Jul M

Oi

sábado, 13 de janeiro de 2018

Descendentes -- Capitulo 23

Capítulo 23 - Ao som do vento

(Várias narrativas)

POV Edward Cullen

Lucy realmente nos tirou de lá, mas antes ela destruiu boa parte do acampamento do inimigo, seguimos pelo norte e eu não sabia muito bem qual era essa direção, estava sendo guiado por ela.
- Você se parece muito com sua mãe. – Ela disse. — Só que em uma versão bem mais sexy.
- Você conheceu minha mãe? – Eu pergunto.
- Claro, a rainha é uma ótima pessoa. – Ela diz e então eu paro.
- Você conheceu a minha mãe antes dela ser colocada para dormir?
Lucy riu na minha cara e depois voltou a compostura ao ver minha cara e entendeu que estou falando sério.
- A rainha nunca foi colocada para dormir. – Lucy diz – Ela tentou parar eles antes de você retornar para esse mundo, ela queria que você encontrasse um lugar seguro e calmo, perfeito para se viver. Eu realmente não sei o que lhe disseram, mas quem disse mentiu para você.
- Quem me disse jamais mentiria para mim. – Digo, olhando para Lucy.
- Bom, então mentiram para ela. – Lucy falou. — Vamos, temos que chegar no acampamento antes de escurecer ou ficará mais difícil de achar na escuridão.
Caminhamos por mais algum tempo até encontrarmos o acampamento, assim que entramos, várias mulheres ficaram me olhando, parecia que eles iam começar a levantar acampamento, muitas coisas já estavam arrumadas e prontas para serem levadas.
- Lucy! – Uma mulher de boa aparência mas com certa idade disse. Ela parou ao me ver, parecia ver um fantasma. — Ele... Oh, alguém chame a rainha agora. – Ela ordenou.
- Ele mesmo, Carmelita, ele é filho da rainha. – Lucy informa.
- Carmelita, por que mandou me chamar com pressa? – Uma mulher com longos cabelos cobreados veio ao nosso encontro, ela parou me olhando assustada e meio emocionada. — Você... – Ela começou a chorar e veio na minha direção me abraçando com força.
 Ela me abraçou por algum tempo com força e contra seu peito, e chorou profundamente dizendo: “Sim, é você, é você.”. Quando estava para afastar ela e perguntar o que estava acontecendo, ela se afastou para me olhar de cima a baixo e sorriu timidamente.
- Rainha Elizabeth, lhe apresento Edward Masen da linhagem drácula. – Lucy diz e então eu entendo quem ela é.
- Você é minha mãe! – Digo surpreso.
- Você é o meu menino. – Ela diz e volta a me abraçar forte.
(...)

 POV Rosie

Já tinha tempo que ninguém falava o nome de Bella pelo acampamento, John estava determinado a capturá-la, segundo ele, Bella é perigosa. Isso porque ele nunca viu ela fora de controle, se não ele jamais usaria essa palavra para descrevê-la.
- Você vai se juntar às equipes de captura dela? – Jasper me pergunta.
Nosso relacionamento é meio estranho ainda, ele não aceita tudo o que eu fiz, mas eu sei que um dia ele vai entender.
- E ser morta por ela? – Pergunto. — Sem chance, deixe isso para os Soldados de Elite.
- Eu queria poder matá-la.
- Você a odeia tanto assim?
- Ela mentiu, tudo o que ela fez foi mentir.
- Eu acho que ela nunca disse nada, você tirou suas conclusões da situação sozinho, Jasper, até onde eu sei Bella nunca falou nada.
- Mas ela sabia a verdade, por que ela não disse?
- Porque eu pedi. – Digo e ele me olha. — Eu disse que você não poderia saber, era minha vingança, não tinha que ser sua.
- Eu sou seu irmão!
- Sim, e eu te amo, e foi por isso que deixei você fora do meu caminho, só eu sei o que fiz para poder conseguir me infiltrar naquele acampamento, só eu sei o que vi, então não culpe os outro pelas minhas escolhas. – Digo e me levanto, estava sentada na praça do acampamento. — Bella nunca me forçou a nada, nem mesmo ela se forçou a algo, se tem uma coisa que essa garota tem é personalidade e talento, que nunca seguiu uma regra na vida, ela carrega nela a marca dos deuses, isso sim é um problema.
- Ela me afastou de vocês. – Jasper diz.
- Ela fez isso para te salvar. – Digo e então parto, deixando ele para trás.
- Não acha que foi dura demais com ele? – A voz eu reconheci bem quem era, Emmett, amigo do meu irmão, ele andava atrás de mim, parecia que ele esperava por algo.
- Ele precisa parar de culpar os outros. – Eu digo, frustrada.
- Eu sei, mas foram anos dele odiando ela. – Emmett me fala. — Não é fácil de se esquecer assim, ele vai entender com o tempo, porém, ele precisa desse ódio para se manter forte.
- Emmett, meu irmão precisa entender uma coisa. – Eu digo, olhando para ele. – Que estamos em meio de uma guerra, muitos irão morrer, ele precisa crescer.
- E você? Quando vai entender que o que eu disse para você era sério? – Emmett questiona.
- Não estou interessada em romance.
(...)

POV Edward Cullen

Falei durante horas com minha mãe, ela me contou a parte dela da história, o modo como ela viu meu pai morrer, eles o mataram em sua frente, ela disse que fugiu comigo nos braço e me entregou para Carlisle, que me levou, deixando ela para trás para lutar. Então foi quando as bruxas negras a ajudaram, reconhecendo ela como Rainha do Sul. Sim, a minha mãe é rainha e Heidi jamais subirá ao trono.
- Precisamos ir. – Minha mãe diz
- Não acho que seja uma boa ideia. – Digo. — O exército do inimigo já deve estar a postos para invadir o acampamento, e além do mais eu preciso encontrar Bella.
- A filha de Ares. – Ela comenta. — Uma garota misteriosa e cheia de faces, como pode confiar nela?
- Ela me ama. – Digo, ficando de pé. – Vamos fazer diferente, eu vou atrás de Bella, tenho que achar ela, e você segue para o acampamento, Carlisle está a sua procura.
- Você não vai atrás dessa garota. – Ela diz.
- Ela é minha alimentadora. – Eu informo e ela me olha fria. – Ela é a garota que amo.
- Você se parece tanto com seu pai. – Ela diz, sacudindo a cabeça. — Lucy irá com você, ela é uma das nossas melhores bruxas.
- Eu tenho uma pergunta.
- Faça.
- Por que elas são chamadas de bruxas negras?
- Porque elas podem achar o que está perdido.
- Então se eu quiser que Lucy ache a Bella, ela pode achar? – Eu pergunto.
- Só precisa de algo que ligue à garota. – Elizabeth me diz. – Mas ainda acho que você não deve ir, Edward, venha primeiro comigo até o acampamento, depois você pode ir em busca dela.
- A Bella nunca me deixaria para trás.
- Então por que ela foi? – Ela pergunta. — Ela disse que você estava no acampamento, mas que o que estava lá não era você. Algo está acontecendo no acampamento e eu temo que seja algo terrível.
- Eu não...
- Apenas vá comigo, se tudo estiver bem, você pode partir e ir ao encontro dela.
- Elizabeth, farei apenas isso. – Digo. – Até porque Bella nunca mentiria, se ela diz que alguém lá está se passando por mim, é porque é verdade.

Continua...

“Desde que tenha os seus olhos abertos e encontre algo em que tenha fé... Nada poderá te tocar! É incrível como uma experiência pode mudar a sua vida para sempre.”

                                                          ― Shelter

sábado, 6 de janeiro de 2018

Descendentes -- Capitulo 22

Capítulo 22 

(Narrativa Bella Swan)

Foi apenas mais uma viajem perdida, não havia ninguém na cidadela, talvez o velho Doc esteja errado ou estava tentando me distrair ou me mandar para alguma armadilha, porém, nada aconteceu, passei dois longos dias na cidadela, na cidade dos mortos, e nada aconteceu.
- Vamos rápido, rápido! – Alguém disse, era voz de mulher. – Corram em direção às rochas, não deixem eles pegarem vocês, se não será o nosso fim.
Várias mulheres e algumas crianças passaram por mim em direção a uma rocha grande, eu estava em cima de uma árvore descansando.
- Acabem com ela! – Alguém gritou, eram dois caras e seus Apanhadores de Almas, eles atacaram a mulher magra de cabelos negros com os olhos um pouco puxados. Só que ela se defendeu, ela usou magia para revidar o ataque, mas sua magia não era tão forte assim.
- Desista. – O outro cara disse. — Você não é forte como nós.
- Não preciso ser forte, só preciso que elas escapem. – Ela diz e então ele ataca ela.
As minhas flechas foram de encontro ao ataque dele, cortando o meio e evitando ele de chegar na mulher.
- Me parece desleal uma luta dessas. – Digo, saltando com meu arco empunhado. – Você não se importaria muito se eu entrar na briga, não é mesmo?
Os dois caras se entreolharam e recuaram dois passos, então eu revirei meus olhos e atirei cinco flechas em sequência, duas delas acertando seus Apanhadores de Alma e eu parti para cima, desativando o arco e ativando as espadas e decapitando os Apanhadores de Almas deles, termino meu ataque pousando sobre meus pés na frente da garota e de frente para eles.
- Buu. – Fiz e eles saíram correndo mata a dentro. — Eles me frustram cada vez mais. – Digo, me virando para olha garota. — Você está bem?
- Você é um Soldado de Elite. – Ela diz e vejo medo nos olhos dela. —Fique longe, não quebramos nenhuma regra.
- Calma. – Eu digo, desativando as armas. – Primeiro, não sou Soldado de Elite, mas estou curiosa sobre vocês.
- Tia? – Alguém chamou, era uma menina. – Você está bem?
- Por que voltou?
- Você ficou para trás.
- Cuidado! – A garota gritou, a Tia, e então vi o ataque vindo.
Foi automático, a barreira de fogo cobriu a menina e o ataque foi bloqueado. 

Quando virei na direção dos dois homens meus olhos estavam brilhando e completamente brancos, com o movimento da mão, eu senti o poder passando pelos meus dedos e eu os sufoquei, mesmo mantendo uma distância. Não demorou muito para eles caírem no chão mortos por sufocamento. Então aos poucos fui abrindo minhas mãos e meus olhos voltaram ao normal.
- Você tem a marca dos deuses. – Ela disse, me olhando. – Você está bem, Amber?
- Quem é essa garota? – Ela pergunta.
- Bella, meu nome é Bella. – Eu digo e olho para Tia, a primeira garota. — Você é uma bruxa negra?
- Sim. – Ela diz.
- Preciso de sua ajuda para achar o corpo de uma mulher.
- Como?
- O nome dela é Elizabeth Masen, eu preciso achar ela e acordá-la.
- Está falando da rainha? – Tia perguntou.
- Olha só, vejo que sabe bem quem é. – Digo.
- Você vai matá-la? – A garota, Amber, pergunta.
- Não, preciso dela viva para provar minha inocência.
- Como podemos confiar em você?
- Esse problema você não pode confiar. – Eu digo. — Mas se isso te deixa mais calma, os Soldados de Elite querem minha morte, então estamos do mesmo lado.
- Se você nos trair. – Tia diz, perto de mim, me encarando de frente. — Arranco o seu coração, não importa como.
- Tia! – Amber diz e então me olha assustada.
- Venha, vamos te levar a um lugar. – Ela diz e começa a andar. — Garanta que cheguemos lá vivas, filha de um deus.
Parece que ela entendeu rápido o que eu era.
(...)
Era tipo uma tribo, um lugar secreto onde todos tentavam se manter vivos.  Haviam outras pessoas, muitas crianças, adultos e idosos, pessoas fracas e sem muito poder de fogo.
- Carmelita. – Tia disse, chamando a atenção de uma mulher de idade e ela nos olha. — Essa garota deseja encontra a rainha.
- Quem é você, menina? – Ela me perguntou, me olhando de cima a baixo.
- Bella. – Digo, mantendo meu sobrenome escondido.
- Ela tem a marca dos deuses. – Tia informa a ela.
- Filha de Ares. – Carmelita diz, me olhando mais de perto. – Você realmente parece com ele.
- Por favor, vamos pular essa parte onde vocês me dizem quem é meu pai e que eu tenho muito dele. – Digo ironizando. — Preciso acha a sua rainha.
- Ela ainda dorme.
- Disso eu sei. – Digo com o sarcasmo visível na minha voz. — Por isso preciso acordá-la.
- Não é assim tão fácil. – Carmelita me informa. — A rainha dorme por mais de anos, apenas algo muito forte pode trazer ela de volta à vida. – Mas algo na fala dela me deixa intrigada, ela fornecia informações fácil demais.
- Que tal o filho dela?
- Ele está morto. – Carmelita diz.
- Não, ele não está. – Informo. — Só que no momento eu também não sei onde ele está.
- Você o viu? – Ela pergunta.
- Eu sou a alimentadora dele. – Informo e ela me olha intrigada.
- Então você me achou. – A voz que veio de trás de mim ecoou de maneira família aos meus ouvidos, à minha frente todos se curvam em sinal de respeito, então eu me viro e me deparo com ela.
- Você fica melhor na forma viva. – Digo olhando de perto Elizabeth.
Então Carmelita faz um movimento, puxando um pequeno punhal, só que meu movimento foi mais rápido, desarmando ela e colocando a punhal em seu pescoço.
- Não se preocupe, não tenho a intenção de matar sua rainha. – Digo e a empurro para frente. — Avisem a ela que não sou uma ameaça.
- Eu não a conheço. – Elizabeth me diz. – Mas você não é uma garota qualquer.
- Eu estou começando a ficar cansada disso. – Digo, indo em sua direção.
Elizabeth ativa suas espadas, eu também faço a mesma coisa, e nessa hora seus olhos brilham, então das suas espadas ela dispara o elemento raio subjugado nível baixo assim como o gelo, eu me desvio rápido. Usei o elemento água para lhe atingir em cheio no rosto, mas não foi o bastante para ela, já que ela veio para cima de mim me atacando diretamente com uma espada, eu contra-ataco no mesmo nível, ela parece ler meus movimentos, bloqueando cada ataque meu. Contra-atacando sempre no mesmo nível. Era irritante aceitar isso, mas eu estava quase perdendo para ela, eu teria que fazer justo o que mais odeio. Quando Elizabeth avançou atacando-me novamente, ficamos cara a cara, então eu sopro uma espécie de fumaça, é magia, e isso faz com ela fique cega por alguns segundos.
- Maldita! – Ela exclamou. — O que você é?
- Filha de Ares. – Digo, desativando minhas armas. — Eu vi você na cidadela junto com os mortos, eu lutei ao seu lado, eu vi você lá. Como não se lembra de mim?
- Eu não estive na cidade. – Ela diz, passando as mãos pelo rosto tentando quebrar o feitiço. — Por que eu entraria em estado de quase morte só para te encontrar, menina?
- Todos achavam que você estava morta, e isso inclui seu irmão e seu marido, John.
- O John? John está vivo?
- Ah, não. – Eu digo, revirando os olhos. — Mais uma sem noção.
- Eu vi o meu marido morrer na minha frente. Ele estava morto.
- Você o viu morto? – Eu pergunto, olhando para ela.
- Eu fugi logo depois que ele caiu morto aos meus pés. – Ela disse. — Eu precisava salvar o Edward, eu entreguei ele para Carlisle, ele o levou.
- Curioso. – Digo, tentando entender o que estava acontecendo.
- Eu nunca estive morta. – Ela diz. – E se você esteve na cidade dos mortos e me viu, você foi enganada.
Estalo os dedos, removendo o feitiço bem antes do tempo que ele leva para acabar, então Elizabeth pisca os olhos voltando a me ver.
- O primeiro ministro está à sua procura. – Digo. — Leve todos para o acampamento, lá é o lugar mais seguro para elas todas.
- Elas são bruxas negras, não podem ir para lá. – Elizabeth diz.
- Tome posse do seu posto de rainha e lute por elas. – Digo, virando e caminhando em direção à saída.
- Você disse que viu meu filho. Onde?
- Ele está no acampamento, mas aquele que está lá não é seu filho. – Digo e ela me olha confusa. – Eu conheço seu filho bem melhor do que todos, e sei que aquele que John chama de filho não é seu filho.
- Como vou saber que não é uma armadilha?
- Porque não é, você não é o que eles querem. – Digo, já entendo tudo. – Sou eu que eles desejam! Leve elas em segurança, siga pelo sul da floresta, ninguém anda por lá porque os espíritos andam por lá.
Ela não disse nada, então eu parti, dessa vez indo para o lugar que eu deveria ter ido desde o início.

Continua...

“A vida não dói tanto quando a gente para de pensar que ela poderia ser de outro jeito.”

                                                         ― Law & Order

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Descendentes -- Capitulo 21 -- Livro 3 -- Narrativa Bella/Edward/outros

Obs: Gente desculpa pela longa demora, mas minha virada de ano foi bem corrida e cheia de problemas, eu ainda estou sem net, mas dei um jeitinho de conseguir posta hoje o capitulo, então desculpa de verdade e de coração, espero que sábado possa esta tudo nas ordem... bjos JUL M

Capítulo 21 – Aonde habita aquela que dorme. Livro 3 – Narrativa Bella/ Edward/Outros

(Narrativa Edward)

Estava tudo escuro, eu estava preso à beira de um ataque, sentia a sede me consumir a cada segundo. Mas era difícil escapar, as correntes que me prendiam eram fortes, muito fortes. Eu perdi completamente a noção do tempo, poderia ter passado dias, semanas, até mesmo meses, eu não saberia dizer.
- É uma pena ver você assim. – A voz estridente era da princesa Heidi, ela vinha sempre me visitar, me dava duas ou três gota de sangue. — Mas você ficou muito forte, não podemos deixar você sair por aí.
- Eu vou matar você com minhas próprias mãos. – Digo entre dentes e ela sorri e sinto seu toque em meu rosto, o que me faz virar, tentando evitar.
- Não é nada pessoal. – Ela diz. – Mas tudo seria mais fácil se você tivesse me escolhido.
- Nunca! Nunca será o que Bella é para mim! – Digo e ela me acerta um tapa na cara.
- Não me compare àquela bastarda! – Ela diz e sinto suas unhas pressionando meu queixo. – Mas ela será carta fora do baralho em breve.
- Se você tocar em um fio de cabelo dela, eu te mato da maneira que você nunca imaginou morrer!
- Edward, nós precisamos de você vivo. – Heidi diz. — E acredite, eu acho você um tesão, mas você tem péssimo gosto para mulheres.
- Vai se ferrar! – Digo cuspindo as palavras.
- Acredite, você está mais ferrado do que eu. – Ela diz e escutamos um barulho. – O que houve? Quem é essa mulher? – Ela pergunta a alguém.
- O comandante mandou trazer ela para cá. – Alguém informa.
- Por que não em outra cela? – Heidi questiona.
- Só recebo ordens.
- Quem é essa mulher?
- Também não sei, princesa, só estou cumprido a ordem. – Ele diz para Heidi. – Fique aí, sua maldita.
- Vou falar agora mesmo com o comandante. – Heidi diz e eu escuto passos e logo depois escuto a cela ser trancada novamente.
- Bastados! – Uma voz feminina ecoou na cela. – Eu juro que comerei seu coração, comandante!
- Quem é você? – Eu pergunto.
- Por que eu deveria responder? – Ela me pergunta.
- Porque seria educado da sua parte.
- Então me diga quem é você primeiro. – Ela fala.
- Edward Masen, da linhagem de drácula.
- Você é o cara. – Ela diz surpresa e então ouço o barulho das correntes se chocando contra o chão. – Todos pensavam que você estava morto!
- Eu nunca estive morte. – Digo. – O que foi isso que caiu?
- Espera, vou tirar isso do seu rosto. – Ela disse, puxando venda que cobria meus olhos. – Melhor agora? – Ela perguntou e então vejo que ela está solta.
- Quem é você?
- Lucy. – Ela diz e dá seu melhor sorriso.
Olho-a atentamente, ela é baixa de cabelos curtos com mechas loiras mas seu cabelo é negro, ela tinha os olhos azuis e pele clara.
- Por que está aqui?
- Eles estão caçando todas as bruxas. – Lucy me informa.
- O quê? Você é uma bruxa? – Digo surpreso.
- Não exatamente. – Ela diz e então olha em volta.
- Por que eles estão capturando todas as bruxas? – Eu pergunto.
- Porque nós podemos encontrar coisas perdidas.
- Ainda não entendo.
- Deixa eu ser mais clara. – Ela diz, chegando perto e me olhando nos olhos e então seus olhos brilham. — Somos bruxas negras.
Então minhas algemas caíram, me libertando e ela ainda está me olhando, sorrindo.
- Entendeu agora porque eles nos querem?
- Vocês estão do lado deles? – Eu pergunto.
- Só servimos a um lado.
- Que seria?
- O seu. – Ela diz, se curvando em sinal de reverência. – Sempre esperamos pelo retorno do nosso verdadeiro rei.
- Eu acho que você está me confundindo. – Eu digo, andando pela cela.
- Não, você é o herdeiro de Hércules. – Ela me diz. — O herdeiro do trono sul, o verdadeiro rei. Conhecemos sua história, esperamos por você.
- A rainha do sul é Heidi.
- Como se aquela vaca algum dia teve o sangue real. – Ela cospe as palavras. – A rainha é uma farsa, sua mãe é a rainha por lei e sangue.
- Como é possível isso?
- Aí você terá que perguntar para sua mãe. – Ela me informa. – Precisamos dar um jeito de sair daqui.
- O que está pensando?
- Você tem um exército, nós servimos ao rei do sul e você é o rei do sul, juramos nossa lealdade à sua mãe e vamos estar ao seu lado, até morte.
Eu olho para ela e vejo que ela diz a verdade, ela era nova, talvez mais ou menos da minha idade, mas ela tinha determinação.
- Como vamos fugir daqui? – Eu pergunto.
- Vamos já descobrir. – Ela me informa. — Só preciso de alguns minutos para me concentrar e vamos dar o fora.
Sim essa garota seria a chave para minha liberdade, o problema é que eu sabia que alguma coisa estava acontecendo, e essas bruxas negras era fiel à minha mãe.

Continua..

“Em cada mente há uma porta que nunca foi aberta.”
                                  ― Ecos do Além

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

O Tempo Não Para -- Epilogo

Obs: Capitulo encontra-se sem revisão ortográfica, então perdoem os erros, logo estarei arrumando tudo isso.
Bjos Jul M



“Você devia ser beijada todo dia, toda hora, todo minuto.”
                       ― Um Homem de Sorte

Epilogo

Dois anos depois.

A família Cullen era uma família muito conhecida na cidade, primeiro pelos senhor e senhora Cullen terem seus próprios negócios e serem referência para muitas empresas, a escola de dança de Bella ia cada dia melhor e empresa de Edward era referência no mercado. Eles era conhecido com casal perfeito. Os filhos estava crescendo cada dia mais lindo e carismático Anthony estava com dois anos e Nessie com sete, e ela já tinha perdidos boa parte dos dentes de leite e já havia se metido em confusão na escola, já tinha brigado com um colega, já tinha ido para diretoria e já tinha uma cicatriz no joelho, algo que fez Edward lembra bastante de Bella quando criança.
-- Mas ela bateu no coleguinha? Bella disse para Edward que estava deitado na cama com livro nas mãos.
-- Ela apenas se defendeu! Ele diz o que deixo Bella furiosa
-- Então você acha isso certo?
-- Bella, Nessie está de castigo, ela já sabe! Ele informa
A confusão toda era por que tudo isso aconteceu enquanto a morena estava NY resolvendo alguns problema da escola de lá que estava tendo problema com novo musical “soldadinho de chumbo”
-- Não é só isso! Ela disse irritada—Você tinha que te me ligado na mesma hora!
-- Você está longe! Ele informa—Qual e diferença de ser você ou eu. Ela acabaria de castigo do mesmo jeito!
-- Você não entende! Ela disse irritada e frustrada com atitude do marido
Edward deixo o livro de lado e puxo a mulher deixando seu corpo por cima.
-- Sra. Cullen acredito que você sabe que nossa filha não esta roubando, apenas esta herdando! Ele disse beijando queixo dela e seguindo caminho para seu ouvido.
-- Não é assim! Ela diz irritada—E para com isso eu não estou no clima!
- Serio? Ela disse e suas mãos aperto os seios delas por cima da camisola – Seu corpo diz o contrário!
-- Cretino! Ela diz gemendo com toque deles
-- Até onde sei você quebrou nariz de um menino na primeira serie quando ele chamou de feia! Edward diz sussurrando em seu ouvindo onde logo em seguida mordeu -- Você soco a minha cara na terceira série só por que chamei você de baixinha, e nem vamos comentar o fato de você ter batido no Erick na 6° serie só por que ele disse que você era gorda.
Enquanto ele falava suas mãos trabalhavam habilidosamente em tira camisa da esposa do seu caminho.

-- Se você for ver, Nessie é uma cópia fiel da sua personalidade, sendo ela sua filha, nós vamos visita bastante a diretoria da escola dela! Edward diz sorrindo e beijando pescoço da esposa.
-- Mas não é certo! Bella diz em meio ao gemidos a boca do marido está em seu seio esquerdo.



-- Oh, não é certo mesmo! Edward diz sorrindo e voltando provoca o mamilo da esposa—Mas fazer o que? O máximo que podemos fazer é conversa e coloca ela de castigo.
-- Você não pode aceita isso facilmente! Ela diz ofegante
Edward sorri de canto de lábios e fica de joelho sobre cama e movimento rápido vira mulher deixando ela de barria para baixo, ele dá palmada na bunda dela o que faz ela geme e solta um gritinho.
-- Quem disse que já desistir! Ele informa ela e sorri dando puxão e rasgando calcinha dela. – querida, querida eu nunca desistir de você, por que desistiria da nossa menina.
E antes que Bella pudesse protesta ele a penetrou em uma única investida fazendo a morena vez estrela.


Edward também sentiu saudade dela essa era sua maneira de demostra que sentiu falta da mulher. E Bella sabia que essa só seria a primeira rodada da noite que seria bem longa.


.............................................

Bella sabia que amor que sentia por Edward era maior do que tudo, ela esperou por ele por cinco longo anos, e agora ela tinha tudo que sempre sonhou, uma família com homem que ela amava.
Ela estava na varanda vendo Anthony, Nessie e Edward construindo uma casa para seu novo membro, um cachorro da raça vira-lata que Nessie encontrou enquanto voltava para casa depois da escola, o nome do cachorro era chocolate devido a cor dele.
-- Você está muito feliz querida! Charlie disse se junto a ela na varanda
-- O que posso dizer! Ela disse piscando para pai--- Eles me fazem feliz.
-- Eu sei querida eu sei! Ele disse olhando ambos brincar com cachorro – Sempre foi ele não é Bella.
-- Sempre pai!
-- Que bom que você tem seu final feliz querida! Ele diz sorrindo—E por favor não demore muito a contar a ele sobre sua gravidez.
Bella sorriu de forma gentil para pai, sim ele sabia que ela estava gravida novamente, só que ela ainda não tinha contado para marido isso. Seria essa noite ela já tinha planejado tudo com pai, os filhos passaria a noite na casa do avô e a casa seria apenas deles dois, ela tinha planos para aquela noite.
-- Ei! Edward gritou tirando ela dos seus pensamento – Venham se juntar a nos.
-- Eu passou! Charlie disse sorrindo
Bella levantou deixando para trás sua xícara de chá e foi se junta com marido e os filhos. Edward segurou pela cintura girando enquanto os meninos correriam pelo jardim
-- Já disse que te amo hoje senhora Cullen? Ele perguntou olhando para ela.
-- Ainda não senhor Cullen!
--Eu te amo! Ele disse e beijo de leve lábios dela.
-- Assim como eu também te amo!
Eles ficara se olhando por longo tempo até que Nessie jogou água neles fazendo com que Edward corresse atrás da menina levada e travessa. Bella olhou para cena e mais uma vez agradeceu ao céus pela linda família que tinha e que estava aumentando. Por que naquele momento ela tinha certeza que era a mulher mais sortuda do mundo.

Fim.



“O que você sente é apenas problema seu. É o que você faz para as pessoas que você diz amar o que realmente importa.”

                                           ― Um Beijo a Mais

O Tempo Não Para -- Capitulo 34

Obs: O Capitulo se encontra sem revisão ortográfica, então perdoem os erros e prometo que logo estarei arrumando tudo isso.
Bjos Jul M



                    “Você não precisa ter que viver sozinho!”
                                       ― Um Novo Despertar

Capitulo 34

As coisa foram se encaixando ao poucos em seu devido lugar. Edward se   mudou de vez para casa de Bella, deixando assim a casa que um dia foram dos seus pais para Alice e Jasper, sua irmã andava a mil, Alice bateu recorde ao organiza o melhor casamento para seu irmão. Algo simples como pouca pessoas mais incrivelmente perfeito oficializando assim a união dos dois.
Edward acompanhava de perto a gravidez da mulher, suas mudanças de humor, suas gulas constante que terminavam com ela sempre colocando tudo para fora.
E nesse ritmo muito louco os meses foram passando. Nessie vibrava com ideia de ter mais um irmãozinho, por que ela tinha certeza que era menino, Bella e Edward se recusaram em querê saber qual era sexo do bebê deixando para ser surpresa para dois.
O sexo entre os dois era ainda mesma coisa intensa, com gravidez só pioro.  Os desejos sexual da sua adorável esposa estavam a flor da pele ao ponto dela invadir a sala dele em sua empresa, e agarra-lo ali mesmo.

Perecia que algo consumia ela por dentro que ia queimando e tudo que ela conseguia pensar era em ter, possuir e trepa com seu marido. E quando esse desejo louco aparecia não importava o local Bella apenas queria e Edward. Bom ele até tentou impedi-la algumas vezes, mas depois se deu por vencido o que foi bem melhor para dois.
.....................................
Alice deu a luz em um dia de domingo, foi correria só, no final acabou tudo bem, a linda e doce Angélica nasceu perfeita para completar a família dela e de Jasper que era pura felicidade, assim como Jake que estava a mil por saber que sua irmãzinha havia nascido.
Os dias foram passando e seguindo normalmente, Bella manteve sua rotina de trabalho o que fez ela Edward brigarem muito já que ela estava de oito meses próximo a da luz e ainda assim insistia em trabalha. Jessica era sua cúmplice ela passa todas informações para  o ruivo algo que Isabella não sabia e nem sonhava que acontecia.
...................................................

Foi em uma noite de sexta Bella estava dormindo quando sentiu algo molhar a cama Edward ainda estava no escritório trabalhando, Nessie estava na casa da tia, ela foi passa o final de semana com primo Jake e claro com a nova integrante da família. Edward estava tão concentrado no que fazia que não ouviu Bella chama as duas primeira vez, foi quando ela gritou e deixo o copo de água cair que ele se deu conta que algo estava acontecendo. Ele subiu as escada correndo e encontrou a esposa sentada na beira da cama se contorcendo em dor.
-- A bolsa estourou! Ela disse ofegante e suando bastante.
--  Bolsa? Onde está tudo? Ele perguntou já agitado
Bella apenas apontou para closet e ele se encarregou de tudo, Edward desceu as escada com Bella no colo, eles seguiram para hospital assim que enfermeiros a colocaram na maca para prepara ela para parto, Edward ligou primeiro para Charlie, depois para Alice avisando que Bella já estava dando luz.
Foram momento angustiante onde Edward acompanhou de perto tudo que ele não pode fazer no parto de Nessie, ele estava ali fazendo pelo parto do seu segundo filho, os grito de Bella eram agoniante, o que deixava ele ainda mais nervoso. Quando ela estava pronta para ter, o médico fez o parto dela, ajudando a morena a cola a criança para fora.
Bella apertou fortemente a cada contração e grito de dor a mão do marido, e quando ambos ouviram aquele primeiro choro bem franco tiveram a real certeza que o bebe havia nascido.
O choro foi inevitável, Edward beijou com carinho o rosto da mulher assim como suas mãos, e quando enfermeira veio com bebe no colo sorrido ela disse.
-- É um lindo menino! Ela sorri para casal—Já sabe qual e nome que vão colocar?
-- Anthony! Eles falaram junto o que fez enfermeira sorri, ele colocou menino nos braços da mãe.
-- Você pode? Edward diz ao entrega para ela seu celular pedindo para ela tira foto deles junto.
Essa seria a primeira foto deles junto, logico que faltava um pessoa para completa na a foto em família, mas ela logo chegaria e tudo ficara perfeito.
........................................................

Bella recebeu alta pouco dias depois de da luz, Anthony estava em casa e tinha uma rotina bem calma, ele dormia noite toda, e boa parte do dia, acordando apenas para comer. Tanto Edward e Bella se revezavam na hora de cuida do filho, Nessie a menina ajudava como podia, mas algumas vez tinha ciúme por não ter tanta atenção assim, todos ia visitar o irmãozinho dela e ela achava isso errado.
Mas sempre que isso Edward tomava a frente e tentava conter a situação, explicando para menina que tudo era coisa passageira, e que logo as coisa voltariam normal, que eles tanto a mamãe quanto ele ainda à amavam dos mesmo jeito de sempre.
Era difícil lidar com ciúme dela, porem ela foi se acostumando ao poucos com toda a mudança que aconteceu em sua vida de repente.
................................................................

Era dia de domingo estava todos na casa de Bella, Alice levou a pequena Angélica que já estava com quatro meses, ela era menina linda, havia herdado lindos olhos verdes do pai e cabelos negros das mãe. Rosie e Emmett também estavam, eles tinham oficializando o noivado deles, algo que surpreendeu a todos já que Emmett era um galinha assumido e tinha maior orgulho disso, já Rosie bom, ela sempre sonhou em casa, só não espera que fosse ser com alguém como Emmett. Mas agora era tarde demais para volta atrás já que jovem estava completamente apaixonada por ele.
Charlie e Sue estava junto e agora era de fato oficial, não que Bella já não soubesse, mas agora toda cidade sabia, assim como toda cidade ainda comentava do fato de Nessie ser de filha de Edward Cullen, isso ninguém espera, todos os boatos sobre a paternidade da menina eram mentira e a verdade era algo que sempre esteve na cara deles.
Sobre James ninguém comentava, o que aconteceu com pequena Nessie e o que Jessica Stanley fez era algo que nunca aconteceu.
-- Tenho que leva ele para ver jogo do meu time! Charlie disse segurando seu mais novo neto no colo.
-- Você pode me leva vovô! Nessie disse deixando claro o ciúme presente. – Thony ainda não sabe nada. Ele só chora e faz coco.
O comentário da menina fez com que todos ali sorrisse, Jessica chegou junto com namorado Mike Newton, ele era policial e ajudou no caso da Nessie e também era velho conhecido de Charlie, o namoro dos dois já tinha virado noivado e eles iriam se casar no final do ano.
Era uma reunião amigável todos estavam lá, todos que eram importante para dois, havia comida e bebidas, ouve grande brinde e eles brindaram a vida, e todas as coisa boas que estavam acontecendo. No final da tarde todos partiram indo para suas casas, Alice disse que ajudaria a cunhada a organiza o mesário do sobrinho, já tinha até algumas ideias. O que deixo Bella bem nervosa por que todos mesários de Angélica tinha sido um grande evento naquela pequena cidade.
-- Então? Edward pergunta ao se senta junto com ela na varanda o céu estava bem estrelado aquela noite . – Feliz senhora Cullen?
Bella olhou para marido e sorriu abertamente o que fez ele fica feito bobo olhando para a bela mulher que tinha.
-- Muito! Ela diz e chama ele com mão onde ele a puxa e coloca ela sentada em seu colo. – Eu te amo muito! Ela diz passando os braços em volta do seu pescoço
-- Assim como eu te amo! Ele diz e beija seu pescoço causando um leve arrepio – Você me deu tudo que sempre deseje.
-- Que seria? Ela diz para provocar
-- Uma família linda!
--Oh! Ela fala com cara de surpresa – Achei que estava falando do sexo!
-- Oh! Isso também querida! Ele diz e aperta a bunda dela – Você sempre será melhor foda da minha vida!
-- Edward! Ela diz correndo fortemente e ele sorri e segura o rosto dela beijando seu lábios levemente.
-- Você é mulher da minha vida nunca duvide disso!
-- E você é o homem da minha vida! Ela diz e faz careta – Bom, acho que nosso menino acordou.
-- Pelo visto, ele também que rouba mamãe de mim! Edward diz piscando mas sua boca corre para pescoço da morena.
-- Edward querido eu adoraria ficar, e trepa com você nessa cadeira mais tenho certeza que Thony não vai espera. Ela disse e ele gargalhou soltando mulher.
-- Oh, querido pode ter certeza que você não vai escapa da nossa “trepa” de hoje à noite! Ele diz colocando as aspas com dedos.
Bella arregala os olhos e correm em direção a quarto do filho, corada e vermelho, o que fez Edward gargalha ainda mais.
O ruivo ficou na varanda sozinho olhando as estrela e vendo o quanto ele era o homem mais sortudo do mundo. E no final tudo se encaixou como deveria ser. Ele tinha uma linda família, uma mulher que era completamente louca por ele, e ela ainda era sua melhor amigada, aquela que ele conheceu na escola e nunca esqueceu, por que ela sempre foi o grande amor da sua vida, seu primeiro amor e único, ela era seu amor verdadeiro, seu amor puro e seu amor apenas seu.


Fim