Jul M

Oi

domingo, 16 de setembro de 2012

Capitulo 11 -- Noites De tormenta-- Lembranças


Lembranças
Vazio!
Era tudo que Isabella sentira ao ouvir da boca de Edward para não se afastar. Ele pedira a ela um tempo para poder organizar tudo com a noiva, ou melhor, colocar um ponto final no relacionamento com Heide.
Na cabeça de Isabella nada fazia sentido, ela queria o colo de seus pais, porém estes estavam muito longe e voltar para casa seria o mesmo que aceitar o fracasso e isso ela não queria de jeito nenhum, mas conviver com Edward estava ficando cada vez mais difícil, uma semana havia se passado desde o dia da conversa, ela decidiu não fugir dele, mas apenas ficou perto como sua secretária e nada mais.
Era mais uma segunda cheia, Isabella seguia pelo corredor indo direto para a sala do chefe, eles tinham uma reunião agora e se demorassem mais um pouco chegariam atrasados.
– Edward? – Isabella chamou ao entrar na sala.
– Oi Isabella.
Ela olhou para o homem a sua frente como se observasse um fantasma, analisou a sua postura durante algumas frações de segundos, os quais pareceram durar uma eternidade.
– Onde está Edward? – Perguntou dando um fim ao dilema que cercava a sua mente, desde que notara que o homem sentando atrás da mesa não era Edward e sim o seu irmão. – Anthony cadê o Edward?
– Como sabe que não sou ele? Normalmente as pessoas não sabem diferenciar quem é quem! – Resmungou ficando de pé.
– Me poupe de suas conversas, só quero saber onde ele está.
– Por que não fica um pouco? – Falou ao ver que a jovem estava saindo porta a fora. – Podemos até nos conhecer melhor, se desejar.
– Não desejo e nem quero! – Respondeu ríspida e grossa.
– Edward está com a noiva na sala do pai dela. – Anthony disse antes que Isabella fechasse a porta. – Que futuro espera dele em garota? Acho que você merece muito mais.
Isabella voltou a abrir a porta e Anthony estava com serio, sem emoção algum em seu rosto.
– Meu irmão só está se divertido com você. – Falou sem medir as palavras. – Um belo passa tempo, é isso que é para ele e no final é com a Heide com quem vai se casar. Isabella querida, ela é herdeira de tudo isso aqui, meu irmão herdará tudo se casando com ela, e você o que tem a oferecer? Não passa de uma secretária.
– Por que não guarda seu pensamento para você? Nem sabe do que está falando seu cretino. – Disse sentindo a garganta seca.
A porta foi batida com muita violência, Isabella saiu pelos corredores sem rumo, as palavras ditas por Anthony foram como tapa em sua cara. O que ela poderia oferecer para Edward além do seu amor? Ela era apenas filha de um oficial da polícia e uma professora.
Era duro ouvir que não passava de um brinquedinho para Edward, era duro saber que no final de tudo seria a única a sair machucada, porque por mais que tentasse negar ela se envolvera, tanto emocionalmente, quanto fisicamente. O banheiro da empresa foi o único lugar que achou seguro para poder chorar, colocou para fora rios de lágrimas, presos durante toda a semana que se passou, não havia como negar que essa situação estava insustentável e depois do que acabara de ouvir, havia chegado a hora de acabar de vez com tudo isso.
(...)
Edward entrou na sala e deparou com Anthony em sua cadeira, olhou para os lados buscando por Isabella e encontrou o vazio.
– O que faz aqui? – Perguntou ríspido.
– Não posso vir visitar meu irmãozinho querido?
– Anthony, eu não nasci ontem! Se está aqui é porque algo quer.
– Vim ver Isabella! – Disse com a cara sínica de sempre. – Acredita que ela me confundiu com você? Até me beijou caro irmãozinho, nossa e como beija bem, sua doce Isabella, aqueles lábios são uma tentação.
– Seu idiota! – Edward disse em tom mais alto que o normal. – Aposto que você se passou por mim! Sempre foi assim né Anthony? Quando não consegue o que quer por si próprio, se passa por mim para conseguir!
– Querido irmão, se ela passa tanto tempo com você deveria pelo menos saber quem é quem!
Edward se controlou para não socar a cara de Antony, que sabia ser inconveniente e irritante quando queria ser. Tudo nele agora cheirava problemas e nada mais do que problemas.
– Agora vou indo, já recebi o melhor beijo do mundo, e, agora também sei o porquê que gosta tanto dessa putinha, ela beija muito, muito bem! – Edward bufou de raiva. – Não vejo a hora de vê-la em minha cama.
– Seu cretino! – Gritou mais Anthony fora mais rápido ao sair da sala. – Fique longe dela Anthony, estou avisando, fique longe. – Gritou ainda mais, chamando atenção de alguns funcionários.
Sua mente fervia, estava com muita raiva só de imaginar Anthony tocando em Isabella, ele queria matá-lo, queria matar seu próprio irmão até mesmo só por desejar a mulher que ele amava.
(...)
Anthony caminhava tranquilamente pelos corredores da empresa quando viu a bela morena parada em frente ao elevador, belas pernas e ótimas curvas. Há tempos não via esse corpo de perto, a última vez fora quando o irmão os pegou em flagrante.
– Quanto tempo minha bela moça! –Anthony sussurrou no ouvido da morena. – Está perdida?
Heide o olhou com um sorriso nos lábios, cinco anos sem vê-lo mais ainda sabia diferenciá-los. Por mais que fossem gêmeos suas personalidades eram diferentes, muitas vezes já se confundira, mas depois de tempos aprendera a diferenciar quem era quem dos Cullen.
– Anthony meu querido! – Falou com um sorriso safado. – Você na cidade? Por que não me ligou? Iria adora ter sua companhia durante algumas horas.
– Minha querida, eu estava ocupado! – Falou rindo. – Mas será um prazer ficar algumas horas em sua doce companhia, cunhadinha.
– Sempre tão educado Anthony! Agora me diga uma coisa, você sabe o que se passa com seu irmão? Ele anda tão estranho ultimamente.
Anthony sorriu. Então a noiva não sabia de nada mesmo? Anthony conhecia muito bem a sua cunhada, durante meses ele e Heide tiveram um caso, que foi descoberto pelo irmão. Ninguém lembra-se ao certo o que aconteceu, somente o que os pais dos gêmeos sabiam era que Edward sofrera um acidente, na obra do novo edifício que construía.
Mas havia muito mais por trás de tudo que fora dito, Edward pegou o irmão transando com a namorada e noiva, em cima de sua mesa, ambos estavam tão eufóricos que não notaram a presença do jovem na sala, mas ao perceberem os dois tentaram se explicar, porém Edward não queria ouvir nada e já partiu para cima do irmão socando e batendo nele, e, quando viu que não havia mais jeito, xingou a vadia que tinha como noiva e namorada, então algo aconteceu nesse meio tempo, e, foi bem aí, que Edward dormiu durante cinco anos...
– Não faço ideia minha querida! – Mentiu. – Está indo para casa? Deseja companhia?
– Sua companhia sempre é bem-vinda, cunhadinho! –Falou com seu tom mais sexy e sedutor.
Ambos entraram no elevador, assim que as portas se fecharam Heide foi imprensada contra as paredes frias do local.
– Adivinha cunhadinha, eu senti sua falta! – Sussurrou no ouvido da garota, mordendo seu pescoço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário