Jul M

Oi

terça-feira, 18 de setembro de 2012

A Prostituta--15 Derrubando um segundo trono


Derrubando um segundo trono.

O dia estava absurdamente quente nesta manha de quarta feira. Renesme decidiu por colocar um short branco e uma camiseta amarela que a irmã havia lhe levado na ultima visita, queria poder calcar os chinelos e ir ao jardim sentir o frescor da grama sobre seus pés, mas isso não era permitido aos pacientes. Calcou sua sapatilha e seguiu em direção as sombras do jardim com um sorriso divertido nos lábios e uma garrafa de água nas mãos, ao encontrar uma sobra sentou-se sobre a grama se permitindo sentir a brisa do vento refrescar sua pele e desalinhar seus cabelos. Sua mente ainda não acreditava nos acontecimentos da noite anterior.

Flash Back

Era madrugada no hospital e também plantão de Jacob. Para Renesme esta era a oportunidade perfeita de tentar mostrar a seu medico e, até o momento, amigo, que desejava dele um pouco mais. Sorrateiramente, caminhou pelos corredores em direção a sala de Jacob torcendo para não encontrar nenhuma enfermeira pelo caminho. As noites de plantão não eram tão agitadas quanto no OS do hospital, serviam apenas para controle dos internos e, vez ou outra, dar entrada a um novo paciente, com certeza Jacob estaria em sua sala.

Ao avistar a porta com o nome do médico, olhou para os lados a procura de alguém e não avistou ninguém. Frente a porta deu duas rápidas batidas e girou a maçaneta abrindo-a lentamente antes mesmo de escutar um entre de Jacob. A voz do medico estava rouca, prova clara de seu cochilo no escritório. Ao entrar Renesme sorriu com a visão de um atrapalhado medico ajeitando seu jaleco e limpando a baba de seu sono do rosto.

- Nessie! O que faz em minha sala a esta hora?

 Jacob ficou surpreso ao ver a menina fora do quarto, ela vestia apenas uma camisola rosa transparente que não deixava nada a imaginação. Onde teria conseguido a peca tão provocante? Percebeu que a garota continuava em silencio ao entrar na sala, seu sorriso era encantador e seus movimentos foram rápidos após entrar e trancar a porta a chave. O que antes parecia um sorriso de anjo agora estava repleto de luxuria e era direcionado  a ele.
.
-- Não deveria estar dormindo? Jacob pergunto se arrumando na cadeira.

-- Perdi o sono! A jovem caminhou em sua direção como um felino espreitando sua presa.-- Há câmeras nesta sala?

-- Não, apenas nos corredores em direção as salas de atendimento. Esta área é restrita, a segurança é feita apenas por pessoas do hospital. Alguém lhe viu entrando aqui?

--Não, os corredores estão vazios.

-- Melhor volta para seu quarto então. Posso acompanhá-la e lhe dar algo para dormir. – Jacob se levantou contornando a mesa ficando de frente a Nessie.

--Não precisa me acompanhar ao quarto Jacob, mas aceito uma coisa quevocê pode me dar e que me fará dormir feito um bebe depois...


Nessie não esperou pela compreensão do médico e se agarrou a ele colando seus lábios no dele. De inicio percebeu uma hesitação por parte de Jacob, mas esta não durou muito e logo seus braços ergueram o pequeno corpo a beijando com luxuria. Quando precisaram de ar, Jacob a afastou sem realmente deixá-la e sussurrou em seu ouvido.

--Não podemos!

-- Já fizemos isto antes. O lugar pode não ser o adequado, mas somos adultos e sinto seu desejo por mim.

-- Nessie, pro favor! sussurro quase sem força.

-- Me sinta Jacob, veja como meu corpo clama pelo seu. Por favor Jacob!

-- Inferno! Jacob gemeu antes de se rende de vez a menina.

Final do Flash Back

- Ei, estou te chamando a horas, o que tanto pensa para ficar alheia ao universo ao seu redor?

Renesme se assustou com a voz grossa que lhe falava bem próxima ao rosto, focou melhor sua visão e percebeu Antony parado a sua frente sorrindo ao me pegar divagando acordada.

-Não percebi quando chegou. Você me deu um susto! Colocou a mão de forma teatral sobre o coração e o olhou divertida. Ambos começaram a rir e Renesme percebeu o quão bonito ele era quando se deixava levar pelas coisas simples da vida.

-Esta sem terno hoje, não foi trabalhar?

-Hoje decidi me vestir de uma forma mais comum.

O comum deste homem não era algo tão comum assim, suas calcas caqui eram de marca assim como a pólo que vestia. O sapato em camurça azul combinava com a pólo também azul claro. Era possível notar suas olheiras por uma noite mal dormida, mas seu rosto estava sereno e os olhos brilhavam.

-Pelo que vejo sua noite foi agitada! – Renesme falou divertida se jogando sobre a grama e sendo acompanhada por ele.

-Muito mais que isso. Pelo seu estado catatônico atrás algo de bom também aconteceu na sua né! – Cutucou levemente o braço da menina a fazendo rir ainda mais.

-Sim, mas é segredo.

Uma conversa amena começou e ambos deixaram assuntos no ar entendendo o limite de cada um. Aquelas visitas freqüentes  eram boas a ambos e auxiliam no tratamento dos dois, a reabilitação de Renesme ia muito bem e o coração de Edward amolecia ainda mais pela família Swan, mesmo sem conhecer os detalhes de tudo o que havia acontecido, já enxergava a situação com outros olhos.

Os dois ainda riam de um brincadeira feita por Edward quando Jacob abordou os dois um tanto quanto nervoso.

--Ed...quer dizer Antony, acho que você precisa voltar a seu escritório. – Jacob lhe estendeu o jornal do dia sem olhar para Renesme, ele parecia aflito.

Edward pegou o jornal e abriu a primeira pagina encontrando uma imagem de Tânia vestindo um macacão laranja e algemada e uma nota remetendo a pagina onde o caso seria melhor detalhado. Em um pequeno quadro superior da primeira pagina estava a imagem de Edward, Tânia e Rose abraçados e rindo junto a um comentário irônico do jornalista. ‘’As duas rainhas caíram, quando será a vez do rei’’.
----

A família Denali possuía um nome muito conhecido na sociedade, a única herdeira da família fora criada como um premio a ser exibido. Nunca cometerá uma gafe no meio social e era muito bem quista por outras influentes famílias para matrimonio. Sua carreira como modelo fora apenas um mimo impulsionado pelos pais para expor mais sua beleza e simpatia.

O contato com Edward Cullen era um brinde a tudo isso e as aparições sociais a ajudavam a ter destaque e bom relacionamento social. E como sempre, nem tudo eram flores na vida desta bem preparada princesa. Tudo que vem muito fácil se perde e o proibido se torna muito mais emocionante. Com seu dinheiro e prestigio, tudo o de melhor poderia ser solicitado, inclusive drogas.

Em festas privadas conheceu o álcool e a maconha e logo o efeito não era satisfatório a fazendo provar de substancias mais pesadas encontradas com facilidade em seu meio. Rose fora uma amiga solicita quando ela lhe pediu algo de melhor qualidade. Como não poderia viver alta perante os pais, se tornará adepta dos remédios com tarja preta para se manter estimulada e perfeitamente sóbria aos olhos cegos de sua família.

Os remédios foram apresentados por sua mãe quando esta reclamou ter problemas para dormir e após o uso do mesmo misturado a drogas e bebidas a festa estava feita. Médicos eram fáceis de serem subornados e aos 23 anos a socialite já era conhecida como fornecedora dos melhores produtos para a diversão adulta.

Estas festas eram regadas a orgias, bebidas e drogas. Locais reclusos e um publico seleto eram chamados para tal e em alguns casos, mascaras eram usadas para impedir que certos magnatas abusassem de seu poder por influencia de tais fatos ocorridos nas festas. Os poucos namoradinhos que Tânia veio a ter eram adeptos assíduos deste meio.

Em uma destas festas Tânia conheceu Bree. A família Tuner era bem conhecida socialmente e foi fácil para a família aceitar e incentivar a amizade de ambas. O que não sabiam era que Bree apresentaria a sua nova amiga o mundo BDSM  e Tânia adoraria, sua veia não era dominante e logo aprendeu a ser uma bem adestrada submissa. Tanto mulheres quanto homens serviam a seu prazer, os instrumentos usados variavam e ela amava todos, principalmente o chicote. Cenas que envolvessem homens e mulheres eram as suas preferidas e ser possuída a forca era o que lhe dava maior prazer.

Tânia conhecia muito bem a arte do sexo e suas mil facetas e foi assim que tentou levar Edward ao altar, após algum tempo se relacionando com o mesmo percebeu que seria impossível encontrando em Rosalie uma aliada para suas conquistas. Em seu novo meio conheceu Jasper Halle e Emmett McCarte, assim como alguns outros governadores de NY.

Á verdade e que toda sociedade de NY tinha segredos obscuros  algo que se fosse colocado ao publico renderia grandes, grandes escândalos.
...
Tânia estava em frente ao apartamento de Edward, já havia mais de um mês que ele não a procurava e durante os eventos em que ele aparecia estava sempre cercado por pólicos e patrocinadores de sua campanha. Tânia conhecia o apartamento de Edward, já esteve nele algumas vezes, mais depois que o jovem começou a namorar com a sua ex assessora aquele lugar passou a ser território proibido tanto para ela quando para Rose e mesmo depois delas destruírem o noivado do jovem Cullen não foram mais bem vindas a sua cama.

A loira pegou o elevador que dava para a cobertura, o local repleto de luxos brilhava a seus olhos e não perderia estas regalias por causa de uma mera dançarina. Assim que a porta se abriu dando total acesso ao apartamento se sentiu feliz por ele não ter mudado a senha de acesso e caminhou a passos lentos ate a porta. Arrumou uma ultima vez o vestido vermelho e decotado tocando a campainha do apartamento.

Tânia se sentia vitoriosa, Rose não conseguiu domar a fera, mas ela conseguiria e se aproveitaria da fragilidade dele neste momento para atacar. Mau sabia que de nada adiantara as armações realizadas por ambas, tudo o que elas fizeram só serviu para dar mais fogo a paixão do casal. A prova maior disso era que na noite passada Isabella acabou indo alem do que tinha planejado e ambos acabaram transando na casa de Edward. Isabella ate tentou fugir mais era difícil nega a ela mesmo o que tanto queria, estar com Edward.

Edward estava no banheiro quando a campainha tocou. Isabella permanecia espalhada em sua cama dormindo tranquilamente após uma noite agitada. Edward saiu do quarto sem fazer barulho e seguiu para sala onde alguém insistentemente  tocava sua campainha.

--O que você esta fazendo aqui? Questionou de forma grosseira a mulher vulgar a sua frente.

-- Estava com saudade! disse com a voz melosa que o enjoou assim que a ouviu— Você não me procurou mais.

-- Se eu não te procurei é porque não a queria mais! Edward foi seco.

-- Passamos por tanta coisa juntos – disse tocando em seu abdômen nu – não quer recordar os velhos tempos?

-- Não há nada que você possa me oferecer. Agora saia da minha casa e esqueça que me conheceu um dia.

-- Edward! Tânia estava surpresa e Edward irritado.

-- Se não esta feliz com a forma como estou lhe tratando procure outro otário. Este aqui já cansou de suas besteiras.

-- Edward, não me trate assim. Eu realmente gosto de estar com você.

-- Você gosta do meu nome nas colunas sociais junto ao seu e uma boa foda. Eu cansei, já vi do que você é capaz para ter o que deseja e eu não serei mais um degrau na sua queda para o mesmo buraco que sua amiguinha Rose.

-- Desgraçado! Tânia lhe acertou tapa fraco — Você não tem moral para falar assim de mim.

-- Tânia, não sou mulher sou homem! Quem deve se dar ao devido valor e você minha cara, uma mulher que aceita ser fodida por mais de um homem, que aceita ser tratada com vadia, não tem valor nenhum perante a sociedade e nunca vai se casar com alguém desse meio — Edward fez uma leve pausa — você não é mulher para mim e agradeça de ter esse sobrenome que tem , por que é a única coisa importante que há em você.

-- Filho de uma..

--Não se atreva! Edward  disse segurando os pulso da jovem — Saia daqui de uma vez por todas e esqueça que existo, esqueça meu nome e que um dia você me conheceu. - Edward a empurrou para fora do apartamento — se voltar a me perturbar conseguirei na justiça uma ordem para manter você bem longe de mim sua vadia dos infernos.

 A porta fora batida com força e Edward respirou fundo se voltando a escada. Isabella estava parada no topo enrolada em seu lençol a carinha de sono e os olhos quase se fechando denunciavam que estava ali a pouco tempo.

-- O que aconteceu? Isabella perguntou meio sonolenta e Edward respirou aliviado ela não ouvira nada do que ele disse — com quem gritava?

-- Era o porteiro! Ele mentiu — Parece que ele ouviu alguns gritos vindos do apartamento e queria verificar que tudo estava bem. – sorriu de forma maliciosa - Parece que ainda esta cansada, por que não volta para cama! Vou fazer nosso café!

Isabella sorriu e voltou para quarto, Edward caminho para cozinha agradecendo mentalmente por  sua governanta ter arrumando sua geladeira para que algo além de cerveja fosse encontrado ali.
....

Pov Tânia

Para um viciado ficar sem sua droga era como morre a cada segundo. Isabella havia feito o dever de casa estudou cada uma de seus inimigos para pode derrubá-los onde mais doía onde mais humilhava cada um.

Tânia foi um alvo fácil e simples de mais a seu ver. Tudo ficou ainda mais fácil após a briga entre ela e Edward. Isabella não contava com um toque a mais para levar Tania a loucura e ouvir tudo o que aconteceu no apartamento de Edward lhe deu um sabor a mais na vingança.

Isabella saiu da casa do Cullen já no final da tarde, não falaram sobre a situação de ambos. Ela apenas aproveitou o momento em que Edward dormira para sair da casa, sabia que aquela situação fora apenas desejo e não agüentaria se iludir novamente.

......
-- Senhorita Denalli, aguarde nesta sala por favor.

O oficial de justiça mal lhe dirigiu o olhar, apenas lhe indicou uma sela imunda para que esperasse junto a outras detentas daquele dia. Ali haviam prostitutas, ladras e traficantes, aparentemente as outras mulheres já conheciam a rotina e estavam despreocupadas em seus cantos, os olhares que lhe lançavam eram lascivos e fizeram seu corpo tremer.

Em toda sua vida nunca havia passado por tamanha humilhação. Após sair da casa de Edward se sentindo completamente humilhada, decidiu por passar em seu revendedor e abastecer suas reservas. Só uma boa dose resolveria seus problemas neste momento. Maldita hora que pensou nisso, após sair de seu revendedor em um bairro de classe alta da cidade fora pega em uma blits e seu dinheiro não foi o suficiente para demover o policial da queixa.

Três quilos de droga em seu veiculo não poderiam ser considerados para consumo. Nunca havia saído com tanto pó, mas a raiva a cegará e a proposta do revendedor estava muito tentadora. Normalmente saia apenas com o suficiente para uma semana de consumo ou solicitava entregas maiores em sua casa para não passar por tal situação. Já havia sido pega em blits, mas sempre como usuária e tal fato não gerava acusação.

-- Tânia querida, olhe para este lado por favor! – Uma voz divertida soava do outro lado da grade e ao se virar deu de cara com um jornalista conhecido por seu péssimo caráter. O mesmo estava com uma câmera nas mãos e assim que ela se virou disparou vários flash. Algumas detentas gostaram da exposição e se aproximaram para sair na foto.

-- O que faz aqui? Perguntou aos gritos.

O Jornalista gargalhou alto e se encostou na parede que ficava de frente para sela da jovem. Recebi uma boa dica e estas fotos vão render um bom dinheiro.

--Desgracado.

-- Ah minha querida, eu adoro estas coisas! Me conceda uma entrevista. Qual a pior parte, ser presa por porte de drogas ou ser presa por subornar um oficial da lei? Eu acharia difícil saber qual o pior, mais  acho que ser humilhada publicamente acabará de vez com suas oportunidades.

Tânia ficou pálida ao ouvir as palavras do jornalista.

-- Como você...

-- Como eu sei disso tudo? completou os pensamentos da loira.— Você se envolveu com as pessoas erradas e conseguiu cutucar um vespeiro querida. Fez uma grande inimiga.

-- Isabella. Aquela maldita. Vou acabar com aquela piranha. - Tânia disse quando a ficha por fim caiu.

-- Não acho que esteja em condições para isso neste momento.

 Tânia parecia bem perturbada andando de um lado ao outro da sela puxando seus cabelos. Seria possível que a loira surtaria?

-- Venho lhe fazer uma visita amanha com o jornal do dia. Tenho ótimas fotos aqui.

O jornalista saiu satisfeito deixando uma mulher desolada e perturbada na sela. Já do lado de fora pegou seu celular e aguardou apenas dois toques para ser atendido.

--Tudo pronto. Tenho ótimas fotos para expor em primeira pagina.

Continua ...

Nenhum comentário:

Postar um comentário