Jul M

Oi

quarta-feira, 18 de julho de 2012

A prostituta capitulo 7-- Voce matou meu coracao

Você matou meu coração!

Pov narrativa

Edward pegou uma das mãos de Isabella e lhe deu um beijo casto
–- Isabella Mary Swan , aceita se casar comigo?
(...)

A alegria ainda estava estampada nos olhos de Isabella, mesmo o pedido a pegando de surpresa e sendo inesperado pelo tempo de relacionamento, ela já amava Edward e se imaginava casada com ele. A noite passada foi a mais importante de sua vida, nem mesmo quando ganhou a bolsa de estudos para o curso de jornalismos em Londres sentiu-se tão feliz quando naquele momento. Sua vida finalmente tinha ganhado as formas de seu sonho, sua irmã estava se tratando e logo voltaria a estudar, seu trabalho lhe permitira usar dos conhecimentos adquiridos na faculdade e sua família estava livre das garras de Aro.

Edward havia lhe pedido em casamento e finalizado com chave de ouro sua noite, já deitada na cama conter o sorriso era impossível, o anel de diamante reluzia com o brilho da lua sobre seu dedo lhe lembrando a cada segundo que tudo era possível, mesmo quando a vida lhe dava pedras e muitos caminhos sinuosos, ela sempre lhe daria a direção a algo bom.

Isabella olhou para o anel e não conseguia acreditar na verdade de seu significado, estava noiva do homem que inicialmente julgou como mimado e irresponsável e hoje, conhecendo as outras facetas de Edward, o tinha como um homem generoso e de ótimo caráter, carinhoso e receoso em expor isso ao mundo por traumas antigos que ela não julgaria. Edward não passava de um menino assustado com medo de ser ferido, perder novamente alguém que amasse.

Foi difícil para Edward abri assim seu coração e deixar alguém conhecer suas dores e remorsos, Isabella nunca fora como às outras, nunca esperou nada dele ou se aproveitado de seu posto e sobrenome para se destacar. Com ela o relacionamento era simples, a comunicação entre eles era fácil e agradável.

–- Você fica ainda mais linda quando esta assim, nua em meus braços! Edward disse beijando seu ombro nu — O que se passa nessa cabeçinha?

Isabella sorriu e se virou na cama ficando de frente a Edward, os olhos de ambos cheios de desejo e amor.

–- No quanto sou feliz e grata por este momento! disse beijando seus lábios — Você me fez mulher mais feliz do mundo!

Edward sorriu ao ouvir suas palavras, podia absorver toda a verdade em suas palavras, sua confiança naquela mulher era cega.

–- Você também me faz muito feliz! Os braços de Edward puxaram Isabella pela cintura enquanto os lábios de ambos se tocavam com ardor.

(...)

Isabella programou toda a agenda de Edward para que tivessem a tarde livre. Edward discursou no senado e fez algumas aparições públicas. As reuniões com outros candidatos e patrocinadores de sua campanha chegaram ao fim as 13h.

–- Vamos aproveitar o horário e ir almoçar? Edward perguntou já caminhando em direção ao carro.

–- Claro, mais depois vou visita minha irmã! Isabella estava empolgada para contar as novidades para a irmã pessoalmente — Ou você precisaria de mim a tarde?

Edward sorriu e abri a porta do carro para Isabella, entrando em seguida se colocando a seu lado. O motorista os levaria ao restaurante de costume. Edward gostava de aproveitar cada segundo ao lado de sua noiva e o carro era o local onde mais ficavam juntos. Assim que chegaram ao restaurante o metrê já os conduziu a uma mesa afastada entregando-lhe o cardápio do dia, logo o garçom viria para pegar os pedidos.

–- Por que não esta usado anel que lhe dei? Edward perguntou assim que noto Isabella sem o anel em seu dedo.

–-Desculpe – falou envergonhada – Achei que o anel poderia provocar comentários desnecessário no momento. – Isabella sentiu o rosto quente— Já foi difícil comunicar o namoro à imprensa sem causar muito alvoroço, imagina o noivado em tão pouco tempo.

Isabella tinha razão, à noticia do namoro do futuro governado com sua mais nova assessora virou noticia de primeira pagina e muitos falavam que foi uma forma de golpe de publicidade para atingir a classe média. Todos buscavam por detalhes sobre o relacionamento, já que o futuro governador vivia desfilando em eventos com diferentes mulheres. Diversos paparazzi buscaram por informacoes e acabaram expondo a vida da irmã de Isabella, a imagem de Edward ficou abalada por seu envolvimento com uma mulher de família desestruturada e com problemas de vicio em drogas. Para defender a irmã e não prejudicar a imagem publica de Edward, Isabella foi obrigada a dar uma declaração publica.

–- Ok, mas teremos resolver isso logo! Não gosto nada do modo como alguns candidatos olham pra você, principalmente o James Bloom.

–- Não se preocupe com isso, não tenho olhos para nenhum outro homem. Nunca faria nada para prejudicar nosso relacionamento, não vale a pena. Eu te amo muito.

–- Eu confio em você Isabella, o que me deixa louco são estes que não respeitam uma mulher comprometida. Eles a olham como se você fosse um pedaço de carne.

Isabella gargalhou e quando foi abri a boca para falar algo o garçom chegou com os pedidos, a resposta foi esquecida e o assunto da conversa mudou para algo mais ameno. Ao final da refeição Isabella retirou da bolsa o anel e o colocou no dedo, local de onde nunca deveria ter saído.

–- Feliz agora Sr. Cullen! Havia ironia em suas palavras, uma forma suave de provocá-lo.

–- Muito bom! Assim todos saberão que tem dono!

Isabella revirou os olhos e fez menção de levanta e dar-lhe um beijo quando uma sobra cobriu suas costas. Edward arregalou os olhos para a figura atrás de mim e tentou disfarçar se mantendo serio.

–- Edward! Querido quanto tempo! A voz, poucas vezes ouvida por Isabella, era conhecida—Quando vamos nos ver novamente!

–- No dia em que piranhas voarem! Isabella disse empurrando a cadeira e fazendo o pé da mesma bater na perna da miss NY— Podemos ir Edward?

Rose tinha um olhar de ódio para Isabella e estreitou ainda mais os olhos ao ver o grande anel de noivado em seu dedo. Era possível ver faíscas saindo de seus olhos e o inflar das narinas de pura raiva.

–- Vai se casar Isabella. Pensei que estava namorando com Edward?

–- Minha vida partícula não te diz respeito Rose! Isabella respondeu ríspida e foi seguida por Edward que apenas deixou sobre a mesa o pagamento pela refeição.

–- Já que esta solteiro novamente Ed, podemos sair, o que acha?

–- Se não percebeu Rose, estou ao lado de minha noiva e futura mulher.

–-Você mal a conhece!

–-Conheço o necessário. - Edward segurou a mão da noiva e caminhou para fora do restaurante, queria evita um novo escândalo publico.

–- Isabella! Rose chamou, Isabella se virou por educação e curiosidade— não sua hora vai chega e sua queda será grande minha querida!

Isabella sentiu vontade de soca a cara da loira, o aperto forte de Edward em sua mão a impediu de agir de forma irracional.

(...)

Edward deixou Isabella no hospital, combinaram de se encontrar a noite em sua casa. Edward percebeu que as palavras de Rose afetaram Isabella e deixou o assunto para ser discutido em outro momento. Isabella acreditou ter disfarçado bem a preocupação na frente de Edward, as palavras de Roselie Halle não saiam de sua cabeça. O que aquela loira maldita queria dizer com aquilo?

Já no hospital Isabella caminhou de forma nervosa em direção a recepção, a recepcionista a olhou aguardando informações.

–- Gostaria de visitar minha irmã! O nome dela e Renesme Swan!

–- Oh sim, a menina Swan! A atendente disse sorrindo — O doutor Black deseja falar com senhorita antes!

–- Minha irmã esta dando problemas? Isabella perguntou.

–- Senhorita Swan! Isabella olhou para o corredor e logo avistou o Dr. Black – Podemos conversar por alguns minutos?

Isabella seguiu o médico em direção a sua sala, ambos se sentaram e era notável o nervosismo de Isabella.

–- Há algum problema com minha irmã?

–- Fique calma, Renesme esta bem! - Isabella sentiu o frio percorrer sua espinha quando ouviu a forma carinhosa que o médico chamou sua irmã - Preciso apenas lhe informar sobre o que esta ocorrendo com ela em relação ao tratamento e também sobre alguns aspectos pessoais.

–- Do que você esta falando? Isabella perguntou ainda com medo do que sairia dessa conversa.

–- Eu conhecia sua irmã! Jacob disse e Isabella ficou pálida— Tinha acabado de me formar e meus companheiros de faculdade decidiram por uma festa em uma casa masculina.

Isabella sentiu vontade vomita só de imagina que tipo de casa seria esta e a forma como ele conhecerá sua irmã.

–- Meus amigos, Sam, Jasper, Emmett e Edward, falaram com o responsável pela casa para que eu pudesse ter algo especial para a noite. Ele ofereceu a eles uma jovem nova na casa. Bella, eu não sei dizer com quem eles falaram, mas quando entrei no quarto selecionado eu encontrei sua irmã.

Isabella levou as mãos aos cabelos nervosa, levantou-se apressadamente da cadeira a fazendo cair no chão e provocar um som alto, os passos rápidos de um lado ao outro estavam deixando Jacob nervoso.

–- Como pode? Não notou que ela era menor de idade? Mesmo assim, por capricho, abusou dela?

–- Não foi bem assim Isabella. – Jacob a ouviu bufar e continuou a falar para esclarecer as coisas -
–- Eu não sou nenhum monstro, se é isso que esta pensando! Jacob disse em tom mais alto — Renesme se apresentou como Nessie e estava nitidamente assustada, conversamos e ela chorou em meus braços contando parte de sua historia. Quando ela se acalmou me pediu para iniciá-la. Se não fosse comigo seria com outro Isabella, e lhe juro que fui muito cuidadoso com ela, a tratei como toda mulher merece ser tratada.

–- Você destruiu minha irmã! Isabella disse com raiva socando a mesa de Jacob.

–- Isabella se acalme ou paramos esta conversa por aqui! Sua irmã estava em um bordel, este era seu trabalho. Não a forcei a nada. Fui gentil, carinhoso e a tratei com muito carinho. Não havia mais o que fazer!

–- Claro que havia, poderia a tornar sua exclusiva!

–- EU VOLTEI. EU A QUERIA PARA MIM – ele gritou – Quando a procurei ela não estava mais lá! Sua irmã foi especial para mim, senti um grande carinho por ela assim que a vi. Queria tê-la para mim, mas quando voltei fui informado que ela havia mudado de casa. Não sabia como procurá-la.

Isabella se acalmou deixando o corpo cair mole no chão próximo à porta. O rosto dos dois era de dor e infelicidade por esta situação.

–- Falei com o cafetão do local, ele disse que ela não trabalhava mais para ele e não sabia onde estava agora. - Isabella tremeu ao ouvir falar no cafetão.

–- Na época, Sam me disse que seria impossível achar uma garota com ela! Jacob disse ainda perdido em seu pensamento.

–- Sam? Sam Uley? Isabella perguntou

–- Você o conhece? - Jacob perguntou surpreso ao ver que Isabella se levantar em um salto e o olhar assustada.

–- Foi este maldito que destruiu minha irmã, ele que a fez beber e entrar nas drogas, ele que deixou seu corpo marcado...! Isabella disse ríspida.

–- Era o Sam! Jacob disse surpreso.

–- O idiota do seu amiguinho não presta. O infeliz ainda trabalha na área de saúde. – Isabella se alterou novamente.

Jacob levantou bufando, todas as palavras de Nessie ainda estavam em sua cabeça. Jacob seguiu para uma porta lateral de sua sala e, sem nem mesmo bater, adentrou o local com fúria sendo seguido por Isabella.

–- Jacob enlouqueceu! Sam disse devido ao susto que levou.

–- Seu porco filho da puto. Como pode! Jacob falou fechado as mãos em punhos.

–- Do que você esta falando? Sam perguntou vendo a ira do amigo nos olhos.

–- Você me ouviu falar de Nessie durantes meses! - Jacob falou alto — Cretino filho da puta. – o primeiro soco veio forte deixando Sam atordoado sobre a cadeira - Você me viu sofrer, me viu sem rumo e mesmo assim não se deu ao trabalho de me dizer que a conhecia, que a fazia dela seu brinquedo particular. – Mais um soco veio forte fazendo a cadeira de Sam bater na parede assim como sua cabeça, os lábios já sangravam.

Sam olhou Isabella atrás de Jacob e logo deduziu do que ele falava. Olhou para Jacob e deu seu melhor sorriso sínico.

–- Como é saber que perdeu! Sam provocou-- Eu tirei de você o que você mais queria Jacob Black. Você sempre se achou o melhor em tudo, sempre foi o mais querido, o que chamava a atenção de todas as mulheres... como é saber que perdeu sua vadiazinha para mim. Saber que as orgias em que eu estava, ela também estava?
–- Ora seu ..

Jacob foi pra cima de Sam, vários socado foram desferidos sobre Sam enquanto ele praticamente gargalhava da situação.

–- Não! Isabella segurou o braço de Jacob impedindo que ele leva-se Sam a um coma.

–- Não vale a apena! Isabella disse – Você pode prejudicar sua carreira.

–- Olha só, a outra puta também fala! Sam disse para Isabella — Você foi mais esperta que sua irmã, conseguiu pegar um peixe grande heim? O trouxa do governado já sabe do seu passado? Aposto que ele vai adora saber que a namoradinha não passa de uma puta de bordel.

–- CALA A MALDITA DESSA BOCA! Jacob gritou

–- Você não vale o ar que respira Sam! Isabella disse— Não merece o que tem.

–- Ah, vá para o inferno sua puta! disse passando a mão pelo rosto afastando o sangue que escorria. - E você Jacob, sabia que sua putinha é ótima de cama, fode como ninguém, pode aproveita ela agora, já ensinei tudo que ela sabe e a deixei mais larguinha em todos os buracos.

–-FILHO DA PUTA! Jacob grito e partiu pra cima dele de novo.

Com a ajuda de alguns enfermeiros, foi possível separa Sam e Jacob, ambos foram advertidos pela direção do hospital e suspensos de suas atividades por má conduta. Isabella esperou Jacob sair da sala do diretor, estava tão nervosa que não seria viável visitar sua irmã.

–- Jacob! Isabella o chamou —Eu preciso falar com você!

–- Se é sobre seu passado, não se preocupe, já sei de tudo. Sua irmã me falou! - Ele disse dando um sorriso fraco— Não posso acredita que me enganei tanto com Sam, como pude confiar em alguém com a índole dele e nem ao menos perceber isso.

–- As pessoas se enganam! Isabella disse—Não comente nada com Edward, sei que são amigos e ele admira muito você, mas desejo eu mesmo falar com ele sobre meu passado.

–- Claro! Só não demore, você tem muito inimigos e acredito que Sam seja mais um.

–- Só vou esperar alguns dias! Edward tem alguns discursos importantes por esses dias, quero que ele se concentre nisso e depois será primeira coisa que contarei.

–- Tudo bem! Jacob disse dando beijo em sua testa— Desculpe minha grosseria com você, achei que você era culpada por tudo na vida de Nessie. - Isabella deu sorriso fraco — Cuidarei dela Isabella, como cuidaria da minha própria vida!

–- Obrigado Jacob! Diga a ela que volto amanha, não estou com cabeça hoje!

(...)

Os dias passaram e o grande discurso que Isabella havia comentado com Jacob chegou. Edward deu um show naquele palanque defendendo o direito da população em relação a educação, saúde e moradia, no debate proposto, seu adversário James Bloom, ficou sem respostas para diversas perguntas feitas sobre a cidade e perdeu muitos pontos com o eleitorado. Carlisle nunca sentira tanto orgulho do filho como sentira agora. Isabella realmente era o que Edward precisava, ele não estava errado quando colocou a jovem para ser sua adorável assessora. Isabella impôs juízo ao homem que mantinha sua postura adolescente.
Carlisle ficou satisfeito ao saber do noivado é propostos um jantar intimo em sua residência para a comemoração. Isabella resolveu ousar e, para a ocasião, escolheu um vestido longo em azul Royal e preto, um grande fenda na parte lateral abaixo da cintura lhe dava um ar sexy e os saltos finos e pretos completavam o visual. Edward ficou perfeito a seu lado vestindo um terno de alfaiataria preto e camisa azul. A felicidade dos dois contagiava a todos.

Por alguns momentos o casal circulou separado e foi então que Rosalie e Tania aproveitaram para dar a cartada final a toda esta felicidade. Isabella viu quando as duas se aproximaram de Edward, uma delas comentou algo próximo a seu ouvido o deixando tenso, a outra continuou e as feições do rosto de Edward se transformaram completamente.

Isabela pediu licença as pessoas que estavam a sua volta e seguiu o trio a uma parte reservada da casa. algumas pequenas conversas paralelas a atrasaram e quando finalmente alcançou o corredor pode ouvir os gritos de Edward, ele estava transtornado.

–- ISSO É MENTIRA! - Isabella adentrou a sala da biblioteca para verificar o que estava ocorrendo entre eles.

–- Não é mentira Edward. Se não acredita em nós, pergunte a esta ai. – Tania apontou para a porta onde estava Isabella –

–- O que esta acontecendo? Isabella perguntou entrando na sala

–- Nada querida, apenas contamos para o seu noivo sobre sua real profissão. Avisei que seu tombo seria grande! Rose riu seguida por Tania.

–- Edward!

–- Apenas me diga que é mentira Isabella. ME DIZ QUE TUDO O QUE ELAS DISSERAM É MENTIRA.

–- Não sei o que elas disseram! Isabella disse —

–- Acredito que imagens sejam melhor que palavras neste caso queridinha! Rose disse entregando o celular pra Edward.

Edward assistia ao vídeo e seu rosto se transformava cada vez mais em ódio, a vontade dele era mata as duas loira. Ele jogou celular da loira contra parede.

–- VOCE NÃO PASSA DE UMA VADIA! Edward gritou— O que pensava Isabella? ME DIZ!

–- Edward você esta descontrolado! Isabella disse com medo do que jovem podia fazer.

–- Agora que já saber a verdade! Rose disse rindo—Vamos Tânia, acho que ambos precisam de um tempo para esclarecer as coisas.

As duas gargalhavam ao sair da sala, Isabella nunca sentiu tanto ódio como sentia agora, mais tinha tanta raiva das duas que seria capaz de mata-las com as próprias mãos.

–- Não se deixem levar por tanta alegria! Foi tudo que Isabella disse para duas antes que fechassem a porta.

–- Edward, eu posso explica tudo! Ela disse

–-- Tudo o que? Ele disse com pouco de mais calma—Que você não passa de puta, que deitou-se com sabe se lá quantos e quem sabe até meu pai já foi seu cliente não é mesmo. A primeira impressão que tive de você era a que realmente descrevia sua pessoa. Como pude me enganar tanto?

–- NÃO JULGUE ANTES DE CONHECER TODA A HISTORIA. – Isabella gritou.

– O que? Tem mais? Vai me dizer que você não tinha condições e por isso entrou nesta vida. Que mudou ao me conhecer e que me ama de verdade? Conheco bem mulheres como você. Seu plano estava quase funcionando não é mesmo?

–- Eu não era uma puta! Eu apenas dançava nesta boate! Isabella disse travando maxilar.

–- DANÇA IGUAL A UMA VADIA! Ele gritou— Quero você fora da minha casa! Ele disse sem olha para ele— você foi a pior de todas Isabella, qual era seu plano. Engravidar e viver de uma pensão absurda?

O tapa acertou em cheio o rosto de Edward fez a mão de Isabella arder. O golpe inesperado fez com que Edward a olhasse pela primeira vez desde que vira as imagens no celular de Rosalie.

–- Você não tem o direito de falar assim de mim! Isabella disse e lagrimas já rolavam em seu rosto—não sei e nem quero saber o que aquelas duas vaca disseram para você, você provou para mim que não passa de uma criança mimada, você não vale nada. Vou usar as mesmas palavras que usou a poucos minutos, “como pude me enganar tanto “.

–- Quer falar de valores Isabella! Ele disse com sarcasmo — Você que subia em palco e ficava dançando semi nua feito uma vagabunda qualquer.

–- Você não saber os motivos que me levaram a fazer isso! Ela gritou— Você, seu filho da puta mimado, nunca precisou fazer nada contra sua vontade, não viveu o mundo lá fora. Não me julgue se não pode se colocar em meu lugar e entender os meus motivos.

Edward olhou estático para menina, Isabella tinha razão, ele não dera a ela chances de se explicar.

–- Me julga como se eu fosse uma meretriz. Saiba que meu atos são justificados. - seu rosto estava molhado pela lagrimas- Você não sabe o que é se sacrifica por alguém, não sabe o que é não ter escolhas. Seu pai sempre esteve lá para limpar as merdas que você fazia e passar a mão em sua cabeça. Saiba que isso não funciona para todos, nem sempre as coisas são tão cor de rosa. Não tenho vergonha do que fiz, salvei a vida de uma pessoa que para mim e importante. Pode me julgar por ter sido uma dançarina de bordel, mas nunca me chame de puta, nenhum homem pagou para dormir comigo. EU NÃO ME VENDO.

–- SALVOU UMA VIDA? Edward disse aos gritos— faça-me rir Isabella, agora este é o motivo de mulheres entrarem neste mundo de vida fácil?

Outro tapa foi dado em seu rosto e a fúria lhe subiu nos olhos.

–- Você não vale nada Edward! incrível com e fácil para você esquecer as palavras doce que me dizia e os motivos para dizê-las. Agora não passo de uma vagabunda que ganhava a vida de forma fácil? Ontem eu era a mulher da sua vida.

–- Ontem eu não sabia nada sobre você e acredito ainda não saber! Suas feições eram apáticas — Você matou tudo o que um dia cheguei a sentir por você.

–- Você continuara sem saber nada sobre mim Edward, por um simples capricho seu. Por não ter me dado a oportunidade.

–- Iirônico como seu amor se perde pelas palavras de pessoas falsas que você conhece a tanto tempo! Acho que você nunca me amou Edward, o amor verdadeiro consegue ver através da alma de uma pessoa e reconhecer a verdade.

–- Não posso muda sua forma de agir, mas você se arrependera de cada palavras que foi dita, você não merece nem mesmo que eu tente lhe explique meus motivos. Não tive o direito de defesa e não vou me preocupar com isso, sairei da sua vida sem lhe causar danos, mesmo com o coração sangrando eu acredito na pessoa que conheci neste pouco tempo de convivência e espero que ela não se perca no mar de falsidade que você vivará.

Edward nada disse e nem ao menos se virou para olhar o rosto manchado de lagrimas e pálido de Isabella. O anel de noivado foi deixado sobre o aparador e o rosto limpo com as costas da mão. Ao sair da lada deixando seu coração para trás esbarrou em Jacob.

–- Desculpe! Isabella sussurrou-

–- Meu deus Bella, o que aconteceu? Jacob perguntou levantando seu rosto.

–- Ele descobriu antes que eu pudesse contar.- Ela disse chorando e sendo abraçada pelo agora amigo.

–- Explicou a ele os seus motivos? Jacob questionou

–- Não tive chances. Para ele não passo de uma Puta. Rosalie e Tania conseguiram o que queriam.

–- Esta tudo acabado Jacob! Ela disse se afastando dele e saindo pelos fundos da casa sem chamar a atenção de ninguém.

Jacob entrou na sala onde encontrou o amigo perdido em pensamentos ainda voltado para a parede.

–- Saia daqui! Edward disse.

–- Só vim lhe dar um conselho de amigo Edward. Deveria ter ouvido o que ela tinha a dizer! Jacob disse e Edward se virou para ele.

–- Você sabia? Edward acusou—E não me disse nada, que tipo de amigo é você Jacob Black.

–- Seu melhor amigo! Ele disse caminhado para porta—Não vou conversa com você agora, mais você acabou de joga fora a única mulher que te amo de verdade. Pena que agora não tem mais volta.

–- Volte aqui seu covarde, vamos conversa agora!

–- Amanha. Quando estiver mais calmo conversaremos ! ele disse—E saberá que fez uma grande burrada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário