Jul M

Oi

sábado, 16 de dezembro de 2017

Descendentes-- Capitulo 19

19 - O que os olhos não veem

Era para ser mais um dia normal no acampamento, porém, estava tudo fora do controle. John não era mais um morto e todos estavam felizes e ao mesmo tempo alvoraçados com a notícia de uma possível guerra se aproximando cada vez mais.
E pior ainda é o que estava por vir, Alice me atacou logo pela manhã, tudo porque eu falei sobre Elizabeth para Carlisle, agora ele estava pressionando ela para encontrar a sua irmã. Bom, ela também precisa de um pouco de pressão.
Outra coisa que me intrigava também era o fato de Edward estar distante, ok, ele estava passando um tempo com seu pai, isso é legal, tipo, ele estava me evitando ou pelo menos era o que parecia. Tá, talvez eu esteja ficando paranóica com tudo que aconteceu.
- Jovem Swan. – Caius disse ao me ver sentada no banco da praça sozinha. — Parece desolada.
- Você quer dizer pensativa?
- Na verdade desolada mesmo. – Ele diz, sentando ao meu lado. — O que te preocupa?
- Por que eu te falaria isso? – Eu questiono.
- A quem mais falaria? – Ele pergunta. – Bella, eu fiz de você o que você é.
- Você me ensinou a matar e a mentir. – Digo.
- Eu sei. – Ele fala orgulhoso. – Mentir tão bem que mentiu para Ares.
- O que você sabe?
- Que você não está grávida. – Ele diz e eu olho para ele. — Por que contou essa mentira?
- Porque eu não tive muito tempo para pensar em outra. – Eu digo. — E ele acreditou.
- Ele ama você. – Caius diz em frustração. — O que é estranho, porque Ares não é o tipo que demostra amor, mas você parece causa isso nele.
- Por que ele não me disse sobre minha mãe?
- Porque você é esperta, logo descobriria.
- E se eu não descobrisse? Eu poderia ter morrido.
- É preciso bem mais do que uma rainha louca para te matar. – Caius diz e me olha – Você sabe a verdade, não é?
- Sei.
- Então por que não disse a eles? – Caius me questiona.
- Digamos que eu tenha um plano.
- E esse plano me inclui?
- Você está fora de cogitação. – Digo levantando. — Preciso falar com Jasper, e por favor, não diga a ninguém o que você sabe, acho que o medo já se espalhou pelo acampamento, seria pior se eles descobrisse a verdade.
- Quem sou eu para falar. – Caius diz e acena com cabeça, dando um meio sorriso.
 Saio de lá indo em direção à enfermaria, Jasper ainda não tinha recebido alta, parece que o poder de gelo de Irina tem um efeito forte.
- Oi. – Digo, encostada na porta. — Como você está?
- Por que está aqui? – Jasper perguntou.
- Vim conversar.
- Comigo? Vai falar o quê? Mais mentiras?
- Fala sério. – Digo e rolo os olhos.
- Você mentiu todo esse tempo. – Jasper diz.
- Na verdade, eu nunca falei. – Eu digo.
- Ela era minha irmã! – Ele gritou. — Você deixou que eu pensasse que ela estava morta!
- Você tirou essa conclusão.
- Claro. Depois você deixou que eu odiasse ela. – Jasper diz com ódio.
- Olha, eu poderia dizer qualquer coisa ou simplesmente nada. – Eu digo – Rosie sabia o que estava fazendo, acho que está na hora de você começar a crescer e se posicionar, as coisa estão ficando bem feias por aqui.
- Vaca! – Ele diz. — Sai daqui, fica longe da minha família.
Eu não digo nada, apenas saio, deixando ele para trás sozinho, sei que Alice logo estará lá com ele, não é novidade nenhuma que eles estão juntos.
(...)
Os dias foram passando e meu relacionamento com todos estava como pisar em ovos, meus pais pediam para eu manter a calma e me controlar, já que meu temperamento poderia atrapalhar minha convivência.
- Srta. Swan, o primeiro ministro deseja vê-la. – Um dos Soldados de Elite disse, ele estava em minha casa.
- Algo importante? – Renée pergunta.
- Não sei. – Ele diz.
- Está tudo bem. – Eu digo. – Eu vou com ele.
Por algum motivo não estava gostando nada disso. Primeiro Edward passou a me evitar, nada de beijos, abraços e sexo. O pior é que ele sempre manda um soldado da guarda particular do pai vir buscar as ampolas de sangue. Para piorar tive a impressão de ter visto ele flertar com a Tanya, o que me deixou puta de raiva. E agora isso, sou convocada para ir ao encontro do primeiro ministro por um Soldado de Elite.
- Espero que seja algo importante. – Digo, entrando na sala do primeiro ministro, e ele não estava sozinho
Aro, Caius, John, Tanya, Félix, Demetri e Edward. Por algum motivo eu realmente fiquei tensa dessa vez.
- Sente-se. – Carlisle diz e Esme surge na sala ao seu lado, eu realmente não gostava nada disso.  – Bella, nós, os ministro dos acampamentos, vamos lhe fazer algumas perguntas, por favor, diga a verdade.
- Interessante. – Digo e me sento. — Comecem.
- Como você convenceu a senhorita Hale a fazer parte do seu plano de infiltração? – Aro pergunta.
- Ela queria vingança, quer coisa melhor para motivar alguém? – Eu pergunto.
- Então se aproveitou da situação. – Aro diz.
- Bella, por que foi ao castelo do sul, onde a rainha habitava? – Carlisle pergunta.
- Porque eu precisava de respostas. – Digo e estreito meus olhos.
- Você tentou matar a rainha nessa visita? – Aro me perguntou.
- Matei e mataria de novo. Não foi assim que me fizeram? um soldado perfeito. – Comento e olho para Edward e então vejo que Tanya segura sua mão.
- Então confessa suas reais intensões. – Aro diz, já de pé.
- Digam logo o que vocês querem saber. – Digo,  mesmo estando sentada estou já em posição de defensiva e Caius sabe disso, ele me olha sorrindo.
- Você está sendo presa por traição, Isabella Marie Swan. – Carlisle diz.
- O quê? – Eu digo, ficando de pé. – Quem me acusa?
- Eu, Edward Masen, acuso você de traição e de espalhar informações confidenciais, armando um golpe de estado contra os ministros.
- Que palhaçada é essa? – Eu grito. — De onde veio isso? Edward, sou eu, a Bella, sua Bella.
- Edward lembrou de você, ele viu você falando com o comandante sem rosto do acampamento dos traidores. – Tanya diz.
- Eu estava lá? – Eu pergunto incrédula, olhando para ele.
- Você ficará detida até sabermos o que de fato aconteceu. – Carlisle diz. — Terá que nos entregar as suas armas e colocaremos em você o selo elementar que impedirá você de usar magia elementar.
- E você espera que eu aceite isso de livre espontânea vontade?
- Bella, por favor. – Edward diz, me olhando fingindo pena. — Você foi de grande ajuda em meu desenvolvimento, eu sei que não era você, eu a conheço, mas precisamos que você colabore para descobrirmos a verdade.
- Claro. – Digo, ficando de pé. — Eu sou Isabella Marie Swan, filha de uma família importante da cidade, vocês realmente querem me manter sob vigilância?
- Eu disse a eles que você não aceitaria. – Caius diz sorrindo, ele sabia bem mais do que todos ali, ele sabia quem eu era.
- Se você se negar a aceitar, será visto como traição. – Carlisle disse.
- Edward, por quê? Por que isso agora? – Eu perguntei, olhando em seus olhos que ainda estavam negros. – Você lembra o que você me disse na casa do lago? Lembra o que me prometeu?
- Bella, eu nunca esqueceria o que prometo a você, mas entenda, é para a segurança de todos.
Bingo! Assim que ele fecha a boca eu solto uma rajada de vento e saio pela janela, a quebrando. Não esperei para ver quem vinha atrás de mim, apenas ativei o modo fogo e fiz um muro de fogo, bloqueando a passagem deles.
(...)
 Eu estava fugindo em direção ao lado sul do acampamento, alguém havia armado para mim, e o pior é que ninguém acreditaria em mim sem provas. Eu paro bruscamente ao ver Rosie.
- Rosie. – Digo e ela tem aquele olhar que eu conheço bem. – Você realmente acredita que eu faria aquilo?
- Bella, eu não sei. – Rosie disse. — Mas se você nos ajudar a provar que foi armação, você ficará livre, mas se fugir...
- Se eu ficar eu morrerei. – Digo e Rosie me olha apreensiva.
- Não é verdade.
- Aquele não é o Edward.
- Bella, não começa, eu ajudei ele a fugir, é claro que é o Edward.
- Não! Ele não é o Edward, eu sei bem.
- Bella, por favor, pare agora ou...
- Ou?
- Eu, Rosie Hale, Soldado de Elite classe 2, lhe dou voz de prisão.
- Eu também sinto. – Digo e nesse momento uma rajada de vendo cobre ela, mandando ela para o alto, fazendo ela cair desmaiada.
— Eu também sinto. – Alice diz e eu olho para ela.
- Alice!
- Acho que agora estamos quites. – Alice diz. — Eu não sei o que disseram, mas eu sei que você não é o bicho-papão, porém, não posso ir contra as ordens do primeiro ministro, mas ninguém disse nada sobre você conseguir fugir.
- Por que está me ajudando?
- Eu tentei matar você. – Alice diz. — E eu não me orgulho muito disso, mas também sei que se você ficar presa não vai ser algo bom para ninguém.
- Edward não é o Edward.
- Não faço ideia do que está falando.
- Apenas fique sabendo disso. – Digo e passo por Alice, indo em direção à saída. — Fique de olhos bem abertos, diga aos meus pais que eu ficarei bem.
- Bella, acho bom você não morrer.
- Não tenho a intenção ainda.
- Bella. – Alice me chama e quando eu viro, ela me joga a minha espada. — Não a quebre dessa vez.
(...)
Assim que entrei no templo de Ares ele já estava em sua forma humana.
- O que você fez? – Eu pergunto sem cerimônias.
- Nada. – Ele diz. — Mas vejo que algo aconteceu.
- Eu fui acusada de traição simplesmente do nada.
- Você mente com perfeição, devia ter mentido.
- Chega! – Eu grito. — Eu não quero mais jogos seus, quero a verdade!
- Não posso interferir. – Ele diz. — Você terá que descobrir sozinha.
- Eu posso morrer?
- Você ainda é humana.

Continua...

“Um dos desafios de Deus para nós é ver além da superfície.”

                                                         ― Ferrugem e Osso

domingo, 10 de dezembro de 2017

O Tempo Não Para -- Capitulo 33

OBS: O capitulo encontra-se sem revisão ortográfica por favor perdoem os erros. Logo estarei arrumando isso.. 
                           bjos JUL M


“Você precisava vê-la, ela iluminava todo o ambiente.”
                              ― Gênio Indomável


Capitulo 33

O dia nasceu como todos outros a clima na casa andava mais leve depois que Nessie voltou para casa, o café da manhã foi calmo e tranquilo a menina sorriu e brinco com Jake que falava de tudo com menina menos do que aconteceu. Na verdade ninguém tocava no assunto era jeito mais seguro.
Edward estava no jardim junto com Jasper, eles não foram trabalha, Rosie estava viajando junto com Emmett, o que deixo Bella bem surpresa já que seu sócio não era tipo que se envolvia facilmente com alguém, mas loira estava controlando bem a situação.
-- Oi vocês! Bella disse aparecendo na varanda e chamando atenção deles. – Estou saindo mais Alice!
-- Como? Os dois falaram junto e alarmado o que fez morena vira os olhos
-- Vamos visita Jessica! Bella informa.
-- Vamos com vocês! Eles falam novamente junto
-- Não! Bella disse irritada—Vocês ficam, fique com Nessie e Jake, nós só vamos no hospital!
-- O motorista vai com vocês! Edward disse tentando não deixa morena mais irritada do que ela já estava.
-- Tudo bem! Bella disse—Já estamos de saída, não vamos demora.
-- Claro! Edward disse e Jasper apenas aceno não gostando nada dessa saída repentina da esposa e a cunhada.
--Acha que é uma boa ideia elas saírem junta? Jasper pergunta
-- Melhor elas juntas do que separadas! Edward informa e dois fazem cara feia e volta atenção para filhos que ainda estão brincando com lama no jardim.
................................................................

Bella estava do lado de fora na sala de recepção do hospital esperando por Alice, já tinha um tempo que ela entrou na sala do médico e isso já estava deixando Bella irritada para não dizer sem paciência. Quando a morena levantou a porta se abriu e Alice saiu, seu rosto estava molhando por lagrimas era mistura que Bella conhecia bem, pois ela ficou assim quando descobriu.
-- Oh, minha nossa! Bella disse sorrindo e levando a mão a boca surpresa.
-- Estou com três meses! Alice disse sorrindo e chorando – É uma menina!
-- Meus parabéns! Bella disse abraçando a cunhada que chorava compulsivamente.
-- Obrigada! Ela disse olhando para morena e limpando rosto—Preciso toma algumas vitaminas e um pouco de soro você pode me espera?
-- Claro! Bella diz—Estou indo visita Jessica, quero saber como ela está, então encontro você na sala!
-- Tudo bem, acho que vai demora mesmo! Ela disse ainda sorrindo e feliz.
-- Vejo você daqui a pouco! Bella disse e sair em direção a andar onde Jessica se encontra.
 A morena bateu na porta e encontrou a loira acorda ao seu lado Mike o cara que Bella chegou a brigar algumas vezes para defender amiga.
-- Olá! Ela disse sorrindo—Nada de flores, só minha ilustres presença! A loira sorriu
-- Nada melhor chefinha! Ela diz e Bella entra caminhando e sentando na beira da cama da loira.
-- Vou deixa vocês conversarem! Mike diz—Vou buscar algo para você comer!
-- Obrigada! Jessica diz
-- Parece que ele está melhor! Bella comenta depois que ele sair do quarto
-- Ele mudou! Jessica diz
-- Assim espero! Bella fala e olha para amiga—Eu compro uma nova briga se ele te machuca novamente.
-- Você sabe que nosso relacionamento sempre fora assim! Jessica comenta e sorri—A final, eu sou completamente louca por ele.
-- Eu sei bem! Bella diz – Então como está se sentindo?
-- De alma limpa!
-- Sabe que polícia alegou legitima defesa! Bella informa
-- Na verdade eu só fiz o que muita gente queria fazer! Jessica comenta
-- Eu podia ter feito isso! Bella informa seria – Por que se meteu?
-- Não queria que você se machuca-se! Ela diz e então olha para janela do quarto—E além do mais, não queria que nada acontece-se a Nessie.
-- Ela está bem, graças a você!
-- Eu fico feliz, você saber que eu adoro a sua filha! Jessica diz sorrindo e limpando as lagrimas—Eu também vou gosta muito do seu bebê.
Bella olhou para loira que tinha sorriso no canto dos lábios de vitória, Bella ainda não tinha comentando com ninguém mais parecia que a loira já sabia da verdade.
-- O que? Estive com você na gravidez de Nessie! Jessica a lembra—Sei bem quando você está gravida, até por que essa sua bunda não é desse tamanho todo.
Ambas sorrira da piada sem graça da loira e então o clima voltou a normal toda tensão desapareceu.
-- Agora me informa como isso aconteceu? Jessica pergunta sorrindo—Que dizer, do jeito que vocês dois parecem dois coelho fudendo, achei que até demorou.
--- Jessica! Bella diz repreendendo a loira que sorriu
-- Só falei a verdade! Ela diz e mostra língua para morena
-- Antes de irmos para NY. Bella comenta – Eu esqueci de toma a pílula, e acho que acabou rolando.
A gargalhada da loira se ouvir até do lado de fora, a cara da morena corada era impagável, ela estava no hospital acompanhado a cunhada quando ela mesmo já sabia que estava gravida de menos de um mês.
-- Como da primeira, vocês dois são muito afoito! Jessica diz rindo ainda—Já ouviram falar de camisinha?
-- Ei, eu estava me cuidado, eu tomo pílula, só esqueci uma vez! Bella diz em sua defesa
-- E foi bastante! Jessica informa—Assim como da primeira vez, só bastou uma vez e você Puff gravidíssima.
-- Tá, tá! Já entendi! Bella diz irritada—Vejo também que você está ótima, agora não diga a ninguém ainda não contei nada Edward!
-- Também pudera! Jessica comenta rindo – Coelhos!
-- Chata! Bella diz revirando os olhos—Se quiser venho busca você amanhã para leva para casa!
-- Não precisa! Jessica diz—Mike vai me levar!
-- Claro que ele vai! Bella diz com sacamos e ironia—Bom, eu preciso ir, Alice está me esperando.
-- A baixinha diabólica! Jessica diz rindo—Nossa, nossa quantas mudanças.
-- Muitas! Bella disse rindo-- Te vejo em breve!  Segunda voltamos a nossa rotina normal, temos um novo música para prepara.
-- Cadê o imprestável do Emmett?
-- Fudendo a irmã do Jasper por ai!
-- Que cretino! Jessica diz e começa ri—O pior e que já era previsto isso acontecer, eles dois são como fogo e pólvora. Explosão na certa.
-- Combinação perigosa! Bella comenta rindo e abrindo a porta encontrando Mike com suco na mão – Ela todo sua, acho bom cuida bem dela.
--Eu já sei disso Swan! Ele diz e morena passa por ele deixando eles sozinho.
 Bella encontro Alice já pronta para volta para casa a morena estava feliz, e tão bem pudera dessa vez não era nem um alarme falso. A medica descartou a possibilidade de uma gravidez de risco, o que deixo a morena bem mais calma. Sim agora ela poderia conta para marido que dessa vez eles terão  um filho, que dizer mais um filho por que Jake sempre seria seu filho o primogênito.
.................................

A casa ficou festa com a notícia da gravidez de Alice, Jasper não conteve as lagrimas, estavam todos comemorando, eles ainda estavam na casa de Bella, Jasper já começava calcular tudo que precisava fazer, Edward sorria animado seria tio novamente dessa vez de menina.
-- Então papai, como está se sentindo? Estavam eles dois na varanda da casa bebendo um bom vinho francês.
-- Feliz! Jasper diz sorrindo-- Jake acaba de ganha uma irmãzinha que coisa melhor?
-- Bom, me diz isso daqui ao quinze anos quando bando de babaca tiverem babando encima dela. Edward diz provocando. —Você sorriu tanto de mim e acabou provando do próprio veneno.
-- Ela e minha menina ninguém chegara perto dela! Jasper diz em sua defesa.
-- Até parecer! Bella diz comentando e se juntando a eles sendo seguida por Alice já era noite e meninos já dormiam.
-- Que dizer que ela não olhara para ninguém a não ser você! Alice disse
-- Mandarei ela para uma escola interna! Jasper diz e Bella e Alice caem e gargalhada
-- Você precisam aprende uma coisa! Alice diz
-- Elas vão coloca vocês dois na palma da mãos delas. Bella diz rindo e sentando no colo do ruivo
-- Já mais! Ambos dizem junto Edward e Jasper.
-- Agora mudando de assunto! Alice comenta – Quando será casamento de vocês dois?
-- Eu... 
-- No final do mês! Bella diz e todos olham para ela. —Eu sei, eu sei. Mas você parecer que já tem tudo planejo, eu apenas estou me dando por vencida.
-- Nada mais junto querida! Ele diz sorrindo e beijando seu rosto—Seremos uma família feliz, acredite.
-- Isso é ótimo! Jasper diz – Um bebê a caminho, uma casamento, parece que essa casa vai se encher de alegria.
-- Na verdade! Bella diz engolindo seco mas já estavam todos comemorando era melhor joga tudo para fora—São dois bebes!
Alice se arregalou os olhos e Jasper e Edward ficaram sem entender.
-- Alice você está esperando gêmeos? Edward pergunto e Jasper olhou para esposa surpreso
-- Não! Alice diz olhando para o irmão—Acredito que seja Bella que esteja gravida.
Bella sente o corpo de Edward congela em baixo do dela, ver na cara de Jasper a surpresa que vai se transformando em alegria.
-- Minha nossa! Jasper diz sorrindo—Parabéns cunhado, pelo visto são muitas emoções!
Edward estava sem palavras não sabia ao certo o que dizer e o que fazer, em sua cabeça as palavras Bella está gravida ainda ecoavam repetidamente em sua mente.


Continua.

sábado, 9 de dezembro de 2017

Descendentes -- Capitulo 18

18 - O último elemento

O alarme de invasão já tinha sido tocado há horas, Emmett, Jasper e Jake lutavam com cara um de cabelo loiro. Ele era muito forte, estava dando trabalho para eles três, mesmo Jake e Jasper já tendo matado o Apanhado de Alma dele, o cara ainda tinha força e habilidade para lutar com três, fora que ele é um elementar talentoso.
Já Demetri e Tanya lutavam contra uma loira invocada, ela é igual ao cara loiro, só que mais habilidosa, Tanya levou um surra dela mas ainda se mantinha de pé, talvez suas habilidades em combate estejam bem melhores.
 Já a minha luta contra Irina estava de igual para igual, ela conhecia meus movimentos e eu conseguia copiar os dela, ela usava uma espada e uma adaga de médio porte como as minhas, porém, ela tinha vantagem porque eu estava sem minhas espadas, em meio à luta ela conseguiu arrancar uma das minhas adagas, e em meu contra-ataque lhe acertei um chute na barriga, mandando ela para longe. Assim que ela caiu eu desativei as minhas armas.
- Acho que vou acabar com você usando as minhas mãos.
Ela me olhou sorrindo como se eu estivesse dito alguma bobagem.
- Você realmente se acha, não é mesmo, menina? – Irina diz com sarcasmo e ódio. – Você não é nada!
- Sério? Eu devo fugir agora? – Pergunto com o mesmo sarcasmo que ela usou.
- Vou arrancar seu coração e comer.
- Tente. – Digo.
Então ela também desativa as armas dela e vem pra cima, ela tenta me socar na cara mas desvio rapidamente, ela me chuta mas eu bloqueio com o braço esquerdo e contra-ataco chutando de volta, seguimos nessa luta por alguns minutos, ela me bloqueando e eu bloqueando os ataques dela. Então ela me lança algo que até então era desconhecido para mim, uma rajada de vento que vai virando gelo e por pouco, muito pouco mesmo, não me acerta.


- O quê? – Eu digo surpresa e isso chama a atenção dos outros.
- Cuidado. – Rosie diz. — Ela domina o elemento gelo, esse gelo queima, foi assim que ela nos feriu.
- Isso é possível? – Eu grito para Demetri.
- Sim! – Ele responde, se defendendo do ataque da loira. – Existem alguns elementos paralelos aos 4 elementos principais. Alguns soldados conseguem dominar esses, menos os principais.
Eram sub elementos, devidos aos outros 4 primeiros, então não era assim tão forte, talvez o elemento fogo combatesse esse.
- Bella! – Rosie gritou, foi justo quando Irina acertou esse vento gelado em Jasper, que caiu pouco à frente.
A loira partiu para cima de Irina furiosa, atacando ela com uma forte ventania, mas a diaba era rápida em se desviar, quando ela lançou ventania de gelo em Rosie, foi minha vez de agir.
O muro de fogo cerco Rosie, Irina e o casal que estava com ela pararam ao ver o que eu acabava de fazer.


- Alec! – A loira chamou o cara. — Vamos, essa luta não dá para vencer.
- O quê? – O cara perguntou. – Jane, por quê? Estamos ganhado deles.
- Não, se essa garota entrar na luta nós vamos morrer. – A loira disse, aquela que ele chamava de Jane.
- É só uma garota. – Ele disse.
- Ela é uma elementar.
- Só porque controla o fogo? E daí? Irina domina o gelo, você causa dor, eu tenho a minha escuridão.
- Ela tem marca dos deuses! – Jane gritou. — Vamos agora, irmão.
Então entendo que eles são irmãos, daí tanta semelhança. Irina parecia irritada em ter que recuar, mas alguma coisa nas palavras da loira fizeram eles recuarem e sumirem.
Elena e Marcos já se encontravam no local, Esme prestava primeiros socorros a Jasper, que parecia estar gravemente ferido, Rosie olhava de longe tudo.
- E ela? – Tanya pergunta já com sua arma apontada para Rosie.
- Pare com isso, Tanya. – Eu digo, voltando minha atenção ainda para o local onde eles partiram. – Ela pode matar você facilmente, então não a provoque.
Alice chegou alarmada, correndo em direção a Jasper, ela usou magia para fazer alguma coisa, eu não saberia dizer o que ela fez, mas Jasper voltou a abrir os olhos.
- Bella. – A voz eu reconheci de imediato.
- Pai. – Digo, me virando e olhando ele que parece assustado. – Eu estou bem.
Ele correu e me abraçou, algo que ele fazia pouco comigo, mas por mim e não por ele, era minha antiga Bella que tinha essa reação estranha aos abraços. E esse foi o primeiro erro a se cometer.
- Aaaah! – O grito de Esme era estridente e todo mundo olha para mim, que tenho uma das minhas adagas enfiada no pescoço de Charlie. — Você... você o matou!
O corpo de Charlie escorreu pela minhas mãos, caindo assim no chão, minha adaga estava coberta de sangue e todos estavam me olhando.
- Me enganei uma vez e a culpa é sua, me enganei duas vezes e a culpa é minha. – Eu digo e sei que tem vários olhares me condenando. — Não é mesmo, Margarida?
- Oh, minha nossa! – Elena foi a primeira a ver quando a ilusão foi desfeita.
- Eu aprendi algo sobre você nesse últimos dias. – Eu digo e ela tem sangue escorrendo pela boca. — Que suas ilusões tem um ponto de falha, e o seu erro foi me abraçar. O meu pai nunca me abraçaria sem meu consentimento, mesmo que ele tivesse morto de preocupação.
- Prendam-na! – A voz estridente de Aro gritou. –  Ela matou a rainha!
- O poder da rainha não se estende a esse acampamento. – Eu digo, virando para ele. — Mas se deseja que eu mate seus homens é só me avisar.
Ele me olhou intrigado. Carlisle chegou, sendo acompanhado por Félix  e John, assim o silêncio ficou maior. Edward estava sentando ao lado de Rosie, ambos pareciam exaustos.
- Você a matou. – John disse. – Como conseguiu ver através da ilusão?
- Eu não gosto de abraços. – Digo e então caio de bunda no chão, o cansaço está me dominando.
- Esme, leve todos os feridos para a enfermaria, dê prioridade a Jasper Hale e Rosie que também está ferida. Edward, você também irá com eles, precisamos conversar assim que você sair dela. – Carlisle informa e segura John que dá um passo em direção ao filho. – Ainda não. – Ele diz. — Bella, acompanhe eles e por favor, mande notícias para seus pais, eles de fato estão preocupados com você. E Aro, precisamos conversar seriamente, Caius está vindo para o acampamento, é provável que amanhã já esteja aqui.  Demetri e Félix, levem o corpo da rainha para o necrotério do acampamento, uma equipe médica se encarregará dos procedimentos necessários. Os outros, voltem aos seus postos e nada aconteceu aqui e ninguém viu nada. Elena e Marcos, depois de saberem como seus filhos estão, juntem-se a nós.
(...)
Estávamos todos sentados no grande banco da recepção da enfermaria, estávamos todos medicados e de alta, menos Jasper que ficaria em observação, Alice estava com ele, e parecia que não sairia do seu lado tão facilmente.
- Esperamos você em casa, mocinha! – Elena disse em tom bem sério para Rosie, Marcos estava ao seu lado. — Você tem muita coisa para explicar.
- Claro. – Rosie disse, se sentindo intimidada.
- Então você estava infiltrada no território inimigo. – Emmett diz, com certo sarcasmo.
- Você é idiota assim mesmo ou só finge ser? – Ela perguntou, o que fez todos rirem.
- Eu queria saber o que eles estão falando. – Jake comenta. – Carlisle parecia bem sério, e vocês viram aquele cara com Félix? Aro ficou bem pálido ao ver ele.
- Eu também ficaria. – Emmett comenta. – O cara dá medo, tem cara que Soldado de Elite.
- Bom, acho que precisamos ir, Edward. – Eu digo, ficando de pé.
- Eu estou bem cansado também – Ele diz, seus olhos ainda estão negros. –  Me desculpem. – Ele diz, já de pé olhando para todos. — Eu perdi o controle e acabei descontando em vocês a minha raiva, eu realmente sinto muito.
- Sem problema, cara. – Emmett diz. – Nós nunca perdemos a fé em você.
- Bem vindo de volta. – Tanya diz timidamente e eu reviro os olhos. – Boa noite.
- Tá, já entendemos. – Eu digo, pegando a mão de Edward e o puxando comigo. – Vamos rápido. – Ainda escuto risinhos de Emmett e Jake comentando alguma bobagem em relação a nós dois.
(...)
Edward reconheceu o caminho que fazemos assim que levo ele na direção da sala do primeiro ministro. Ele tenta me impedir, mas eu puxo do mesmo jeito, abrindo a porta.
- Dei tempo suficiente. – Digo e vejo que meus pais estão aqui. – Mãe, pai. Por que estão aqui?
- Carlisle achou melhor. – Charlie diz, dando um sorriso calmo.
- Onde estão os outros? – Eu pergunto, não vendo mais Elena e Marcos e tampouco, Aro.
- Em seu devidos dormitórios. – Carlisle informa. – Edward, eu quero que você conheça alguém.
Ele me olha com aquele olhar de quem diz “Você sabe o que é tudo isso?”, eu apenas aceno com a cabeça um sim, e então ele se vira e encontra John lá, ele está sentando próximo à janela e então levanta e se volta para Edward.
- Você virou um grande homem. – Ele diz e Edward sabe que ele é seu pai.
- Pai. – Ele fala em um sussurro e caminha em sua direção.
E naquele momento ambos se abraçam, e pela primeira vez eu vejo tanto Edward quanto John, sorrir e chorar ao mesmo tempo. John repetia várias e várias vezes que ele era seu filho, “O meu filho.”, “Meu filho querido.”. Depois de alguns minutos que pareciam uma eternidade, eles se separaram e se olharam, limpando o rosto.
- Eu não quero estraga essa cena linda, mas o que vai acontecer comigo? – Eu pergunto e Carlisle se volta para mim.
- Você está de castigo! – Renée diz e reviro os olhos – Eu vou lhe bater, menina, se fizer isso de novo.
- Foi mau, foi automático! – Digo, o que faz todos rirem. — Mas de verdade, qual é minha situação?
- Devido ao ato de traição da rainha, a morte dela foi decretada pelo primeiro ministro. – Carlisle diz em seu tom formal. — Ela manteve preso em seu palácio em condições de escravidão um Soldado de Elite do primeiro acampamento e fora que ele não era um soldado qualquer, era um descendente direto da linhagem drácula, herdeiro de sangue de Hércules. Você apenas cumpriu uma ordem direta minha.
- Interessante. – Digo, mordendo lábios.
- O que você sabe, Isabella? – Minha mãe perguntou e todos olharam para mim.
- Como?
- Eu conheço você, menina, sei bem quando está escondendo algo. – Ela diz em seu tom acusador que me dava arrepios. — Vamos, diga logo de uma vez Isabella Marie Swan.
- Tá, tá, já entendi. – Digo suspirando. — Antes de voltar para o acampamento, eu estive em uma taberna próxima à extremidade do acampamento do terceiro ministro. – Digo e Carlisle me avalia com os olhos. –  Eu conheci um velho lá que sabia muita coisa sobre a rainha do sul, e algo que ele me disse que é bem interessante, Margarida não é herdeira do trono do sul, tecnicamente ela nem pertence a linha do rei, ela não tem sangue real, ou seja, eu e Heidi não somos herdeiras do trono.
- Se vocês não são, quem é? – Meu pai perguntou.
- Elizabeth. – Eu digo e Carlisle me olha assustado. — Você sabia, não é?
Carlisle suspira e passa a mão pelos cabelos e então volta à sua cadeira, sentando.
- Eu não sei como, mas você sempre consegue descobrir os segredos dos outros. – Carlisle diz. – Essa era minha arma contra a rainha, por esse motivo o poder dela não se estendia aos acampamentos. Era uma maneira de manter ela sob controle. Elizabeth descobriu anos antes de sua morte.
- Culpada. – Digo interrompendo ele, levantando minha mão. — Essa é outra parte chata da história que eu não contei.
- O que você está escondendo, menina? – Charlie perguntou irritado, ele sabia bem que eu era um problema quando eu queria.
- Na cidadela, quando estive lá, eu vi Elizabeth. – Eu digo e todos me olham.
- Você entrou em estado de quase morte apenas para ver ela? – Minha mãe questiona irritada. — Isabella, você poderia ter morrido de verdade, garota.
- Eu sei, mas eu sempre ouvi histórias sobre os mortos e aquela cidade, achei que deveria verificar se era verdade.
- Garota! – Ela gritou e eu me afastei, o que fez Edward sorrir, eu sabia que poucas vezes ele me viu recuar, mas na boa, ela era minha mãe e estava furiosa.
- Renée, deixe ela falar. – Charlie pediu.
- O que você descobriu sobre Elizabeth? – John perguntou.
- Foi ela que falou que você estava vivo. – Edward diz. — Foi assim que ficamos sabemos. Bella me contou tudo quando voltou da cidade, ela mandou Rosie me falar sobre a casa do lago, eu estive lá.
- Você esteve lá? Encontrou as cartas?
- Sim, todas elas. – Edward diz e John olha com carinho para o filho.
- Tem mais coisa. – Eu digo e todo me olham. — Eu estava desconfiada de algo, quando voltei para o acampamento fui atrás de Alice, ela estava na cidadela, ela viu algo que eu também vi.
- O que você viu? – Carlisle pergunta.
- Tirando o fato de ter visto uns Apanhadores de Almas bem diferentes dos que estamos acostumados a ver. Eu lutei lado a lado com Elizabeth, a propósito, ela me falou sobre as espadas. – Todos eles se entreolharam, até mesmo John, algo que notei de imediato. — Só que ela não parecia morta, era como se ela ainda vivesse.
- O que você descobriu sobre minha mulher? – John perguntou, dando dois passo em minha direção, mas Edward o segurou.
- Tecnicamente ela não está morta como todos nós pensamos. – Digo. — Essa é a parte boa.
- E a outra parte? – Carlisle perguntou.
- Eu pressionei Alice,  então ela disse que Elizabeth está viva, porém, enfeitiçada em algum lugar.
- Como? – Todos falaram juntos.
- É parecido com o estado de quase morte. – Eu digo. — Porém, o que Alice me disse é que o corpo dela dorme e o espírito fica preso na cidadela.
- Então podemos trazer ela de volta? – John perguntou, esperançoso
- Claro! – Eu digo. — Só temos que achar o corpo dela e o feitiço será desfeito. Só falta saber onde esta corpo.
- Tem que haver um jeito. – John diz.
- Sim, deve haver. – Carlisle diz. — Acho melhor todos nós nos recolhermos por ora, esse dia foi bem agitado para todos.
- Ótimo. – Digo, me espreguiçando. — Estou morta de fome.
- Ótimo. – Charlie diz. — Vamos para casa.
- Qual casa? – Eu pergunto.
- A nossa, é claro. – Charlie me informa.
- Achei que íamos para a casa dos Masen. – Comento, fazendo beicinho.
- Bella, você tem casa.
- Mas eu sou alimentadora dele. – Digo, apontando para Edward.
- Bella. – Renée diz em seu tom firme.
- Já entendi. – Digo, dando um sorriso forçado e entrego para Edward as ampolas de sangue. – Em caso de emergência tome, seus olhos ainda estão negro.
- Eu sei. – Ele diz. – Vamos para casa? – Ele pergunta para John.
- Vamos sim. – Ele diz. —Carlisle, junta-se a nós para o jantar?
- Claro. Será um prazer ter sua companhia novamente, cunhado. – Carlisle diz e eu vejo que eles terão um momento em família.
Talvez não fosse tão ruim voltar para a casa dos meus pais, ainda mais agora que as coisas pareciam começar a caminhar na direção certa.

Continua...

                  “Regra 32 - Aproveite as pequenas coisas.”

                                                       ― Zombieland