Jul M

Oi

quarta-feira, 4 de julho de 2012

A prostituta Capitulo 4 Os opostos se atraem e se chocam

Os opostos se atraem e se chocam.
Isabella teve que corre contra o tempo, tinha que matricular sua irmã em uma escola e chegar a tempo na empresa para encontrar Carlisle. Todos os jornais já sabiam da nova assessora de Edward Cullen. Isso não passo despercebido para Aro Volturi que fico em fúria ao saber de tudo. (não era assessora de Carlisle?)
- Você me enganou! – deu um forte murro na mesa olhando com ira para Carlisle, enquanto o mesmo continuava sentado de forma plácida na cadeira em frente a sua mesa - Me pediu uma dama de companhia  e agora a transformou em sua nova assessora! Que  palhaçada essa Carlisle? -  A irritação do homem  era visível mais Carlisle  não tinha menor expressão de medo no seu rosto.
- Pelo que sei, não há nenhuma forma de contrato entre vocês. - Carlisle disse friamente -  Ela é livre para fazer suas escolhas e escolheu a mim. - Aro levantou-se deixando a cadeira cair atrás de seu corpo, os punhos fechados sobre a mesa. Seu olhar poderia gelar a alma de um mortal se este tivesse medo de sua pessoa, o que não era o caso de Carlisle. Enquanto Aro rangia os dentes em sinal de raiva contida, Carlisle mantinha a mesma postura de antes. –
- Você não tem mais a irmã dela como trunfo Aro! Não há mais dividas a serem pagas. - Carlisle se levantou olhando o homem, medindo suas ações. –  Aceite fato Aro, você a perdeu!
 Carlisle caminhou para a porta deixando um homem furioso atrás de si. Aro, em um surto de raiva, quebrou vários objetos de sua sala. Não iria deixar barato o que o ‘’amigo’’ lhe fez, ele era um homem de negocio e seguiria as regras de seu mundo, faria tudo para trazer de volta Isabella, seu orgulho valia o trabalho e a jovem lhe renderia muito dinheiro trabalhando em sua casa.
(...)
Isabella matriculou Renesme em uma boa escola no bairro, todos os gastos seriam encaminhados a Carlisle e ao ver a mensalidade quase desistiu de tudo. Uma escola publica não aceitaria sua entrada devido a ausência longa dos cursos normais e da não realização de nenhuma atividade de estudo em domicilio, Isabella foi abrigada a escolher uma particular e regredir a irmã em um ano escolar. Não seria uma adaptação fácil, mas necessária e pagaria pelos gastos com seu trabalho, mesmo que para isso levasse a vida inteira.
 Ao sair da escola olhou se relógio de pulso, faltavam quinze minutos para o meio dia e ela teria que encontra Carlisle no gabinete as 13h em ponto. Aproveitou o restaurante próximo e pediu algo rápido para comer e partiu em direção ao gabinete, o edifício era muito conhecido na cidade, um dos mais badalados por empresas devido a sua boa localização e segurança e também o mais alto do local, deixando clara sua imponência aos demais, assim como era o ego de quem possuía uma sala ali.
A entrada no edifício foi fácil, seu nome já estava no sistema e a recepcionista só precisou imprimir seu cartão de entrada. O cartão era definitivo e sua apresentação não seria mais necessária. Passou o cartão pelo leitor e adentrou o local destinado aos elevadores. O sistema de organização era impressionante, os andares eram diferenciados por elevadores panorâmicos e ao entrar no hall necessariamente deveria se apertar o botão do andar de destino. O elevador correto chamaria pelo andar e só permitira a entrada dos que possuíssem o cartão de autorização. Uma segurança exagerada e necessária para aqueles que trabalhavam com a política de um país.  
- Boa tarde! - Isabella disse chamando atenção da jovem secretaria, sua mesa ficava em frente ao hall dos elevadores. O ambiente deixava a jovem pequena em meio a tanta ostentação, um grande mural de pedras atrás de si refletiam o nome ‘’Cullen’’ em tons dourados, a mesa de madeira preenchia quase todo o espaço, no centro apenas um computador e a jovem — Tenho uma hora marcada com senhor Cullen! Sou Isabella Swan.
Isabella esperou a jovem a sua frente dizer algo mais ela apenas olhou de cima a baixo para Isabella como se a examinasse. A loira de cabelos meio acobreado torceu lábios em repreensão e Isabella se sentiu mal vestida. A única peca descente em seu armário era a saia lápis preta e uma camisa branca sem nenhum detalhe, os saltos altos estavam um pouco gastos, precisaria comprar novas roupas para se adequar ao ambiente.
- O Senhor Cullen a espera. Pode se sentar, vou comunicar que esta aqui.
 Antes que a secretaria pudesse usar o telefone a porta da grande sala atrás dela foi aberta. Carlisle vestia um lindo terno cinza chumbo, a camisa preta alinhada e os sapatos bem lustrados. Seu porte era juvenil e seus traços jovens desmentiam sua idade, por mais que tivesse passado dos 40 anos, mantinha as feições de um jovem com pouco mais de trinta, uma beleza radiante e olhos de predador, uma combinação perigosa.
- Isabella – Carlisle sorriu amplamente - chegou cedo!
-Senhorita Stanley avise meu filho que o quero em minha sala imediatamente.
-Sim senhor. - Jessica utilizou o telefone ainda em suas mãos para fazer a ligação –
-Finalizando, nós leve um café Senhorita Stanley. Venha Isabella, vamos conversar em minha sala!
Carlisle abriu a porta de sua sala deixando Isabella entra, a jovem olhou abismada para o grande salão, as amplas janelas de vidro eram o cenário perfeito. Uma grande mesa de carvalho escurecido estava no centro, na lateral uma estante guardava vários livros sobre historia, economia, política e psicologia enquanto próximo a mesa uma estante menor era usada como bar. Fora isso um sofá de couro e duas cadeiras completavam o local. Se já estava nervosa ao ser avaliada pela secretaria, agora ficou claro que suas vestes estavam inapropriadas, assim como sua postura. Muita coisa teria que mudar e isso a deixou nervosa.
- Isto agora é seu! - Carlisle lhe entregou uma pasta preta —Dentro encontrará um cartão de credito em seu nome e algumas outras informações sobre a campanha. Poderá usar o cartão da forma que bem entender e oriento a usá-lo para a compra de novas roupas. Percebi que esta nervosa e imagino que se sinta inferior neste tipo de ambiente, não digo intelectualmente, mas como sabe, o mundo gira em torno da aparecia e em nosso meio isso é relevante.  
Isabella apenas acenou com cabeça e sorriu nervosa. Carlisle se mostrou observador e solicito, algo que nunca havia vivenciado antes. Ele realmente a estava ajudando como havia prometido, mas por quê? O que ele lhe escondia!
-Matriculou sua irmã na escola? – Carlisle se serviu de uma bebida e sentou-se em sua cadeira apontando uma a sua frente para mim -  
- Sim. Ela começará na próxima semana. Estou com toda a documentação aqui se desejar olhar. – sua voz estava incerta devido a seu nervosismo –
-Não é necessário. Compre o matéria necessário e as roupas com o cartão que lhe dei.
 Uma leve batida na porta anunciou a entrada da secretaria com o café e logo atrás dela Edward. Mesmo após o encontro desastroso de antes ela não pode deixar de notar sua beleza, o homem alto e de aparência poderosa vestia terno escuro e uma camisa vinho, seu caminhar era felino assim como seus olhos. Isabella sabia que teria que trabalhar junto a ele em sua campanha e duvidava que este trabalho seria fácil.
- Desculpe a demora tive um imprevisto! Edward disse entrando na sala.
 - Imagino que a senhorita Denalli tenha saído satisfeita de sua sala. – Carlisle disse seco e então reparei nos cabelos desalinhados e na feição cansada, as roupas em perfeito alinho eram a única coisa que disfarçavam os acontecimentos anteriores. – Agradeço por sua sala ser a prova de som, Isabella não precisava passar por mais uma situação constrangedora vindo de você.  
- Espero que saiba respeitá-la Edward. Isabella será sua nova assessora.
- O que?
 Edward perguntou surpreso, nunca achou que seu pai abriria mão de verdade de sua suposta amante, para ele ambos mantinham algum tipo de relação que não somente profissional, e pior, faria dela sua assessora. Sua agenda pessoal e profissional ficariam em suas mãos, ela seria sua sombra e ficaria exposta com ele durante eventos. Seu pai só podia estar louco.
- Que bom que entendeu! - Carlisle disse com sarcasmo -  Agora que tudo foi explicado, mostre a ela sua sala, ela começará amanha pela manha e Edward  espero você não seja grosso com Isabella.
Isabella sentiu um frio percorre sua espinha quando ouviu as palavras de Carlisle, a jovem já havia provado um pouco da má educação de Edward e agora teria que ser sua assessora isso não cheirava nada bem, o temperamento dos dois era forte e bateriam de frente com frequência. Ela não conseguiria ser baba de Edward por muito tempo.
(...)
Isabella olhava para o calendário que havia sobre sua mesa, haviam se passado 61 dias desde que se tornou assessora de Edward Cullen e aparentemente, junto a este trabalho vieram as perdas, não havia mais tempo para as refeições, para o sono ou para si mesma. Ser babá de uma criança de 5 anos com problemas de cognição seria mil vezes mais fácil do que aturar Edward mais um dia, ele não compareceu a nenhum encontro agendado por ela, o que a deixava em enormes saias justas e provava a Carlisle que havia feito a escolha certa. Por mais que o filho fizesse de sua vida um inferno, ela o driblava perfeitamente. Em meio a toda esta loucura Isabella conheceu políticos amigos e inimigo de seu candidato, entre eles,  James Bloom atual governador.
Prevendo sua derrota, James tentou de todas as formas seduzir Isabella e convencê-la a mudar de lado, suas intenções eram bem claras, ele conseguia ver a beleza do trabalho da jovem, mas também via a beleza de suas curvas e unir o útil ao agradável lhe dava água na boca. Isabella se mostrava indiferente a suas investidas, mal ele podia imaginar que seis meses como dançarina de prostibulo lhe abrisse tanto os olhos para homens como ele, mantenha perto para a gorjeta e longe para o desejo.
 Isabella estava estressada e furiosa, seu olhar era capaz de matar ou ate mesmo queimar a alma do infeliz que estampava a mais famosa revista de fofocas da cidade. Na capa da semana da Brando Famosos, Edward posava ao lado de duas modelos, os três nitidamente bêbados em uma festa dada na noite de ontem por algum riquinho da classe média. O compromisso de Edward hoje era as 11h e ele ainda não deu as caras ou atendia aos meus telefonemas.
- JÁ CHEGA! - Isabella gritou chamando atenção de outra assessores e pessoas próximas.
Ângela Weber assessora partícula de Jasper Halle, olhou espantada para Isabella e viu a jovem quase espumar de puro ódio.
- Eu acho que ele não vira! - Jasper comentou assim que  sua irmã, Rose Halle, entrou na sala.
- Rose querida, saber dizer onde Edward esta?
Claro que ela sabia, tanto sabia que deu sorriso sínico e debochado para Isabella. Os lábios da loira estavam vermelhos e inchados. Rose havia acabado de deixa Edward em sua casa, Edward e Tânia estavam de carona com ela quando voltaram de mais uma noite quente em um motel de luxo, Edward estava insaciável, mesmo com duas mulheres durante toda a noite ele ainda queria mais e foi assim até o meio da manha.
- O deixei em casa a poucos minutos! – Rose disse sentando-se ao lado do irmão e sorriu sinicamente para Isabella. - Acho que ele não vai da as cara aqui hoje não queridinha!
 Isabella bufou  e sem a menor vergonha das pessoas que estavam na sala, gritou de forma histérica pegando sua bolsa e as chaves do carro.
- Pode começa o seu discurso senhor Halle! - Isabella disse já caminhado para a porta - Deixe o governado para o granfinale!
 Isabella saiu da sala deixando um candidato a deputado  em choque e a loira fenomenal  com cara de taxo. Isabella passou pelos corredores  feito um raio,  Carlisle olhou a jovem passar e  sabia, que pela sua feições furiosas seu filho havia aprontado mais uma. Carlisle já começava a se pergunta se realmente foi um boa idéia colocar Isabella com assessora de seu filho.
(...)
 Edward estava saindo do banho, seu corpo todo dolorido pela noite regada a sexo e bebidas precisava urgentemente de uma confortável cama e seu sono relaxante. Ao olhar para seu celular, a luz vermelha indicando uma nova mensagem piscava e ele sorriu ao ver numero de Isabella no visor, varias chamadas e mensagens de texto negligenciadas. Ele fazia de propósito, queria deixar sua assessora tão louca a ponto de surtar e pedir demissão. Para ele era mais uma briga de ego com seu pai, mas para Isabella este trabalho valia mais que ouro e ela lutaria com todas as forcas por ele.  
-- Onde ele esta? Uma voz feminina vindo do anda de baixo fez Edward  se sobressaltar. —Edward Cullen apareça, agora!
 Edward não reconheceu a voz de mulher que chamava seu nome. Nunca imaginaria ele ser aquela a voz de Isabella, pouca palavras foram trocadas pelos dois e em sua maioria eram de ofensas um para o outro. O silencio voltou a reinar na casa e Edward deitou a cabeça  no travesseiro buscando por seu sono.
-- FILHO DA PUTA! Isabella gritou chutando a porta do quarto, Edward levantou assustado – SAI JÁ DESTA CAMA! Mais uma vez ela gritou e seu olhar era mortal sobre Edward, o cansaço e a dor de cabeça foram esquecido pelo súbito ataque de fúria de Isabella, nunca nenhuma mulher o enfrentou desta forma.
-Se você acha que vai me deixar louca ou que vai me fazer desistir deste emprego, esta muito enganado Edward Cullen. Agora sair da porra dessa cama e se vista. Você vai fazer a porra desse discurso hoje – jogou os papeis sobre meu corpo imóvel - ou eu não me chamo Isabella Swan. – Edward olhou guloso para Isabella notando o como sua roupa contornava suas curvas e como aquela mulher com raiva o deixava excitado. Vendo o estado da jovem Edward resolveu  provocar ainda mais sua irá.
- Fecha a porta quando sair Isabella! Edward disse voltando a deitar na cama. - Tente não fazer muito barulho, estou tentando dormi aqui!
Edward devia aprende hora de fica calado, pois sua palavras fizeram Isabella perde o resto de paciência que ainda tinha e explodir de vez.
- AH, MAS VOCÊ VAI! Isabella gritou
 Edward não virou o rosto para ver a reação de Isabella, deixou o corpo solto sobre a cama imaginando que ela sairia pela porta com raiva e correria para os braços de Carlisle, foi pego de surpresa quando sentiu duas mãos se fecharem em torno de seus tornozelos o puxando para o chão. Edward olhou chocado para Isabella, sua atitude foi inesperada e seus olhos se cravaram na imagem ofegante da jovem a sua frente, o pequeno corpo respirava com dificuldade, o rosto vermelho devido ao esforço e um sorriso zombeteiro nos lábios pela vitoria. Edward mantinha a forma praticando diversas lutas e a sua preferida era Greco Romana, com suas pernas ágeis levou Isabella ao chão a imobilizando, jogou seu corpo contra o dela ficando sobre a jovem.
- Idiota! Isabella disse tentando se solta - Me solta agora! Esbravejou.
- Adoro mulheres bravas! Edward disse e para surpresa de Isabella ele passou sua língua pelos lábios da jovem – Sabia que você esta sexy com esta roupa! Ele elogiou – Acho que você ficará  ainda melhor sem ela.
 Isabella estava em choque, a atitude de Edward a pegara de surpresa, sentiu suas mãos serem erguidas sobre a cabeça e Edward enterrar a cabeça em seu pescoço dando uma leve mordida, pode sentir sobre sua barriga a dura e pulsante ereção de Edward. Lutou ainda mais forte contra o pesado homem sobre sim com medo do que poderia ocorrer com sua pessoa, era evidente que ele ainda estava sobre o efeito da bebida.
- Jura que vai quere luta contra mim! Edward comentou – Adoro domar mulheres como você.
Isabella sentiu o sangue ferver em seu rosto, as palavras chulas de Edward provocaram uma excitação a muito esquecida e também um ódio pela prepotência do homem. Não seria ela mais uma mulher na lista de Edward.
- Posso ate ser uma fera na cama... - disse e Edward sorriu torto imaginando sua vitoria -, mas  não será você que vai me domar senhorzinho Cullen!
 Edward não entendeu o sarcasmo na voz da jovem ate sentir seu membro ser pressionado firmemente pelo joelho de Isabella.
- Filha de puta! Gemeu rolando de dor deixando livre o corpo de Isabella – Nunca mais serei pai sua vadia!
 Isabella gargalho ficando de pé, arrumou as roupas e os cabelos ainda observando Edward se contorcer no chão segurando seu membro.
- Você tem 20 minutos Edward para descer de banho tomado e bem vestido. Se não aparecer na cozinha neste tempo eu volto e desta vez, volto e te castro! Isabella ameaçou e caminho para fora do quarto sem dar atenção aos gritos de Edward -
(...)
Jasper Halle estava terminando de  fazer seu discurso quando viu Isabella entrar na sala de conferencia ao lado de Edward, sua surpresa foi tamanha que chegou a gaguejar enquanto falava.  
Isabella caminhava firmemente pelo tapete vermelho posto na lateral do salão para a passagem dos convidados, suas roupas não estavam impecáveis como antes e tanto Jasper quanto Carlisle notaram a diferença de humor nos dois. Isabella exalava poder e confiança enquanto Edward parecia uma criança emburrada. Já atrás do palco Isabella tirou de sua pasta uma pequena pasta transparente e entregou a Edward.
- Seu discurso! Seja convincente!
 Edward pegou papel das mãos de Isabella bufando, estava irritado por ter cedido aos caprichos de Isabella, ele perdeu esta batalha, mas a guerra continuaria
- Isso não vai fica assim Isabella! disse subindo ao palanque tomando o lugar  onde antes estava seu amigo e rival de campanha.
(...)
-- Belo discurso! Carlisle disse sorrindo para filho.
-- O discurso é de Isabella, de os parabéns à ela! Respondeu amargo ignorando completamente o pai.
-- Parabéns Isabella! Carlisle disse beijando sua testa. Edward bufou.
-- Ah, por favor! Leve-a há um motel pelo menos! Edward disse saindo de perto dos dois.
-- Sinto muito! Desculpou-se Carlisle.
-- Não tem problema Carlisle. - Isabella respondeu sorrindo – O que ele pensa sobre nós não me importa, mas é melhor eu ir atrás dele, da forma como esta irritado, logo estará bêbado em mais uma capa de revista.
 Carlisle sorriu ao ver determinação de Isabella, outros já teriam deixado Edward se afundar ou aproveitariam de seu status.
(...)
 Edward estava no bar com um copo de whisky na mão, a seu lado Jasper, Emmett e Rose posando para fotos e mais fotos de braços dados a Edward como se ambos mantivessem algum tipo de relacionamento mais serio.  
-- Belo discurso Edward! Aposto que foi sua bela assistência que escreveu para você! – James disse zombeteiro.
 Edward engoliu o liquido âmbar de seu copo em um único gole olhando de forma assassina para James. Quem sabe uma briga não faria Isabella desistir de auxiliá-lo na campanha, seria uma forma de aliviar a raiva que estava sentindo por ter sido subjugado por uma mulher e ainda sentir ardência entre as pernas pela joelhada. Ao deixar o copo na bancada se preparando para a investida Isabella surgiu em seu campo de visão.
-- Chega de beber por hoje Edward – pegou o braço do rapaz o separando de Rose – agora  coloca um sorriso nesse rostinho safado e me segue.
 Emmett reagiu de imediato soltando uma alta gargalhada sendo seguido por risos mais contidos da parte de James e Jasper. Ninguém nunca havia falado com Edward desta forma, sempre fora conhecido por dar a ultima palavra.
-- Isabella minha querida, esta linda como sempre! James disse antes que perdesse os dois de vista.
-- Queria dizer o mesmo James. Este seu terninho é tão ultrapassado como esta sua cantada.  – respondeu sem rodeios – Senhores, senhorita, peço a licença de vocês, mas Edward precisa comparecer a uma sessão de fotos. Sozinho! – seu olhar foi direto para Rose que já havia se animado para acompanhá-los.
Edward seguiu Isabella em choque, seu corpo seguiu sendo rebocado pelos corredores até o local da sessão de fotos. Atrás deles, três homens e uma mulher olhavam sem entender a cena que se seguia.
(....)
Isabella chegou em casa já de madrugada, constatou o fato ao olhar em seu relógio, meia noite e meia. A casa silenciosa era sinal de que sua irmã dormia e seguiu ao quarto da mesma para confirmar, Renesme dormia enrolada em seu lençol cor de rosa e ressonava tranquilamente.
Isabella agora precisava de um bom banho e cama, e foi isso que fez. No dia seguinte agradeceu por não precisar acordar cedo, só precisaria estar com Carlisle as 10h e aproveitou para ter mais algumas horas de sono. Não havia folga ou momentos de descanso em sua rotina de trabalho graças a Edward Cullen, se ele se esforçasse um pouco mais ela teria, pelo menos, um dia na semana para si mesma. Refletindo sobre seus feitos tomou seu café da manha sem pressa e ainda encontrou tempo para organizar algumas coisas pelo apartamento.  
Renesme já havia saído para a escola e Isabella resolveu passar no quarto da irmã para recolher a roupa suja. Ao entrar no quarto ficou surpresa com tamanha desordem, roupas e materiais espalhados por todo o lugar e em meio as roupas sujas bela encontrou alguns papelotes de cocaína.
Isabella sabia do vicio da irmã, mas ingenuamente achou que ele se devia ao fato da mesma trabalhar como prostituta e conviver com Sam. Para ela, após tirar a irmã desta vida todos os outros problemas também se resolveria. Ledo engano. Isabella organizou todo o quarto atenta na busca de novos papelotes, ao se dar por satisfeita vestiu sua calca jeans e uma camiseta saindo em direção a escola da irmã.
(...)
Edward estava impaciente em sua sala, Isabella nunca se atrasava ou se isso acontecesse avisava e tardava apenas alguns minutos, já se passaram três horas e nenhuma noticia. Teria, depois de tudo, desistido dele? Edward começou a bater o pé no chão e quando isso não mais aliviou sua ansiedade se levantou saindo da sala.
-- Senhorita Stanley! Edward chamou a secretaria tirando-a da leitura de uma revista de fofocas -Sabe me dizer onde esta minha assessora?

 Jessica pode sentir a fúria na voz de Edward e estremeceu, sabia o quanto ele poderia ser irracional neste estado, sentira na pele algumas de suas exacerbações.
-- A Senhorita Swan ainda não compareceu no gabinete. - Jessica disse mantendo um sorriso amarelo no rosto. – O Senhor Carlisle também procurou por ela há alguns minutos.
Jessica também suspeitava do relacionamento de Carlisle e Isabella e aproveitou para alfinetar sobre a relação dos dois. Edward a olhou de forma severa para a secretaria e ignorou suas palavras voltando a sua sala. Antes de bater a porta ouviu o som do elevador e olhou para trás verificando quem era. Sua intenção ao ver Isabella era ralhar com a mesma mostrando seu lugar na empresa e as responsabilidades não cumpridas, mas desistiu da idéia, em partes, ao ver seus olhos vermelhos e o rosto inchado, prova de seu choro constante.  
-- Esta muito atrasada hoje Senhorita Swan! Edward a olhou friamente.
-- Tive um contra tempo! A voz fragilizada e a postura oprimida mostraram o quanto o ‘’contra tempo’’ a fez mal. A passos curtos seguiu para a sala de Edward sem o olhar nos olhos –
 Edward seguiu a jovem que já estava com a agenda aberta verificando as obrigações da data.
-- O que aconteceu? Edward perguntou
 Era visível a qualquer um que Isabella não estava bem e tão pouco parecia disposta para o trabalho. Edward não a aturava por acreditar ser ela amante de seu pai, mas também não havia como ficar indiferente.
-- O que você tem Isabella? Edward voltou a pergunta agora com a voz branda.
Edward caminhou ate a mesa de Isabella e ao chegar perto notou que ela chorava silenciosamente, Edward nunca souber como agir perto de pessoas que estavam chorando. Ao sentir a presença de Edward, Isabella tratou de secar rápido suas lagrimas e esquecer-se dos fatos desta manha, mas era impossível. As imagens da irmã sendo levada a uma clinica de reabilitação eram marcantes e seu choro veio agora sem reservas e ela soluçou alto.
-- Me conte o que esta acontecendo com você Isabella.
-- Ela foi internada! Isabella disse soluçando
Edward não entendeu a quem Isabella se referia e sentiu uma sensação estranha quando Isabella, em pleno desespero, o abraçou chorando ainda mais forte contra seu peito. No começo ficou sem reação e após alguns segundo retribuiu o abraço afagando as costas de Isabella como se a mesma fosse uma criança. Sua camisa estava ensopada sobre o peito e ele já se desesperava por não ver nenhuma reação de tranquilidade vinda da garota mesmo após longos minutos de choro.
Quando Isabella ficou mais calma, Edward a levou ao sofá que havia na sala e ambos se sentaram.
-- Agora que esta mais calma,me diga o que aconteceu. Quem foi internada? Edward perguntou tirando alguns fios de cabelo presos ao rosto de Isabella pelas lagrimas.
 Isabella suspirou fundo, soltando o ar pela boca. Repetiu o feito mais duas vezes antes de falar.
-- Minha irmã! Isabella sussurro – Ela foi internada hoje! - Isabella mordeu lábios para não chora de novo, Edward tinha os olhos sobre  ela e   não sabia o que dizer para jovem.
-- Eu sinto muito! Ele disse e apertou a mão da jovem em uma tentativa de mostrar que suas palavras eram verdadeiras – O que ela tem? -Isabella suspirou fundo e limpou a garganta antes de dizer a Edward, seu chefe, o motivo de ter internado sua irmã.
-- Ela é jovem e se envolveu com coisa pesadas! Respondeu escolhendo muito bem as palavras – Eu tentei ajudar. Cheguei tarde de mais. Ela é usuária de drogas.
 Edward ficou surpreso com revelação de Isabella. Espera por uma doença grave ou até alguma besteira adolescente, não esperava saber que alguém tão jovem era usuário de drogas. Não alguém vindo de uma família como a dela, pelo menos Isabella mostrava-se honesta e muito trabalhadora.
-- Ela foi nessa de experimentar, começou com algo ‘’leve’’, maconha, e depois vieram o alcool, amigos, cocaína de graça e o crack. - Isabella disse soluçando – Desculpe-me, esta não é a postura de uma assessora do futuro governador desta cidade. Meus problemas não lhe dizem respeito e isto não se repetirá.
 Edward olhou para mulher a sua frente, seu estado era lastimável e ele sentiu compaixão por ela. O barulho da porta sendo abeta chamou a atenção dos dois. Os olhos de Edward se arregalaram ao ver seu pai entrar de maneira brusca em sua sala. Ele estava afoito.
-- Não precisa mais chorar querida. Consegui reverter a situação! – Carlisle estava a frente de Isabella, ajoelhado a seus pés segurando firmemente suas mãos - Renesme foi internada na clica de uma amigo da família e ela será muito bem cuidada.
Edward respirou fundo chamando a atenção de Isabella, ele estava à seu lado vendo uma cena no mínimo intima entre ela e Carlisle. Edward  os olhava com o maxilar travado.
-- Obrigado! Isabella sussurrou
-- Vá para casa Isabella. Não esta em condições de trabalhar hoje. - Edward disse já em pé, olhando fixo para seu pai.
-- Edward tem razão! Carlisle disse – Este é o endereço da clinica para onde sua irmã foi transferida. Vá visitá-la. - Carlisle disse entregando um cartão a Isabella – Ela será acompanhada pelo Dr. Black, um amigo da família.
 Carlisle beijou o topo da cabeça de Isabella e tal fato irritou Edward. Sua impaciência foi notada por Carlisle e também ignorada.
-- Pode ir Isabella. Tire o dia de folga, há muitas semanas não tem uma não é mesmo!
 Isabella manteve a cabeça baixa evitando que ambos vissem suas lagrimas.
-- Ela é minha irmã caçula! - sussurrou – Daria minha vida por ela. Obrigado mais uma vez Carlisle, por tudo.
Edward ouviu as palavras de Isabella e uma dor aguda lhe atingiu peito, suas palavras tocaram em uma ferida antiga, lembranças de quando ele também daria a vida por alguém.

(...) 7 anos atrás
 Edward estava sentando no sofá da sua sala, do seu lado estava seu melhor amigo e irmão do peito Jacob Black. Edward tinha cabeça baixo presa entre as pernas e ele chorava como se fosse uma criança de cinco anos que acaba de quebra um brinquedo ou que levará um bronca da mãe.
-- Ela e tudo que tenho! Edward disse para amigo que estava do seu lado observando todo seu desespero—Eu daria minhas vida so para salva a dela.
 Sim ele daria tudo, para ter sua mãe do seu lado mais a jovem Elizabeth morreu dois dias depois que  essa palavras foram dita. Jacob nada pode fazer pelo amigo, mais juro para ele que iria ser medico para pode salvar vida de pessoas com Elizabeth.
(...)
 Edward foi tirando do transe quando salto fino de Isabella fez barulho no chão de madeira da sua sala. Edward olhou para uma jovem derrotada em sua frente.
-- Ela esta viva! Edward sussurro sem saber muito bem o que dizia a jovem – Ainda pode ajuda, e se essa e única solução. Aceite Isabella!
Isabella sentiu as palavras de Edward e sabia que ele tinha razão a única saída para salva  sua irma era internado ela. E por algum motivo Isabella também sabia que Edward não so falava da irma dela como falava de alguém que tempo ele não via.
-- Obrigado! Isabella sussurrou e saiu de sua sala
 Na sala sozinho Edward lembrou que tempo não visitava o túmulo da sua mãe e fazia tempo que ele não visitava um pessoa em especial e hoje ele sentiu falta disso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário