Jul M

Oi

quarta-feira, 4 de julho de 2012

A prostituta Capitulo 2 A Proposta

A Proposta

Isabella saiu da sala de Aro com tanta raiva que poderia ter matado aquele homem se tivesse chance. Por fim,  respirou fundo e foi ate o camarim se arrumar, sua dança seria a primeira da noite. As palavras de Aro ainda estavam em sua cabeça, ela realmente não sabia o que fazer e nem mesmo o que pensar sobre esta proposta inesperada. Tudo o que queria era tirar a irmã desta vida, mas a sua vida também estava em jogo, o que seria dela se aceitasse ?

Isabella ouviu a primeira chamada e  terminou de se arruma deixando os pensamentos em um local distante de sua mente, quando a segunda chamada foi feita ela já caminhava para o palco. Nunca olhava no espelho após finalizar seu personagem, tinha vergonha de sua imagem deturpada. Caminhou em direção ao palco enquanto ouvia Erick fazer as apresentações da noite se concentrando em sua deixa.

- Com vocês, Bells Bombom!

Essa era sua deixa, o chamado de seu nome artístico. Isabella entrou no palco caminhando em direção a barra de poli dance, seus quadris dançavam de forma sexy e ousada antes de realmente utilizar o poste a sua frente. A dança já entrava em seu quarto mês e Isabella ainda sentia vergonha de seus atos assim que observava a platéia, os olhares de cobiça a faziam se sentir barata. O final da musica sempre lhe seria bem vindo, era seu momento de salvação, assim que a musica e seus movimentos tinham fim ela corria em direção a saída deixando para trás a imagens dos homens do salão, alguns eram tão ousados que se permitiam tocar no corpo semi-nu da das dançarinas. Isabella sentia-se aliviada por não necessitar fazer sexo com aqueles homens e sempre que a imagem lhe vinha a cabeça lembrava de sua irmã.

(...)

Nessie estava em um restaurante de alta classe ao lado de Sam, esse por sua vez, estava cercado pelos amigos, médicos, advogado e alguns promotores bajuladores. A festa para a alta classe ocorreu em um grande salão reservado no melhor hotel da cidade. Nessie trajava um vertido vermelho sangue, o decote descia profundo por entre os seis pequenos e uma jóia, presente de Sam, adornava seu busto, em suas mãos uma taça de champanhe dançava pela sétima vez.

Sam conversava sorridente em meio as amigos, do outro lado do salão Miss NY trajava um belo vertido preto destacando seus atributos e Miss Canadá, também presente, trajava um vertido prata tão brilhante quanto as luzes de natal, uma peca exagerada para a ocasião.

Nessie olhou a taça em sua mão e bebeu todo o conteúdo rose em apenas um gole, olhou em volta buscando por outra taca, o garçom estava distante e então a jovem saiu de sua posição deixando Sam e os amigos, caminhou pelo salão tranquilamente, seu corpo já mole devido ao álcool oscilava sobre os saltos agulha, mesmo assim manteve a postura no caminhar e sorria de forma educada para os convidados.

Indiferente as necessidades de seu parceiro, Nessie não incomodou-se em avisar Sam de sua ausência e quando este buscou a jovem para apresentá-la ao novo médico da clinica ficou furioso por não tê-la a seu lado. O home pediu licença à todo da mesa e saiu em busca da jovem, estava bufando de raiva e o efeito de sua fúria só foi agravado pelo álcool. Assim que Sam viu Nessie do lado de fora do restaurante em uma área reservada não se importou com mais nada, a segurou pelos cabelos esbravejando enquanto a jovem buscava entender o que estava acontecendo a seu corpo para tamanha invasão e brutalidade.

- Sua vadia! Ele disse descendo a mão sobre o rosto da jovem lhe dando um tapa forte.

- Por acaso te pago para fica longe de mim?
 Sam voltou a estapear o rosto da jovem, Nessie tentou se defender das agressões, mas foi em vão. Sam era mais forte e estava descontrolado, bateu com tanta força e repetidas vezes que lhe fez cuspir sangue e rasgou-lhe o lábio, a jovem sentiu seu corpo escorregar contra a parede onde estava sendo empresada e suplicou pela vida.

- Pare, pare Sam, por favor! Suplicou entre soluços e tentado proteger seu rosto.

Sam se afastou deixando seu corpo escorregar para o chão, Nessie soluçava descontroladamente ao mesmo tempo que mantinha as mãos em frente ao rosto com medo de novas agressões. O sangue sujou suas mãos e seu vestido a deixando imprópria para retornar a festa.

- Olha o que você me fez fazer a você! Abaixou-se segurando o queixo da jovem.

- Vamos sair daqui, não posso voltar com você para o salão.

Nessie nada disse apenas levantou, ainda com dificuldade pelos saltos, bebida e dor, e seguiu Sam pelo estacionamento em direção ao carro. Nunca fora possível a ela entender Sam, sua agressividade não era constante, mas vinha em momentos irregulares, impossíveis de se prever. Seu lado carinhosos era mínimo, pelo menos para ela

(...) momento Off

Miss NY era uma mulher linda, os cabelos longos e dourados assim como sua beleza inigualável lhe permitiam o ícone ‘’beleza de anjo’’. Rosalie Halle ganhou o titulo de miss NY e era apenas ofuscada por Tânia Denali, Miss Canadá,  filha do embaixador Frances Eliazar Denali,  homem de muita influencia em NY. Ambas apenas mantinham a amizade por aparência. Tânia precisava da imagem de Rose para alcançar seus objetivos.

Rose, irmã de Jasper Halle, futuro deputado de NY, era uma ponte a seus objetivos. Jasper sabia ser influente e convivia com pessoas influentes da classe emergente, entre essa pessoas estava Edward Cullen futuro  governado  de NY, um dos candidatos mais mencionados nas pesquisas. Com apenas 32 anos Edward seria o mais jovem governado da cidade. Suas chances eram grandes visto que o atual governador se enrolou em algumas cituacoes e deixou claro ao povo seus desvios financeiros entre outras coisas,  James Bloom já era carta fora do baralho.

Edward fora convidado a mesma festa em que Sam estava a pouco, mas imprevistos o fizeram se atrasar. Sua presença no evento era crucial, muitos ali eram futuros eleitores e influentes em sua campanha, mesmo que para ele a bajulação fosse hostentar algo que não fazia parte de seu caráter, ele o fez pois fazia parte da carreira que escolherá.
Alguns amigos estariam presentes e seria confortável falar com todos.

Jasper Halle, futuro deputado e amigo estava junto ao advogado Emmett McCarty, seu amigo e braço direito na campanha. Jacob Black, amigo de infância e renomado medico, também estava ali para compartilhar deste momento.
 Entrar pelo grande salão era claustrofóbico e a imagem dos amigos servirá para diminuir sua ansiedade. Rosalie Halle estava junto ao irmão e uma amiga, modelos chamam muito a atenção e estão sempre em busca de fotos para noticias de jornais e revistas, cumprimentaria o amigo mais tarde tentando assim adiar o inevitável.

Edward rodou o salão em busca de rostos conhecidos, avistou o barrão Montes e lhe acenou a distancia. Mais a frente estava Jacob Black ao lado de sua namorada Leah Clearwater, uma linda morena de longos cabelos negros e uma profissão ingrata para aquela noite, uma repórter do canal CNN. A publicidade era sempre bem vista, mas o gênio forte e vingativo da mulher poderia comprometê-lo se alguma palavra fosse dita fora do contexto.

- Um bom filho a casa torna! Disse Jacob cumprimentando o velho amigo.- Quando chegou?  Edward sorriu e apertou a mão do amigo o puxando para um rápido abraço.

-Cheguei hoje! Ele disse de forma amigável. - Você continua o mesmo Black. - Edward comentou ao observar a jovem a seu lado, Jacob por sua vez mantinha o sorriso travesso no rosto. Se passaram seis meses desde que Edward foi morar em Londres e Jacob se formará na faculdade.

-Digo o mesmo Cullen! Ele disse socando seu ombro - Só que agora e futuro governado!

 Jacob sentia orgulho do amigo, o sonho era algo que compartilhavam desde a infância e agora era palpável sua concretização. Leah permaneceu incógnita ao lado dos dois aguardando o momento em que seria apresentada.

-Quem seria sua acompanhante Jacob?

-Minha namorada Leah Clearwater, você deve conhecê-la de vista se acompanha os jornais!

-Encantado! Edward disse beijando o rosto da jovem.

- Conheço este olhar Edward, nada de galanteios com a minha mulher! Jacob disse passando braço em volta da jovem.

 Claro que tom de voz do Jacob era brincalhão mais não deixava de ser possessivo, Jacob era amigo de Edward sim, mais nunca supero a perda da primeira paixão juvenil para o melhor amigo.

-Nunca tentaria nada Jacob! Jacob entendeu bem sua palavras. Apos a confusão quando crianças, Edward e Jacob fizeram um acordo, nem um e nem outro roubaria mais a namorada de ninguém para preserva sua amizade. O acordo se estendia até os dias de hoje e estava sendo cumprido a risca.

- Com a licença de vocês! Ainda tenho algumas pessoas para cumprimenta. – Edward se afastou cortes.

Edward voltou a rodar pelo grande salão, conversou com velhos amigos do tempo de escola, alguns homens que o estavam apoiando em sua campanha e cujo os nomes nunca se lembrara e quando não teve mais saída,  seguiu ate as duas modelos que agora estavam cercadas pelos  dois amigos pessoais, Jasper e Emmett.

- Quanto tempo não os vejo! Disse Edward ao chega perto_ Senhoritas!

Edward fez uma gentileza ao cumprimenta-las, beijou a mão de cada uma delas e por fim se virou para os amigos que ainda o olhavam com surpresa.

-Quando chegou? Jasper perguntou

-Pela manha!

-Quando parte? Emmett perguntou

Edward sorriu não estranhando a pergunta do amigo, os últimos seis meses foram assim entre eles, apenas um ou dois dias na presença de ambos.

-Vim para ficar! Ele disse com sorriso de canto nos lábios

-Então sua paixão britânica já era? Emmett pergunto sabendo o que prendia Edward em Londres

Edward estava preso em Londres devido a sua mais nova paixão, Bree Tanner, uma linda aristocrata enfadada com o mundo de brilhos, o relacionamento dos dois era tranqüilo e liberal, a jovem nunca quis nada serio com ele. Edward buscava uma estabilidade que ela não poderia lhe dar, casamento e filhos estava fora de cogitação para ela e esta estabilidade seria bem vinda para sua campanha publicitária. O que um governador poderia fazer pelas famílias americanas se ele mesmo não formará uma?

-Infelizmente sim, meu caro amigo! Ele disse mantendo o sorriso no rosto. -A paixão acabou para ambos.

-Então esta solteiro? Rose perguntou sem rodeio.

- É o que tudo indica! - disse passando as mãos pelos cabelos rebeldes, um tique nervoso que os amigos bem conheciam.

-Muito bom saber disso! Tânia Denali disse

O resto da noite foi tranqüilo, Edward conversou com os amigos, alguns convidados e fugia das investidas femininas gerando risos irônicos nos amigos próximos. A presença de um dos influentes da noite não foi questionada, a saída de Sam passou desapercebido a todos. O grupo não imaginava que o encontro poderia trazer lembranças de momentos distantes e ainda claros na memória de todos.

(...) Fim Momento Off

XXX – Atual XXX

 Isabella chegou em casa antes do previsto, não teve todas as dança da noite, uma nova dançarina fora contratada por Aro e ainda não foram apresentadas, as palavras de Aro a fizeram correr do prostibulo assim que teve chances e deixou para conhecer a jovem em outro momento. A casa estava vazia, Nessie não tinha hora para chegar já que fora a uma festa, despreocupada tirou as roupas no quarto e já seguia para o banho quando ouviu a porta bater. Pegou o roupão de banho e correu para a sala.

-O que aconteceu? Isabella disse ao ver o rosto da irmã banhado em sangue.

 Isabella sabia muito bem o que tinha acontecido e seu coração se apertou ainda mais, o cretino do Sam havia batido de novo em sua irmã, estava decidido, esta teria sido a ultima vez.  Assim que Renesme foi colocada no sofá, Isabella desferiu um soco na boca do homem que era duas vezes mais forte que ela e também era mais alto.

-Se voltar a tocar na minha irmã eu te mato desgracado!

Isabella disse olhando em fúria  para Sam, o nó de seus dedos latejavam, a dor era mínima frente ao que Nessie tinha passado nas mãos daquele crápula. O home a olhava incrédulo, manteve a mão sobre queixo sentido o soco que a jovem lhe desferi-la.

-Esteja pronta no horário de sempre Nessie! Foi tudo que Sam disse e saiu da casa deixando para trás uma Isabella derrotada e uma Renesme irritada.

-Cretino! Isabella disse arremessando um vaso contra porta. -Ele te machucou muito?

- Não mais do que fará no próximo encontro. Por que bateu nele? Nessie disse se aconchegando no colo da irmã,

Este era um raro momento para ambas, só na dor elas se deixavam levar pelos momentos de acolhimento e amor. Nessie sempre torturava a irmã dizendo que culpa por sua dor era dela e Isabella acreditava cegamente nisso. Isabella ajudou sua irmã a se limpar e a deitou na cama os efeitos do álcool eram evidentes e o conforto veio ao saber que era só isso, nada de drogas esta noite.
Observou a irmã dormindo por um tempo, longe de toda a dor a garotinha tomava forma, dormia como um anjo e parecia ate feliz em seus sonhos, pelo menos nos sonhos ela ainda era feliz.  Ao sair do quarto, Isabella lembrou das palavras da irmã sobre o mal que Sam lhe faria depois e as de Aro que lhe prometiam a liberdade.

(...) lembranças

- Recebi muitas proposta em relação a você, mais nenhuma faziam jus ao que você realmente vale. - disse olhando a jovem.

- Um velho amigo a solicitou como dama de companhia, ele foi claro com cada palavra, não queria uma prostituta usada e sim algo novo.

 Isabella sentiu uma pontada fria na espinha, sabia que nada de bom sairia da boca desse homem.

- A  única que  possuo hoje é você. - Aro disse sentando novamente em sua cadeira.

-E como sei que você não aceitaria tão fácilmente e a proposta para mim é tentadora, faço-lhe a proposta. Dou a tão sonhada liberdade a sua irmã e a libero de toda a divida de seu pai assim como dos trabalhos nesta casa e você toma o lugar dela.

Como Isabella suspeitava, nada seria fácil se tratando de Aro.

-Dama de companhia não é o mesmo que prostituta Isabella, você acompanhara homens importantes em eventos sociais e claro, se eles pagarem por algo além você terá que servi-los.

Isabella bufou, os nomes mudavam, o trabalho não. Seria paga para dormir com homens de qualquer maneira.

-Quando você diz de papel passado que dizer o que? Isabella perguntou.

-Que darei a você a guarda da sua irmã, sabe que ela ainda é menor, só atingira a maior idade no final do ano.

-Tenho que pensa! Foi tudo que Isabella disse ao sair da sala.

(...) Fim das lembranças

O dia já amanhecia, Aro nunca deixava o lugar e seu coração não poderia esperar por mais algumas horas, a decisão poderia lhe fugir. Ainda com o sol no céu daria sua resposta final a Aro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário