Jul M

Oi

quarta-feira, 18 de julho de 2012

A prostituta capitulo 8-- Acordando o monstro adormecido

Acordando o monstro adormecido.
“O mundo é um lugar perigoso, ele esta cheio de becos e ruelas e muitas vezes não tem saída” (Frase De Jul M)
Isabella andou durante hora pelas ruas, seu cabelo despenteado e a maquiagem desfeita lhe davam a aparência destruída e sem brilho que sua alma transparecia. Algumas lagrimas teimavam em cair e em sua mente uma única pergunta. Como foi que errei tanto? No fundo, Isabella sabia que Edward não era o monstro que virá naquele escritório, o conhecia mais do que muitos naquela festa, mas o Edward arrogante e ignorante prevaleceu e todo o amor se esvaiu por suas mãos. O dedo pesava, não mais pelo peso do lindo anel que sustentava e sim pela ausência do mesmo.
Quando seus pés não mais agüentaram caminhar sobre os finos saltos, um taxi a levou a seu apartamento. Durante todo o trajeto as palavras de ofensa proferidas por Edward lhe feriam o coração, destruíam cada pedacinho que uma vez se deixou amar. Já no apartamento a dor antes suportável pela ausência da irmã agora era excruciante, duas dores distintas lhe afligiam e seu corpo, assim como sua mente, não suportaram. Sobre as grossas cobertas de sua cama Isabella permaneceu por horas, dias ou talvez meses, o tempo não lhe importava mais.
–--
Para Edward a dor também fora por demais e após toda a confusão em seu escritório, o mesmo, abandonou a festa sem dar explicações a ninguém. Sua fúria o deixara displicente e no caminho vários garçons tiveram suas bandejas derrubadas e alguns a descendência amaldiçoada, para Edward havia apenas um porto seguro e foi para lá que ele correu como um louco em seu carro.
As ruas não tinham mais sentido e o que antes era um sinal de PARE havia de se tornado SIGA, muitos acidentes foram evitados com milímetros até que Edward reconheceu o caminho para a casa de sua tia Carmem. Em seus braços poderia despejar toda a dor e ser compreendido.
–--
O pneu derrapando em seu jardim e batidas fortes em sua porta a despertaram a um mal pressentimento. Carmen ficou assustada com o estado em que o sobrinho chegou em sua casa. Não cabiam perguntas naquele caso, os olhos vermelhos e injetados de Edward já lhe diziam tudo e calmamente a doce senhora o conduziu a sala o colocando em seu colo. Os cafunés em sua nuca pareceram tranqüilizar a pequena criança que agora se desfalecia em lagrimas. O imponente e forte governador fora derrubado e para ela só existia uma razão: Amor.
–--
Ainda na festa Jacob ignorou os cochichos que foram surgindo e buscou Carlisle para lhe esclarecer os fatos. Após todo o relato, Carlisle não se mostrou surpreso, contou sua parte da estória a Jacob e ambos perceberam que o estrago feito teria conseqüências muito maiores do que as verdades escondidas ate aquele momento.
Decidiram por esperar os ânimos se acalmarem para então tentar reverter o que a inveja e o ciúmes de duas jovens mimadas causaram. O pior já havia sido feito, ou não. Na manha do dia seguinte o vídeo mostrado a Edward na noite anterior estava em todos os noticiários, não havia como afirmar que era Isabella ali rodopiando pelo polly dance da casa noturna, mas como na mídia o que importa não é uma bela imagem e sim o que ela pode repercutir, a imagem de mulher de ferro e do Governador estavam na lama, nenhum eleitorado feminino aceitaria com bons olhos este relacionamento e nem saberiam explicar a seus filhos estas imagens. Toda uma campanha fora corrompida.
(..)
–- Ele é um babaca! Nessie disse com raiva — Jacob, ele não pode fazer isso com minha irmã! Ela só entrou nessa vida pra me ajudar. Ela nunca foi como eu, nunca se vendeu.
Renesme se perdia ao tentar expor sua raiva ao médico, ela não o via só desta forma e sim como um amigo, um bom amigo. Duas semanas haviam se passado e ela ainda sofria pela irmã que não conseguia se reerguer de sua perda. Isabella foi afastada do cargo de assessora do Sr. Cullen, todas as suas idéias foram abolidas de sua campanha e para Edward ela não mais existia como profissional ou como pessoa.
Durante todo este tempo a empresa usou das imagens para aumentar o ibope e promover a queda do Governador Cullen. Com toda a exposição na mídia, Isabella não conseguiu se reerguer profissionalmente, sua imagem estava ligada diretamente a de dançarinas de boate e não profissionais competentes de grandes empresas. Em entrevistas as propostas recebidas eram para noites quentes, regadas a sexo a dinheiro e não empregos decentes. A imagem de prostituta a desgastou por completo e sua vida perdera novamente o brilho e o sentido.
–- Edward não quis me ouvir! Ele já foi muito magoado Nessie, não estou justificando seus atos, ele realmente esta errado, mas o fato é que ele não vai parar para ouvi-la.
–- Ele é um idiota. Vai se arrepender quando descobrir o que esta perdendo.
– Quando ela vem me visitar?
–- Não sei minha querida! Jacob disse sentando ao seu lado na cama — Tenho novidades para você! Nessie olhou para Jacob que tinha leve sorriso no rosto,
–- Quais?
–- Vai poder sair, passar um tempo no jardim com os outras pessoas. O que acha?
Nessie não reagiu tão bem quanto ele queria. A segurança do quarto lhe dava forcas, mas ficar frente a frente com outros que passam pelo mesmo que ela seria difícil, seria como confrontar a si mesma e seus erros. Jacob tocou em seu rosto aflito a fazendo relaxar e sorrir para ele.
–- Você não é uma prisioneira neste local Renesme. La fora não é tão ruim assim! Ele disse gentilmente – Sabe que sair do quarto é um sinal de melhora em seu tratamento, não sabe. Tomar um solzinho também será muito bom, você esta parecendo um vampiro de tão pálida.
–- Tudo bem! Ela disse rindo de verdade para ele — Vou tenta ser boazinha senhor Black.
–- É assim que se fala Srta. Swan! Ele disse beijando sua testa — Tenho ir agora, volto amanha para vê-la e podemos caminhar junto no jardim.
–- Jacob! Renesme o chamou — Você poderia tentar falar com minha irmã, pedir para ela vir me ver?
–- Vou tentar! Ele disse saindo de vez.
O relacionamento de Jacob e Renesme andava bem, ele estava cumprindo a promessa feita a Bella. Cuidava com carinho de Renesme e este carinho lhe provocava outros sentimentos, nunca deixou de pensar nela e agora um misto de emoções lhe tomavam, o carinho estava se transformando em algo mais.
Há algum tempo ele não se encontrava com a noiva, o trabalho dela estava tomando boa parte de seu tempo. Não encarar Leah de frente era um alivio e também um mártir, quando eles se encontrassem ela saberia, o relacionamento dos dois não seria mais o mesmo.
Sam era um outro problema, ainda maior ele imaginava, o ex-amigo gostava de provocar e sempre que podia soltava uma coisa aqui, outra lá, deixando Jacob furioso pelo modo como ele se referia a Renesme. E como se isso não fosse o bastante ainda tinha a briga com Edward. O dia da festa foi o ponto final da amizade de ambos, para Edward é claro, Jacob considerava muito o amigo e não iria desistir de confrontá-lo.
(...)
Um mês, há um mês Isabella havia deixado de viver. Sua vida se resumia a higiene pessoal e restos de comida na geladeira. O sentimento de raiva era tão grande que a impedia de ver o resto a sua volta, para ela agora só importava uma coisa, encontrar meios de se vingar daqueles que denegriram sua imagem de uma forme que nem seu pai fora capaz de fazer. Um por um , todos pagariam pela exposição, por transformarem seu coração em uma pedra fria e sem vida, por terem brincado com sua pessoa e sua índole.
Os telefones do homem que a apresentara a este inferno eram recusados e ela apenas lamentava de seu compadecimento. Carlisle pagava suas contas e lhe permitia ter a vida de merda que mantinha. Seu organismo agora trocava a noite pelo dia e o sono era quase ausente, não havia paz em seus sonhos e por isso ela se recusava a dormir. Zapear na frente da televisão de seu quarto se tornara mais um ponto em chamas de seu ódio, a cada noticiário, mais o seu nome era ligado a imagem de puta de boate. Sua vida se tornara um pesadelo e muitos pagariam por isso.
(...)
Jacob ignorou todos os protestos e negativas de Edward e resolveu que hoje bateria de frente com o mesmo. Entrou no prédio onde Edward trabalhava e ignorou os protestos da secretaria de Carlisle entrando, sem bater, na sala de Edward.
–- Edward! Jacob disse olhando o amigo depois de um mês — Como você esta?
–- O que faz aqui seu traído? Edward olhou de forma fria para o homem a sua frente
–-Edward, eu não te trair! Jacob disse tentando se defender
–- Você sabia de tudo e não disse nada! Ele cuspiu as palavras para amigo — Já deu uma olhada no jornal, viu em que inferno minha campanha se tornou. Você poderia ter me alertado. Eu iria me casar com uma vadia!
–- Edward você não sabe o que esta dizendo. Isabella não é uma vadia, você esta cometendo um grande erro!
–- Erro seria me casar com ela, isso seria um erro! Edward disse empurrando amigo — Fique longe de mim seu traidor, não e mais meu amigo!
Edward saiu da sala deixando Jacob de boca aberta. O amigo sofria e isto estava evidente em seu rosto e em suas palavras, ele o conhecia melhor do que ninguém e reconhecia as atitudes de criança mimada e regredida de Edward. Isabella teve seu tempo e mediu as conseqüências sem realmente pesar o poder de seus inimigos, agora tudo estava perdido para ambos.
Jacob caminhou para a sala de Carlisle e ambos tiveram uma conversa rápida sobre os progressos de Renesme quanto ao tratamento. Isabella não foi citada por ambos, a exposição de alguns fatos poderia prejudicar ainda mais a ambos e aquele não era um local seguro para esta conversa.
(...)
Aro Volturi, conhecido por vários empresários famoso por trabalha na areia do prazer humanos, mantinha um numero grande de clubes noturnos e boates. Toda sua fortuna vinha da exploração de mulheres para classe alta, os menos favorecidos não poderiam lhe proporcionar tamanho luxo pagando 100 reais por um programa, com as pecas que tinha o valor recebia muitos e muitos zeros a mais na soma.
Seu mais bem sucedido empreendimento é a casa “ Tua tentação “, em seu cardápio haviam mulheres lindas de todas as raças, cultas e bem educadas para servir a homens como acompanhantes em eventos públicos e privados fornecendo a eles tudo o que fosse solicitado. Nem todas as mulheres da casa eram prostitutas de luxa, mas com o tempo todas acabavam cedendo ao dinheiro fácil e luxo.
–- Chefe! Felix chamou ao adentra na sala de Aro — Tem uma pessoa querendo falar com você!
–-Eu já disse que não quero falar com ninguém! Aro disse com firmeza
–- Acredito que comigo queira falar! Isabella invadiu sala de Aro deixando Felix para trás.
–-Saia Felix, me deixe sozinho! Ele disse dando sorriso doce para Isabella.
Felix saiu deixando Isabella sozinha com Aro, pela cara de felicidade de Aro ele imaginava que a vida de princezinha vivendo em um conto de fadas havia acabado e que a realidade a chamou de volta.
–- A que devo a honra Isabella? Aro pergunto com certa ironia.
–- Sabe que não sou de rodeio! Isabella disse sentando na cadeira do frente do homem — Quero fazer um negocio com você!
Aro seria o caminho mais rápido para seus planos e com a forma certa de conduzi-lo, teria um aliado a seu lado.
–- Se veio pedir para voltar, veio tarde. Já tenho outra em seu lugar! Aro provocou, queria ver a jovem rastejar.
Isabella sorriu de forma debochada, ridicularizar o homem que a ajudaria não era certo, mas era o caminho mais rápido, seu orgulho era tudo.
–- Do que esta rindo? Ele quis saber
–- De você e sua arrogância! Isabella disse e isso fez o homem bufar de raiva e fechar os punhos sobre a mesa — Você gosta de dinheiro Aro e eu quero vingança.
Aro olhou atentamente para menina que tinha brilho estranho nos olhos, ele sabia que poderia tira proveito da situação.
–- Quero trabalha pra você! Ela disse olhando homem que fez sinal para ela continua — Não sou nenhuma puta de esquina e não vou me tornar puta sua. – falou com convicção.
–- Se não será uma puta em uma de minhas casas por que a teria de volta?. Você é ardilosa garota, pode me causar problemas. Aro zombou
–- Não sou qualquer uma e você sabe muito bem disso. Fui sua melhor dançarina e duvido que tenha posto alguém em meu lugar. Posso seduzir qualquer homem, posso pedir qualquer valor. Sou sua mina de ouro Aro. Vai me deixar sair por aquela porta sem uma resposta positiva?
–- Diga sua proposta! Aro disse
–- Vou dança pra você nessa boate, apenas dança! Isabella deixo claro-- Todos querem ver a assessora do governador rodopiando em um poste e isso será sua forma de chamar atenção de homens bem relacionados. Apenas dançarei para eles, deixarei suas mentes turvas e fáceis de manipular. Apenas dançar aro, que fique bem claro.
Aro analisou atentamente a proposta, Isabella tinha razão, seu nome estava em todos os noticiários a mais de um mês. Muitos homens pagariam o valor solicitado só pro uma dança partícula, ela ainda valeria mais como dama de companhia. Nunca pensou que iria concorda com menina a sua frente, mas a proposta feita por Isabella estava lhe cheirando a dinheiro fácil e muito prestigio.
–- Eu aceito Isabella! Aro disse estendendo ao mão para jovem aperta.
–- Calminha ai Aro! Isabella disse tirando da bolsa um contrato e entregando a ele — Acho bom você ler com atenção, algumas clausulas não podem ser alteradas.
–- Você esta me saindo mais esperta do que esperava! Aro disse dando sorriso sínico — Gosto disso em você!
Isabella saiu da sala com o contrato assinado e sua vingança iniciada. Um pequeno diário preto tinha sido ticado, o primeiro passo foi dado e agora uma lista de nomes seria riscada. Não importava o tempo, todos seriam riscados de sua lista com tinta vermelha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário