fazer de sua vida, e, finalmente tinha encontrado tudo o que precisava.
– Bom dia! – Edward falou ao se juntar com todos na mesa.
Lindo!
Edward estava lindo, usava um terno azul marinho com uma camisa azul em tom mais claro, seu cabelo ainda desalinhado e uma gravata preta se destacavam sobre a camisa, seus sapatos importados estavam brilhando mais do que nunca, porém não fora nada disso que chamou a atenção de Esme e sim o fato de Edward ter um brilho estranho no olhar, um brilho que para ela significava muito.
– Parece animado irmãozinho! – Anthony provocou.
– Não apenas pareço, como estou muito animado! – Retrucou dando um fim aquela conversa.
Nada mais foi dito já que Edward parecia estar disposto a não responder mais nenhuma pergunta, por isso, Esme achou melhor não falar nada, e, Carlisle por sua vez apenas olhou um filho diferente, um filho vivo como há muito tempo não via.
Edward entrou na empresa caminhando direto para sua sala, ele havia contratado uma nova secretária.
– Victoria, ligue para a minha noiva e marque um almoço para nós dois. – Edward falou antes de entrar para sua sala.
Victoria era bela, ruiva, o pacote perfeito para a perdição, mas Edward tinha a cabeça bem longe, longe demais para notar a ruiva linda que agora era sua secretária. Primeiro ele não notava nada a não ser a falta de Isabella, e, segundo, tudo em sua volta lembrava a bela morena de olhos cor de chocolate.
(...)
Heide teve uma semana bem agitada, ela sabia melhor do que ninguém que o namorado estava estranho, mas para meninas mimadas como ela existiam outras formas de se divertir, ainda mais quando o irmão do noivo estava disposto a ser essa diversão.
Heide era uma bela mulher, com curvas marcantes e jeito sedutor, por isso chamou atenção de Edward, e, foi usando esse mesmo poder sedução que atraiu Anthony para sua teia de aranha. Nunca, desde o início do seu namoro com o Cullen ela o respeitara, Edward viajava muito, trabalhava em vários lugares diferentes, aproveitando de sua ausência Heide sempre achava companhia para si, sempre tinha em sua cama rostos diferentes, a fidelidade ali passou longe, e, agora que o noivo se encontrava estranho resolveu se divertir com seu irmão gêmeo, Anthony.
Foram duas semanas de pura farra, sexo e bebidas, Anthony passara todas as noites com a noiva do irmão. Coitada! Mal sabia ela que Anthony tinha mais coisas em mente do que somente fode-la, feito um animal no cio, ele não podia negar que a morena possuía um ótimo apetite sexual e entrava de cabeça em suas loucuras, desde sexo em público até ao sexo grupal. Ele dividira Heide com outra mulher, uma velha amiga que sempre estava por perto quando precisava, Jane, uma grande amiga que ganharia muito de Anthony se fizesse exatamente o que ele mandasse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário