Jul M

Oi

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

O Casamento -- Capitulo 38 -- COM PROBLEMAS!


COM PROBLEMAS!

Isabella poderia ter optado em ir embora, dar uma desculpa e sair, afinal seu chefe não estava, mas não! Ela ficou até o final de seu expediente. Antes de voltar para casa ela foi até a sala de Carlisle conversar com ele, o assunto foi tratado em forma de segredo, nada do que ela falou com ele poderia sair daquela sala e pela cara de Carlisle não sairia, especialmente devido aos argumentos utilizados por Isabella. Ela chegou a sua casa em companhia de Tyler, ele fora buscá-la na saída da empresa, seguindo ordens expressas de Edward.
-- Mamãe! Tony correu para ela.
-- Oi meu amor! - Ela disse dando um beijo no rosto do pequeno — Como foi seu dia?
-- Foi ótimo mamãe! Ele disse sorrindo radiante.
-- Que bom meu amor! Ela bagunçou seu cabelo — Agora vamos tomar banho para depois jantarmos!
-- Claro, Mamãe!
...
O jantar daquela noite foi calmo e ameno, Bella colocou Anthony para dormir antes do previsto, primeiro porque Anthony estava casando e adormeceu no sofá, segundo ela esperaria seu doce marido chegar, pois a noite prometia e muito... Seria ótimo e Edward teria uma grande surpresa, mas Isabella acabou adormecendo antes do previsto e quando despertou estava na cama com Edward deitado ao seu lado dormindo tranquilamente como se fosse um anjo. Ela suspirou e olhou para o relógio digital que estava ao lado da cama sobre o criado mudo -03:40 - da madrugada, não tinha como discutir com ele, ainda mais que ele estava dormindo tão pacificamente. Já era bem tarde, então ela decidiu por um pouco de sensatez, voltou a deitar sua cabeça no travesseiro e dormiu.
O sol entrava pela janela quando Isabella despertou na manhã seguinte, ela virou o corpo na cama e quando deu por si, Anthony estava entre ela e Edward. Uma ruga apareceu em sua testa, e logo ela se perguntava a que horas teria sido que o menino se enfiou em sua cama? Edward ainda dormia profundamente assim como Anthony, ela olhou no relógio já era - 09:50 - da manhã, já estava tarde comparando-se ao horário habitual em que eles costumavam acordar. Bella girou na cama beijando o rostinho do menino adormecido ao seu lado, Anthony resmungou alguma coisa e se mexeu na cama, mas não abriu os olhos.

-- Vamos dorminhoco, está na hora de acordar! Ela disse sorrindo — Mamãe vai te levar ao parque para brincar!

Anthony se remexeu na cama, girou para o lado do pai, colocando uma perna por cima das pernas do pai, gesto que fez Isabella sorrir. Fazendo carinho nos cabelos bagunçados do pequeno, ela saiu da cama deixando ambos dormir mais um pouco. Bella achou melhor ir preparar o café da manhã para eles, já que Sue não trabalhava nos finais de semana.
...
-- Bom dia! - Edward a beijou no pescoço causando um arrepio bom em todo o seu corpo, porém ela ainda sentia raiva — Por que não me chamou? Poderia ter me acordado...
-- Você parecia cansado! Bella tentou manter o tom calmo, mas Edward reconheceu a irritação na voz da esposa.
-- Nós temos que conversar! Ele disse a fazendo virar para ele — Não agora, primeiro vamos tomar café juntos e depois conversaremos!

Edward ajudou Isabella a arrumar a mesa da cozinha, tomariam café lá, como era de costume durante os finais de semana. Anthony desceu as escadas ainda vestido com seu pijama de aviãozinho e coçando os olhos. Ele sorriu ao ver a mãe e sentou-se em frente ao balcão da cozinha.

-- Bom dia meu amor! Ela disse abrindo os braços e Anthony sorriu para ela — Dormiu bem?
-- Sim mamãe! Ela disse dando um beijo estalado na bochecha dela — Dormi em sua cama!
-- Oh! Mamãe viu isso! Ela disse bagunçando mais uma vez os cabelos dele — Você está ficando muito mau acostumado, hein mocinho! – Bella falou dando um sorriso meigo.

Anthony sorriu e corre para o pai o abraçando pelas pernas. Edward sorriu pegando o filho no colo e o enchendo de beijos.

-- Lembrei-me de você! Ele disse sorrindo para o filho — Eu lhe trouxe um presente!
-- Oba! A criança gritou alegremente batendo palmas. Edward o colocou no chão.

Isabella olhava atentamente aquela cena, era impossível não se sentir afetada com algo tão mimoso, porém ela precisava manter sua mente focada e lembra-se que ainda estava muito brava com Edward e que exigiria explicações.
....
Isabella olhou confusa para a pequena mala que estava na sala, ela sabia que era de Anthony, mas não sabia o porquê de estar ali. O menino estava todo arrumado e Tyler estava levando as malas para o carro.

-- O que está acontecendo? Isabella perguntou.
-- Anthony vai viajar!
-- Como Edward? Anthony ainda não está de férias da Escola!
-- Meu pai está indo para Orlando passar alguns dias lá e acho que isso vai fazer bem para o Anthony. Ele nunca viajou com o avô, Bella, e, meu pai tem casa lá. Acho que você lembra muito bem dela, não é?

Claro que Isabella lembrava, foi lá que eles passaram sua lua de mel. Local onde teve alguns momentos de magia e outras de pesadelo. Não foi a lua de mel dos sonhos de Bella, mas ela não tinha apenas lembranças ruins daquele lugar. Naquela época Edward era frio e sem coração, agora ele conseguia até demonstrar um pouco de sentimentos.

-- Por que não me disse nada antes? Ela perguntou ofendida.
-- Meu pai me ligou enquanto eu ainda estava na Florida Bella! Ele justificou.
-- Você não respondeu a nenhuma de minhas mensagens! Ela o acusou magoada.
-- Mamãe! Anthony correu se jogando nos braços dela — Eu vou trazer um presente grandão para a senhora quando eu voltar! Ele disse a beijando no rosto carinhosamente — Vai ver, será lindão!

Ela sorriu, não queria demonstrar sua irritação para o menino. Edward conseguira levá-la ao limite de sua paciência com aquela atitude.

-- Mamãe vai esperar! Ela disse dando um sorriso sincero e abarcando o filho — Por favor, se comporte e não faça travessuras!

Bella não estava gostando muito da ideia de Anthony viajar, mas ela sabia que Esme estaria por perto e que Carlisle também não deixaria nada acontecer ao menino, o problema não era este, mas o fato de não ter sido consultada nem mesmo avisada da viajem repentina.
....
Eles foram até ao aeroporto juntamente com Carlisle e Esme, fora uma despedida até bem animada, tirando o fato de que Isabella não conseguiu controlar as lágrimas ao ver seu pequenino embarcando. Ela sabia que ele ficaria fora apenas por duas semanas na companhia dos avos e que ele estaria seguro com eles, mesmo assim, ela já sentia saudades do pimpolho. Bella voltou para casa com Edward, já era quase duas horas da tarde quando retornaram e agora era apenas ele dois e os problemas...

-- A matéria do jornal! Ele começou passando as mãos pelos cabelos nervosamente, havia muito que falar, inclusive, coisas que ele não queria falar — É tudo mentira!
-- Vocês estavam juntos! - Ela disse — Eu vi a foto, ela estava com você e por sinal, ela estava muito bonita.
-- Beleza sem alma! Ele disse — E não estávamos juntos — Ele retrucou — Eu estava em uma reunião quando ela chegou com um dos futuros sócios! Edward olhou para Isabella que estava sentada ouvindo atentamente cada explicação que ele dava — Eu a queria longe de mim, mas eles a conheciam, o pai dela é um dos sócios deles Bella. Eu não podia simplesmente expulsá-la da mesa, eu queria muito, mas não podia.
-- Então? Ela olhou para ele para que ele continuasse...
-- Eu tive que aceitar ela em nosso meio!
-- O que aconteceu Edward?
-- Bella.. eu só...
-- O QUE ACONTECEU! Ela gritou — Eu estou cansada Edward, existe um muro entre nós, eu estou cansada disso tudo e deste “esconde, esconde” que você criou, ou você confia em mim ou acabamos com tudo por aqui. Eu estou cansada de ser sempre a última em saber das coisas!

Edward tinha um olhar frio, um olhar que Bella já conhecia, mas a essa altura dos acontecimentos, aquele olhar nem a assustava mais como antigamente.

-- Maggie esteve em meu quarto! Ele disse frio — Ela achou que seria como das outras vezes em que ela conseguia o que queria para depois partir. Eu lhe disse à verdade, que a queria bem longe de mim e para esquecer todo o nosso passado, pois não haveria mais volta.
-- Ela disse que você a amava! Isabella disse lembrando-se das palavras de Maggie.
-- Ela está enganada!
-- Ela tinha certeza que você cederia! Bella disse — Ela disse que você resiste, mas sempre cede!
-- Não é verdade, eu resisti a ela dessa vez! Edward afirmou.
Isabella deu um sorriso tristonho e olhou para ele, seu peito estava doendo...
-- Dessa vez! Ela não vai desistir Edward, ela sabe o que quer e  ela quer você.
-- Eu não serei um fantoche nas mãos dela de novo! - Ele praticamente gritou, sua mandíbula estava fortemente travada e seu olhar era gélido.
-- O que aconteceu Edward? - Bella perguntou mais uma vez — O que ela fez para você ficar assim. Conte-me!
-- Já chega! - Ele rugiu fazendo Isabella se assustar — Eu não quero falar sobre isso, acho que já deixei isso bem claro.
-- Você conhece meu passado por que eu não posso saber o seu? Ela contra argumentou.
-- Porque simplesmente eu não tenho passado! - Ele urrou já indo em direção à escada. Isabella sabia que a conversa havia acabado naquele ponto.
...
Edward passou o dia inteiro no quarto, saindo apenas duas vezes para comer alguma coisa e beber água. Ele falou durante algum tempo ao celular com alguém no momento em que Isabella entrou no quarto apenas para pegar algumas de suas roupas saindo imediatamente em direção ao quarto de Anthony. Ela sabia que existiam outros quartos na casa, mas o de Anthony era seu refugiu, ela por algum motivo se sentia protegida naquela quarto de criança, onde tudo cheira a inocência. E fora lá que ela dormiu durante aquela noite.

-- Bom dia! - Ela disse ao entrar na cozinha, Edward já estava sentando e Sue estava lá arrumando tudo para um delicioso café da manhã.
-- Bom dia senhora!
-- Olá Sue! Ela disse dando um sorriso sincero para a mulher idosa — Por que você está aqui? Sue a olhava confusa e Isabella corou — Quer dizer, você não precisava vir hoje, pois é domingo, sua folga lembra?
-- Eu a chamei! Edward disse seco.

Isabella notou alguns detalhes em Edward, a face dele estava séria e sem expressão, seus lábios estavam contorcidos, seu olhar estava tão frio que ela se arrepiou. Foi só então que a ficha caiu! Ele estava de volta! O velho Edward sombrio e frio estava de volta, o que a deixou em polvorosa no mesmo momento.

-- Deseja café senhora? Sue perguntou.
-- Não! Ela disse quase nem ouvindo sua própria voz, seus olhos ainda estavam em Edward — Estou sem fome Sue.
-- Tudo bem! Ela diz e se retirou.

Isabella ficou parada sem entender nada, apenas encarando Edward que estava lendo um jornal e não lhe olhou nem uma única vez desde que ela entrou na cozinha. Não era um bom sinal! Nunca seria! As lembranças de um Edward sombrio ainda pairavam em sua mente, ele grosso, irritante e debochado.

-- Vai passar o dia todo me olhando?  - Ele perguntou sombriamente.
-- O que está acontecendo? - Ela perguntou com medo de ouvir a resposta.
-- Que eu sabia nada! Ele disse demonstrando seu descaso.

Isabella ficou atenta a cada movimento dele. Ele estava chateado, ela não podia deixar de nota isso, mas por quê? Seria por causa da conversa de ontem? A conversa que ele não terminou apenas a ignorou e partiu para seu “forte”.

-- Está zangado? Ela perguntou com muita cautela.
-- Estou! Ele respondeu.
-- Muito?
-- Sim Isabella muito! Ele disse calmamente mantendo seu tom frio dirigido a ela.
-- O que eu fiz? Ela quis saber.
-- Você me enlouquece com perguntas! Ele disse deixando o jornal de lado — Por que tem ser assim? Você não pode simplesmente aceitar minhas escolhas e ponto!
-- Não! Ela disse – Eu não posso!
-- Não se cansa de ser frustrada em seus intentos? Ele perguntou ficando em pé feito um felino pronto para dar o bote — Às vezes podemos descobrir coisas que não queremos Isabella, você pode não gostar em nada do meu passado.
-- Meu passado não é um dos melhores também! Ela disse em um tom contido, pois estava com medo dele.
-- Eu conheço o seu passado! Ele disse — Sim, ele não é um dos melhores, mas não é um dos piores!
-- Por que diz isso? Ela olhava para ele e sem se dar conta estava a dois passos de Edward, ela estava muito perto dele e ela não gostava nada disso, não naquele momento — Por que falou isso?
-- Talvez eu  não seja o mocinho da história! Ele disse dando seu sorriso torto cheio de sarcasmo – Talvez eu seja o vilão, talvez eu seja aquele que destrói as coisas boas nas pessoas, pense nisso e então saberá quem eu sou.

Edward saiu da cozinha deixando para trás uma Isabella confusa e assustada, o medo que ela sentia dele estava de volta, porque as palavras dele nunca a deixaram tão assustada como ela estava se sentindo naquele instante. Suas pernas tremiam e seu peito voltou a doer, era um mau sinal, ela sabia que isso não seria fácil, mas estava sendo pior, estava no escuro, ela precisa de luz, ela precisa saber, mesmo que isso lhe trouxesse problemas.


Continua...

domingo, 30 de dezembro de 2012

Um Erro E Dois Acertos-- Capitulo 35


Momentos bons!



Os gemidos de Isabella poderiam ser ouvidos pela casa, assim como o ranger da cama que sacudia forte devido as investidas de Edward, o qual admirava sua amada de quatro com aquele pequeno volume. Ela ficava cada dia ainda mais deliciosa. As estocadas eram duras e fortes, sem a menor piedade. Bella jamais deveria tê-lo chamado de covarde e tão pouco ter provocado à fúria do rapaz. Essa já era a terceira vez que eles transavam, sim, transavam porque nem de longe o que faziam era fazer amor. Era sexo selvagem e louco. Isabella estava prestes a gozar pela quarta vez devido à palmada que Edward deu em seu bumbum e a pele branca de sua bunda ganhou uma tonalidade vermelha, ainda mais quando lhe deu outras palmadas deixando a marca de seus dedos marcados em sua carne macia.



– Aaaaaahhhhh! – gritou deixando o corpo cair sobre a cama, pois havia acabado de gozar novamente.

Bastaram apenas mais algumas investidas para Edward gozar loucamente. Ele caiu ao seu lado na cama completamente exausto e saciado por hora. Imediatamente lembrou-se de como a menina ficou quando rasgou sua camisola e a fez sentar no seu pau sem a menor cerimônia Em seu rosto nasceu um sorriso de vitória e ela pensaria duas vezes antes de provocá-lo novamente.

– Seu tirano. – Bella murmurou arfante.

– Achei que eu era um covarde Isabella. – sorriu torto. – Da próxima vez que aumentar o tom de voz para mim ou me arremessar qualquer objeto, não será com sexo que irei castigar você. – ameaçou – Droga! Estou atrasado. – disse assim que se deu conta das horas.

Edward saiu da cama rapidamente e Isabella até poderia sentir medo de sua ameaça, mas ela estava nas nuvens e tão satisfeita que pouco se importou para o que disse, apenas continuou deitada na cama de barriga para cima e com o lençol cobrindo parte de sua cintura. O rapaz teve que tomar novo banho e trocar de roupa, pois a dele estava toda amassada. Quando saiu do banheiro sua garota estava quase adormecendo, mas abriu os olhos assim que sentiu os lábios dele na testa e o suave toque de suas mãos em sua barriga.

– Se comporte. – sorriu para ela – E pare de quebrar as coisas.

A garota sorriu e o acompanhou com olhos até ele sair do quarto para só então dormir tranquilamente.

(...)

O clima na casa dos Cullen melhorou bastante. Isabella andava sorrindo e já nem reclamava do fato de ter tantos seguranças, a sua gravidez transcorria naturalmente e ela nunca havia se sentido tão feliz. Até mesmo o velho rabugento Carlisle já não mais implicava com a nora e sempre que ia até a casa do filho perguntava por ela e conversava a respeito do neto. O nome do menino ainda não havia sido escolhido, mas várias sugestões já tinham surgido. Isabella logo estaria de seis meses e sua barriga já estava bem grande e notável.

– Gosto de Taylor. – Edward disse se juntando a ela na cama.

– Não, é comum demais. – reclamou enquanto comia uma coxa de frango com catchup. Era nojento para Edward, mas a menina se deliciava com a comida. – Você quer? – ofereceu.

– Não, obrigado! – respondeu fazendo cara de nojo.

– Hoje a Marta meu deu um bolo de abacaxi com goiabada. – lambeu os lábios. – Eu estava com tanto desejo que acabei comendo tudo.

– E depois colocará tudo para fora. – disse com ironia.

– Pois é, nem sempre a vida é perfeita. – respondeu irônica também.

– Pelo visto a de vocês está sendo. – afirmou e Isabella limpou a boca e sorriu para ele. – Você está muito linda! – Edward chegou mais perto para beija-la, mas ela saiu correndo para o banheiro – Precisa de ajuda? – perguntou suspirando, pois queria que essa fase de desejo estranho passasse logo.

– Não! – ouviu o barulho da torneira sendo ligada. – Já estou escovando os dentes, mas tire o resto de comida daí porque estou enjoada.

O rapaz revirou os olhos, mas levantou-se e levou todo o resto de comida para fora do quarto. Ele voltou e encontrou a garota já na cama então se deitou e puxou Bella para os seus braços, colando os seus corpos como sempre.

– Hora de dormir. – deu um selinho em Bella. —Você já comeu, vomitou e teve sua diversão de hoje. – ela sorriu ao lembrar que o atacou no chuveiro. – Agora feche os olhos e durma minha linda.

O quarto ficou em silêncio por um bom tempo e Edward até chegou a pensar que Isabella já estava dormindo, pois sua respiração estava calma. Ele sorriu lindamente ao acariciar seu ventre volumoso. Ele seria pai de um menino. Seu peito estava para explodir de tanta alegria, ainda mais porque quem estava lhe proporcionando essa alegria era a jovem Swan, a mulher a quem pediria em casamento logo, logo.

– Domenick. – Bella sussurrou – Eu gosto de Domenick.

Edward levantou a cabeça a fim de olhar para garota e constatou que ela estava mesmo dormindo. Às vezes Bella conversava durante o sono e dessa vez estava escolhendo o nome do filho enquanto dormia. Edward gostou daquele nome e então tomou uma decisão. O jovem herdeiro Cullen já tinha seu nome definido.



(...)

O sexto mês chegou rapidamente e Edward já estava em pânico, pois faltava apenas três meses para Isabella dar a luz. O quarto do bebê estava pronto e muitas coisas foram mudadas na mansão. A escada e a varanda receberam grades de proteção para que a criança não caísse. Edward estava agindo como um pai controlador antes mesmo do bebê ter nascido. Também comprou dois carros grandes para melhor acomodar o filho e todas as suas coisas. Ele deixaria os carros esportivos por um tempo.

– Eu comprei isso. – falou animadamente mostrando um sapatinho verde para Bella.

– Mais um Edward? – ela revirou os olhos – Você tem que parar de comprar tudo o que vê pela frente porque ele vai crescer rápido e a maioria das coisas irão ficar perdidas.

– Se eu posso então darei tudo a ele. – comentou rindo.

– Você já estraga seu filho antes mesmo de nascer. – sorriu e lhe deu um beijo. –Como foi o seu dia?


Depois que Bella descobriu sobre a gravidez nunca se sentiu tão relaxada ao saber que o namorado não tinha mais nenhum tipo de ligação com a máfia, pois agora com um filho em seu ventre conseguia ver os reais risco que eles corriam.

– Confesso que era muito mais divertido meus negócios sujos. – murmurou se livrando da gravata. – Porém estou feliz por não mais fazer parte desse mundo.

– Eu também. – sorriu passando as mãos pela barriga – e seu filho concorda comigo.

Edward não pôde conter o sorriso, ele passou a mão por seu ventre e depois beijou sua barriga volumosa. O rapaz estava muito feliz, principalmente por Isabella já ter passado da fase dos enjoos, agora o único problema era o sono terrível que andava sentindo. Algumas vezes ela trocava o dia pela noite e ainda tinha alguns ataques surpresa. Duas vezes durante aquela semana, a garota acordou Edward com um delicioso sexo oral. Ele chegou a ficar assustador porque ela estava sedenta por sexo. O Cullen estava acompanhado tudo de sua gravidez, ele sabia a hora dela tomar as vitaminas, os dias das consultas, de quantas semanas ela se encontrava, o dia de previsão para o parto e sempre conversava com Laura Ruffo, a nova médica de Isabella.



(...)

– Ela anda sentindo muitas dores nas costas, isso é normal?

Isabella estava morta de vergonha, pois já tinha sete meses e Edward ainda fazia perguntas como: ela pode comer essas comidas gordurosas? É normal ir ao banheiro a cada meia hora? A barriga dela não está muito pequena para alguém que já tem sete meses?

– Sr. Cullen, sua mulher está grávida e é comum sentir essas dores nas costas. Ela só precisa fazer um pouco mais de exercícios físicos, mas todos bem leves. Isabella está fazendo natação ou hidroginástica? Me lembro de já ter recomendado e se vocês tiverem uma piscina em casa ficará bem mais fácil, só precisará encontrar um professor adequado.

– Não! – olhou feio para Isabella que se encolheu na cadeira – Doutora Ruffo eu não tive tempo para arruma um professor para ela e então deixei isso nas mãos da minha mãe, mas pelo que vejo nada foi feito a respeito. – tinha um olhar sério sobre ela. – Irei cuidar disso hoje pessoalmente. Tem que ser apenas isso ou ela pode fazer outros esportes?

– Isabella também pode fazer uma caminhada, pilates, ioga, mas prefiro natação ou hidroginástica porque como você mesmo disse que ela está sentindo dores nas costas, isso a ajudará relaxar os músculos e será ótimo na hora do parto. – sorriu para o casal.

– Então ficaremos com natação e hidroginástica. – Deu um sorriso gentil para a jovem médica.

Bella sabia que estava encrencada porque esqueceu completamente sobre as atividades físicas, mas era difícil pensar em algo quando andava com tanto sono como andava ultimamente.

– Doutora Ruffo! – chamou a atenção da médica novamente e ela já parecia irritada com tantas perguntas. – E em relação ao sexo? Até que mês eu ainda posso ter relação com Bella? – pronunciou descaradamente fazendo a namorada corar e a médica suspirar alto.

A garota não sabia onde enfiar a cara. Edward tinha mesmo que perguntar isso? Agora a médica iria achar que ela era uma depravada e maníaca por sexo.

– Senhor Cullen quanto mais relação tiverem melhor. – sorriu amarelo – Alguns médicos dizem que isso não é bom, mas o bebê está no útero e com uma camada muito bem protegida. Desde que o ato não seja tão violento um sexo baunilha está liberado, só tomem o devido cuidado. Alguns casais mantem relações sexuais até o último mês de gestação e acreditem isso ajuda e muito na hora do parto. –Edward deu um sorriso brilhante de fazer qualquer garota parar de respirar. – Ainda tem mais perguntas? – disse meio esbabacada com o sorriso dele.

– Agora nesse momento não. Você já respondeu todas as minhas dúvidas por hoje. – falou educadamente –  Eu tenho o seu número, posso te ligar caso Bella sinta algo estranho?

– Deve! – concordou enquanto repassava a receita de Isabella. – Qualquer coisa é só me ligar senhor Cullen.

– Obrigado doutora Ruffo. – levantou-se e Isabella fez o mesmo. – Nos vemos o mês que vem.

– Ok! – sorriu. – Isabella se cuide, por favor.

 – Claro. – sorriu de volta.

Com Edward todo preocupado com toda certeza ela se cuidaria, nem que fosse obrigada por ele.

Continua..

sábado, 29 de dezembro de 2012

O Casamento-- Capitulo 37-- Um Pouco De Mim!


UM POUCO DE MIM!

Edward ainda encontrava-se trancado dentro do escritório, ele estava lá desde o momento em que Isabella lhe dissera que Maggie estivera na festa e que falara com ela. Ele não sabia sobre o que teria sido a conversa entre Isabella e Maggie, mas ficou feliz em saber que nada aconteceu a Isabella, pois Maggie não era alguém confiável. Já havia anoitecido quando ele saiu do escritório, Isabella inclusive, já tinha colocado Anthony na cama e estava descendo as escadas para ir falar com ele.

-- Achei que tinha sido abduzido por ETs verdes de Marte! Isabella disse sorrindo — Não quer jantar?
-- Não! Ele diz olhando para ela que estava vestida apenas com uma camisola  — Preciso de banho!
-- Eu preciso de respostas Edward! Ela disse o pressionado.
-- Bella agora não! Ele disse se encaminhando para o quarto.
-- Quero ver até quando vai me evitar! Ela sussurrou para si mesma indo até cozinha beber água.

Quando Bella voltou para o quarto Edward estavam terminando de secar os seus cabelos, ele vestia tão somente a calça do pijama. Ele olhou para ela e deu um sorriso gentil. Ela estava linda usando aquela camisola vermelha. Ele agradecia por ela não mais se esconder atrás de suas antigas roupas feias.

-- Vejo que voltou a sorrir! Ela disse indo em direção a cama de ambos — Acho que fica melhor assim...
-- Bella eu quero te pedir algo? Ele enquanto observava ela deitar-se.
-- Diga!
-- É sobre Maggie! Da próxima vez que você a vê, mesmo que seja de longe, por favor, mantenha-se afastada dela! Ele pediu temendo não poder protegê-la de tudo, mesmo sabendo que Bella poderia até dificultar as coisas para ele.
-- O que eu ganho com isso? Ela perguntou — Eu posso até fazer o que você me pede, mas não sei se deveria!  Afinal, você nunca responde as minhas indagações, por quê? O que essa mulher fez de tão grave a você?
-- Ela me deixou! Edward retrucou seco — Você não vai desistir não é? Isabella balançou a cabeça negativamente — Maggie e eu namorávamos desde a época de Escola, ela foi a minha primeira paixão, meu mundo todo era ela! Então no dia de nosso Baile de Formatura eu descobri a verdade, Maggie estava apenas me usado, ela nunca me amou, seu alvo de paixão era meu primo só que ele não nutria os mesmos sentimentos por ela.
- Então você passou a odiar tudo e todas! Isabella meio que afirmou...
-- Mais ou menos isso Isabella! - Ele deitou-se ao lado dela puxando-a de encontro ao seu peito e aconchegando-a ali — Você já sabe a história, agora gostaria que fizesse o que eu lhe pedi! Não quero você perto de Maggie, não a quero perto de você! Ela destrói tudo que toca, não quero que ela faça nenhum mal a você.

Isabella acenou que sim silenciosamente, mesmo que ainda estivesse confusa em relação a toda aquela situação. Havia ainda pontos a esclarecer. Maggie tinha certeza de que Edward ainda a amava, e, ela parecia determinada em consegui-lo de volta...
Isabella também não entendia o fato de que, se o namoro havia acabado no baile, como foi que Maggie engravidou? Com certeza eles ainda se envolveram novamente depois da formatura de ambos. Como se levasse um choque, Isabella se lembrou das palavras da “Maggie Patologia”, a bruxa... “ele sempre volta e no final e a mim que ele ama”. Isabella fechou os olhos com muita força, Edward era um franco! Maggie ainda tinha pleno controle sobre ele, era por isso que ele evitava aquela mulher, pois no fim, ele sempre cederia às vontades dela... Só poderia ter sido por isso que ele acabou a engravidando. Isabella agora se recriminava por ter sido tão ingênua, por ter sido tão burra, todos os sinais estavam ali bem em sua frente e ela não percebeu. Ela precisa manter Maggie longe dele, ela precisava conquistá-lo, e tinha que ser antes que Maggie encontrasse um jeito de entrar novamente na vida dele e destruísse tudo que estava acontecendo de bom entre Isabella e Edward.
Com o coração apertado ela se aconchegou mais ainda aos braços dele. Por uma fração de segundos, Edward sentiu o corpo de Bella tremer. Não iria ser fácil, mas ela sabia que poderia conseguir fazer com que Edward se apaixonasse por ela, sabia que poderia tentar... Carlisle havia lhe aconselhado a não desistir, e, ela não iria fazer isso, havia bem mais em jogo do que um simples capricho de uma menina mimada.

...
-- A minha agenda para esta tarde Bella! Edward disse entrando em sua sala já vindo de outra reunião — Cancele o contrato com os italianos, ainda não chegamos a uma conclusão final. Preciso ir a uma reunião agora à tarde!
-- Precisa que eu vá junto? Ela perguntou a Edward que lhe pareceu tenso.
-- Não! Ele disse e sorriu para ela — Quero você em casa quando eu chegar! Tyler vem buscar você!
-- Eu sei andar sozinha, Edward!
-- Eu sei! - Ele disse pegando suas pastas — Mas prefiro que vá com Tyler “senhora eu sei andar sozinha!” - Edward deu um beijo no rosto dela e logo depois a beijou na boca ardorosamente --- Agora se comporte princesa eu não conseguirei me concentrar no trabalho se não tiver certeza que você está segura.
-- Tá bom! Ela sussurrou – Você está atrasado senhor Cullen.
-- Te vejo em casa! Ele disse andando em direção à porta e enviando um beijo voador para ela o que fez Isabella sorrir — Em casa baby!
....
Bella estava colocando Tony para dormir quando Edward apareceu na porta do quarto do menino. Sua expressão era cansada e preocupada, ele sorriu, mas seu sorriso não alcançava seus olhos, ele passou as mãos pelos cabelos nervosamente. Bella beijou a testa de Tony que já havia adormecido e o cobriu, para só então sair do quarto do filho encontrando Edward no corredor.
-- O que foi? Ela perguntou fitando os olhos preocupados do marido.
-- Vou precisar viajar! Terei que ficar alguns dias fora -  Ele disse dando um sorriso amarelo.
-- Qual é o problema nisso? Ela perguntou incerta.
-- Não quero deixar vocês sozinho! Ele comentou temeroso.
-- Edward, meus pais estarão se mudando na sexta feira! Ela disse — Eles vão morar a cinco quadras de nossa casa o que pode acontecer comigo e Tony nesse curto período?
-- Eu sei, eu sei disso tudo! Ela disse passando as mãos pelos cabelos em um gesto nervoso — Apenas não quero deixar vocês sozinhos!
-- Vai ficar fora quantos dias?
-- Dois! Ele olhou para ela lhe dando um abraço — Viajo amanhã tarde!
-- É pouco tempo! Ela disse sorrindo para ele se aconchegando em um forte abraço — Vai ficar tudo bem, afinal você transformou nossa casa em um verdadeiro forte armado!
-- Você não quer vir comigo? Ele disse — Podemos ir eu, você e Tony! A viagem é para a Florida Isabella, coisa super-rápida e você vai gostar!
-- Edward você está indo a trabalho e Tony está em aulas! Ele fez um carinho no rosto dela, a moça não entendia o porquê de ele estar tão relutante em viajar — Eu fico com o Tony e você vai! Pode levar Derick com você e deixar Tyler e Rafael aqui conosco, acho que isso será o suficiente para nossa segurança.
-- Você é sempre tão calculista e equilibrada! - Ele disse fazendo Isabella olhar surpresa para ele — Ok, mas tem que prometer que irá me manter informado de tudo o que quer que aconteça por aqui. Eu disse TUDO, viu mocinha?
-- Claro Senhor Cullen, agora vem! Ela disse já o puxando pela camisa — Você precisa de um banho. Baby, você já jantou?
-- Sim querida, já jantei! Ele disse a seguindo para o quarto.
...
No fundo tocava uma melodia agradável, algo bom de se ouvir para relaxar e fazer amor... Era a primeira vez que Edward colocava uma música enquanto eles tinham relações, “a drop in the ocean” de Ron Pope. Bella já tinha escutado aquela canção algumas vezes no carro, enquanto Edward os levava para o trabalho, mas naquela noite estava sendo diferente, estava bem mais fascinante. A boca de Edward estava em todas as partes do corpo da jovem, assim como suas mãos... Ele tocava nela com tanto carinho e tanto cuidado que ela chegou a se sentir uma boneca de porcelana em suas mãos. O corpo dela queimava de desejo por ele. As mãos dela também não paravam quietas, estavam em todo o corpo dele, em toda parte, em todo lugar que elas conseguiam tocar. As costas do rapaz estavam sendo marcadas pelas unhas dela. À medida que as caricias deles ficavam mais ousadas, ela marcava ainda mais o corpo dele. A boca dele sugava e tortura os seios dela e com as mãos apertava o seio livre, os gemidos escavam de suas bocas e seus corpos reagiam aos toques um do outro.

-- Edward, por favor! Ela gemeu não suportando mais a tortura.

Um sorriso doce começou a se formar nos lábios dele, com delicadeza Edward afastou as pernas de Isabella se colocando no meio delas e a penetrando lentamente, torturando a jovem um pouco mais... O prazer que estavam sentindo, era indiscutível, os movimentos dele eram lentos e profundos deixando sua marca tatuada dentro dela. Isabella se contorcia e gemia palavras sem sentindo, desejando que ele se movesse mais rápido, porém Edward mantinha a doce tortura, ele queria saborear cada segundo que estava dentro dela, ele seguiu assim até que ambos atingiram o orgasmo em um ritmo lento e extremamente prazeroso. Somente depois que o corpo dela parou de tremer e respiração da jovem voltou ao normal, foi que ela entendeu que Edward tinha acabado de fazer amor com ela, não fora sexo... Eles fizeram amor, algo que quase raramente acontecera entre eles.

-- Você fica linda corada! - Ele disse tocando sua face rosada — Durma, você precisa descansar! Ele beijou sua testa e puxando-a ternamente para os seus braços.
Isabella sabia que havia algo de errado, e depois da noite de amor que tiveram, ela passou a ter mais certeza ainda... Havia algo preocupando Edward, algo que ela não fazia a mínima ideia do que poderia ser, porém, ela tinha uma certeza, a de que ele não contaria nada a ela, não diria nada, mantendo tudo incógnito e longe dela... A única coisa que ela podia fazer era esperar e torcer para que nada de ruim acontecesse, pois o seu coração estava apertado, era como se ela pressentisse algo de ruim que pudesse estar por vir...
...
Bella estava na sala de visitas observando Anthony que brincava no chão a seu lado. Já era cinco horas da tarde, Edward tinha viajado algumas horas antes, Bella o acompanhou juntamente com Tony até ao aeroporto para se despedirem dele. Fora algo rápido, mas ao mesmo tempo caloroso, até mesmo porque ele já estava atrasado.
Tony estava bem, já tinha algum tempo que ele não tinha crises e isso era bom. Isabella via isso como um excelente sinal de cura.
-- Hora de ir para a cama mocinho! Bella disse deixando alguns documentos de lado — Vamos amor, mamãe vai lhe colocar para dormir!
Tony demorou mais para dormir do que em outros dias, ele ficava mudando o final das historinhas que Bella lhe contava na tentativa que dormisse, o menino mantinha sempre um sorriso brilhante nos lábios. Até que em um determinado momento o sono o venceu e ele dormiu angelicalmente. Bella cobriu o menino, depositou um beijo na face rechonchuda do filho e saiu indo para o seu próprio quarto. Ela sabia que Edward só ficaria fora por dois dias, mas ela já estava sentindo saudades dele, de seu tom mandão, do modo como ele a olhava, de seus carinhos e sorriso torto... Ela vestiu uma das camisas do marido para poder dormir. Sentia tanta falta dele que nem parecia que apenas havia se passado algumas horas desde que ele havia partido.
Aquela noite fora difícil para Isabella conseguir dormir sem a companhia de Edward! O pior de tudo era não saber se ele havia chegado bem ao seu destino. Ela já havia ligado para o marido e mesmo sem retorno, ela havia deixado cinco mensagens.
-- Bom dia Bella! Demitre disse dando um largo sorriso para ela naquela manhã, já fazia algum tempo que ele estava indo todos os dias na empresa — Parece encantadora hoje!
-- Sr. Volturi se não tiver nada de importante a ser tratado comigo, por favor, me poupe dos seus comentários idiotas! Ela fora grossa com ele.
-- Já viu os jornais de hoje?
Bella não entendeu o porquê daquela pergunta. Era uma sexta-feira e Edward estaria voltando para casa naquele dia. A moça ficou curiosa em saber o que havia nos jornais...
-- Não tive tempo de ler os jornais ainda! - Ela disse em um tom pouco gentil, mas bastante intrigada...
-- Tome! Ele lhe entregou um dos jornais daquele dia — Achei que você iria gostar de ver essa matéria! Ele sorriu maldosamente.
Mais intrigada ainda Isabella abre o jornal e dá de cara com uma noticia que a deixou abalada, ao mesmo tempo em que percebeu o divertimento no olhar de Demitre.
Edward Cullen é visto jantando com Maggie Scott.”
O casal parecia muito à vontade, apesar da companhia de alguns amigos eles estavam em uma grande bolha de felicidade”.
O jovem Cullen se casou há bem poucos meses com uma jovem que não pertence a alta sociedade de NY, será que seu casamento chegou ao fim?” 
Isabella apertou o jornal entre as mãos, ela sabia que Demitre ainda estava por perto esperando ver as reações da jovem. Ela não daria a ele o gostinho de vê-la chorar, a ele e nem a ninguém. Em uma postura centrada e segura, ela olhou para ele dando seu melhor sorriso, devolveu-lhe o jornal e disse:
-- Estou torcendo para que você morra envenenado pelo seu próprio veneno Senhor Volturi! Isabella não esperou por uma resposta, ela simplesmente saiu em direção à sala Edward Cullen.
Continua..